23/07/2021 às 15h31min - Atualizada em 23/07/2021 às 19h53min

Carreira musical de MARINA e sua crítica a Hollywood

Conhecida como Marina & The Diamonds iniciou a carreira em 2010 e passou por inúmeras transições criativas que deram vida ao seu maior sucesso, o "Electra Heart"

Beatriz Costa Rodriguez - editado por Larissa Nunes
Imagem de divulgação

Marina, conhecida como Marina & The Diamonds, é uma cantora galesa de indie pop que iniciou sua carreira em 2010 com o lançamento "Family Jewels", passando por inúmeras transições criativas que deram vida ao seu maior sucesso, o "Electra Heart". Em junho deste ano, a artista lançou o álbum chamado ‘’Ancient Dreams In a Modern Land’’ e um clipe da música ‘’Venus fly trap’’, fazendo uma crítica à indústria de Hollywood.
 

Marina Lambrini Diamandis, desde o começo de sua carreira musical usava o nome artístico ‘’Marina and the diamonds’’, fazendo um trocadilho com o seu sobrenome Diamandis para fazer uma homenagem aos seus fãs, como ela dizia: eu sou a Marina e vocês são meus diamantes.

Mermaid vs Sailor

Foi o primeiro CD que Marina lançou, com 6 faixas compostas apenas por voz e piano; esse álbum foi produzido por ela mesma sendo feito apenas 70 cópias que ela vendia na sua página do myspace.
 

Family Jewels

Em 2010 assinou contrato com a gravadora Atlantic ‘’records’’ e gravou o álbum ‘’Family Jewels‘’. Tendo como principais músicas: "Oh No!", "I Am Not A Robot", "Shampain" e"Hollywood"; as músicas tem uma pegada sonhadora, ideia de fama e alcançe dos seus objetivos, mesmo que recebam julgamentos.

Além disso, o projeto refletia muito o momento da vida da artista, pois era o primeiro álbum dela na qual queria ser reconhecida e bem sucedida. 
 

Electra Heart

No ano seguinte, foi lançado o ‘’Electra Heart’’, falando sobre sexualidade, críticas sociais, comportamentos humanos e feminismo. Marina criou para o álbum uma personagem inspirado na geração Tumblr, na ideia americanizada de mulher idealizada pelo American Dream (sonho americano).

A produção é uma mistura entre estereótipos, criando uma imagem infantilizada e angelical, mas ao mesmo tempo com um fundo obscuro. Suas principais faixas são "Primadonna", "Teen Idle", "Lies", "Hypocrates".
 

Froot

Já no ano de 2015, Diamandis apresenta um projeto diferente. Um álbum com pegada romantizada e emotiva misturando músicaS disco oitentista e electro pop. O nome Froot é uma referência a fruta que assim como Marina, a vida natural é amadurecer. Suas principais faixas são "Blue", "Can't Pin Me Down" e "Happy".
 

Nova era musical 

Após esse lançamento, a artista ficou fora do mundo musical por três anos para refletir sobre sua carreira e fazer algo que muitos cantores pop não fazem, que é desconstruir sua imagem comercializada e se reencontrar na música. Hoje em dia, ela não se apresenta mais como ‘’Marina & The diamonds'' e sim como apenas ‘’MARINA’, escrito em caixa alta para causar mais impacto, marcar o início de uma nova fase e como uma forma de encontrar a sua identidade enquanto artista.

E em fevereiro de 2019 "MARINA" estreou o seu novo álbum duplo — Love + Fear contando com visuais etéreos e figurino de influência greco-romana. Também a produção conta com uma equipe de produção inteiramente feminina e trata de temas sociais atuais, tais como o feminismo e a defesa das minorias.

 

Ancient Dreams in a Modern Land

A obra musical estreada no dia 11 de junho de 2021, é sobre ultrapassar as nossas dores, socialmente analítico, denunciando os pecados do presente e apelando para a apreciação do poder interno e a volta ao passado por autoconhecimento; se fundindo às temáticas repletas também de letras carregadas de sentimentalismo e montanhas-russas amorosas.
 

Crítica a indústria de Hollywood

Desde ‘’Family Jewels’’, Marina expressa sua forte opinião sobre a indústria de Hollwood. Na música com o titulo ‘’Hollwood’’, ela diz que a indústria infecta o cérebro das pessoas com ideia de ir em  busca do “American Dream” (sonho americano) que é vendida pelos filmes norte-americanos.

Clipe de Hollywood:



 

No seu último clipe lançado no dia 09 de junho, ela ressurge novamente falando sobre Hollywood na música ‘’Venus fly trap’’, que significa dionéia (uma planta venenosa). Marina faz uma crítica sobre a indústria musical que poda seus artistas e os transformam em máquinas de fazer dinheiro.

No clipe da música, a artista interpreta atrizes de vários séculos estando à evolução do padrão estético de beleza no audiovisual, desde o cinema mudo até o atual e fazendo também ao mesmo tempo um paralelo às fases de sua carreira.

Em algumas cenas, ela aparece usando uma camiseta com a frase “Harvey Weinstein foi para a prisão” em apoio ao movimento #MeToo. E por fim, Marina se manifesta explodindo o letreiro de Hollywood como símbolo de revolta.

Clipe de Venus fly trap:

 

A artista ao longo de toda a sua carreira musical, sempre tentou mostrar aos seus fãs sua verdadeira paixão pela música e não pela fama, pois a mesma nunca quis ser uma "estrela do pop". Pelo simples motivo de que dentro da indústria, muitos artistas se sujeitam a ser marionetes de suas gravadoras para conseguir se manter famosos e ganhando dinheiro, mas a prioridade de Marina é manter a integridade daquilo que acredita e a autonomia para definir sua arte através de sua música e sua imagem original.

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »