25/05/2021 às 14h34min - Atualizada em 25/05/2021 às 14h02min

Duda Beat: uma artista versátil e que tem muito à mostrar

Com músicas que falam sobre a vida real, a pernambucana vem mostrando que não é apenas um sucesso passageiro

André Arruda - editado por Luhê Ramos
Instagram/Reprodução
Eduarda Bittencourt Simões, mais conhecida como Duda Beat, é uma cantora pernambucana que vem ganhando destaque desde de 2018. Com um reportório que retrata desilusões amorosas vividas ao longo de sua jornada, Duda canta o que desacreditados pelo amor querem ouvir. Não é por acaso que ficou conhecida como a rainha da sofrência. Mas esse sucesso demorou a chegar. Quando saiu de Recife com 18 anos, ainda como Eduarda, os planos da cantora eram outros. Ela tentou por longos sete anos passar para faculdade de medicina, sem um resultado positivo, Duda decidiu então cursar ciências políticas. Porém, aquilo não era ainda o que fazia seu coração disparar. 

A virada de chave aconteceu, quando Duda foi passar dez dias em um retiro espiritual. Nesse período não podia falar, ela conta que foi a melhor e a pior experiência de sua vida. A partir dessa experimentação transformadora, a pernambucana percebeu que precisava tomar sua paixão pela música para si. Logo, é perceptível que desse modo, surgia o furacão Duda Beat. 
 
Seu primeiro álbum em estúdio, intitulado como “Sinto muito” conta com canções que falam sobre amores frustrados e não correspondidos. Com uma voz suave e versos que trazem identificação com situações da vida real, Duda consegue despertar emoções intensas em seus ouvintes. Outro fator importante, é que a cantora é do segmento indie (independente), e mesmo assim conseguiu atingir números expressivos. 

Uma das músicas de maior sucesso do álbum Sinto Muito.


No Brasil um artista indie que produz de forma independente possui algumas dificuldades para lidar com o mercado fonográfico. Em um bate papo conosco, a jornalista Debora Roberta descreveu que o indie é um cenário que no campo brasileiro vem caminhando de forma lenta, além de ser bem limitado. Mesmo assim não deixou de revelar nomes fortes. Em qualquer situação existe pontos positivos e negativos. Debora diz que no indie existe uma maior liberdade de criação que não se tem no mainstream. No independente se consegue abordar diferentes temas, sonoridades e dessa forma o artista se torna mais livre para experimentar novos sons.   
 
Duda, em uma de suas entrevistas, revelou que tem vontade em também explorar o segmento pop. Após três anos do lançamento de seu primeiro disco, agora com seu mais novo trabalho intitulado “Te amo lá fora”, a pernambucana traz músicas mais dançantes. Porém, ainda sim ela não deixa as desilusões caírem no esquecimento, já que como a mesma diz “Sempre vou escrever sobre sofrência”. 

Meu Pisêro foi o single de estreia do álbum Te amo lá fora. 


Fato é, que Eduarda Bittencourt Simões conseguiu furar a bolha do independente e está se tornando cada vez mais pop. A cantora antes de iniciar seu primeiro projeto já visualizava que seria um sucesso e ela realmente não estava errada. Duda além de nos presentear com canções que geram um mix de sentimentos, também consegue oferecer uma estética visual harmoniosa em seus trabalhos. Sabendo o que quer e não tendo medo de expor suas vulnerabilidades, as pessoas ainda vão ouvir falar muito mais sobre Duda Beat.

 
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »