04/11/2021 às 21h42min - Atualizada em 27/10/2021 às 01h38min

O Movimento Funk no Brasil

O movimento surgiu com um propósito muito diferente destes que constatamos nas temáticas das canções atuais - funk ostentação ou o funk 150bpm

Flávia Pena - editado por Larissa Nunes
Imagem com a palavra FUNK com fotografias de favelas ao fundo. Fonte: Reprodução / UFes

O Funk é um gênero musical, que teve origem nos Estados Unidos com forte influência da Black Music, tendo como um de seus principais precursores James Brow. Inicialmente o funk apresentava características bem diferentes das que conhecemos atualmente. Ele chega ao Brasil na década de 1970. Tim Maia e Tony Tornado são os responsáveis por misturar o ritmo funk americano a batida da música brasileira. É nessa época que surgem os primeiros bailes funk na cidade do Rio de janeiro, mas ainda sobre muita influência do funk americano. Com músicas de batidas aceleradas e letras erotizadas, exclusivamente em inglês.

Foi somente no fim da década de 1980, que o produtor musical Fernando Luís Mattos da Matta, conhecido como DJ Malboro, incluiu a bateria eletrônica ao ritmo, e lança – o Funk Brasil – seu primeiro álbum, consolidando o funk nacional. As produções passam a ser inteiramente nacionais e as letras retratam o cotidiano nas favelas do Rio de Janeiro.



Com o crescimento dos bailes funk, ganha destaque uma figura muito importante para a difusão desse movimento - o MC, anacrônimo de Mestre de Cerimônias - ele ganha um papel fundamental nos bailes, pois além de se destacar durantes as festas, ele também começa a expressar todo seu orgulho e a retratar a vida dos moradores da periferia. A partir disso os moradores começam a se sentirem representados. 

nos anos 2000, o funk se torna extremante popular no Brasil, deixando de ser um som periférico e se tornando um som escutado pelas classes média e alta do país. Começou a ser tocado em boates, academias de dança, rádios e em trilhas sonoras de novelas. A produtora Furacão 2000 popularizou o baile funk em todo o Brasil e lançou grandes nomes do gênero, como o grupo Gaiola das Popozudas e os Hawaianos, sucessos da época. 

Nesse momento surge também as vozes femininas no funk, como a MC Tati Quebra Barraco com seu sucesso "Boladona" e "Sou Feia Mas Tô na Moda", a funkeira abriu caminho para muitas funkeiras atuais. 

Apesar do grande sucesso pelo país, ainda há uma grande discriminação por parte da sociedade. Pois é uma produção cultural vinda da periferia, e canta a realidade das favelas. Muitas pessoas começaram a associar o funk a drogas, violência e sexualidade sem limites. Porém sabemos muito bem que não é somente nos bailes funk que podemos encontrar esses tipos de comportamento. 

O gênero passou por diversas transformações ao longo dos anos, se tornando cada vez mais diversificado. As letras e as batidas ganharam uma nova roupagem. Hoje o funk ostentação ou o funk 150 bpm estão sempre entre os hits do momento. Dentre as variações do funk temos o funk de mercado, funk proibidão, funk ostentação, funk sensual e o funk melódico consciente. 

O Funk de mercado é aquele mais dançante, aquele que você pode assistir nos programas de TV, totalmente voltado para divulgação, um exemplo nos anos 2000, é o "Bonde do Tigrão", atualmente temos, Anitta, Ludmilla, MC Kevinho e vários outros. 

O Funk proibidão, é aquele que dificilemente você verá na TV, ele é aquele que retrata as realidades da perifieria da forma mais crua possível, temas como uso e tráfico de drogas, relação da população com a polícia, e violencias são o que compõe esse estilo de funk. Por falar de assuntos tão polemicos, geralmente é o mais discriminado. 

O Funk Ostentação, traz em suas letras um apelo muito grande aos bens materiais como, carros, roupas de marca, bebidas, joias, etc. Uma música que marcou muito esse estilo foi "Plaque de 100" do MC Quimê.

 


O Funk Sensual, descreve em suas letras muito erotismo e sedução. Assim como em vários outros estilos musicais, mas quase não se ver tanta polêmica como vemos com as letras do funk sensual; isso revela muito sobre o preconceito que existe contra o funk.

O Funk Melódico Consciente, é aquele que fala sobre alguns valores mais tradicionais, como fé, Deus, esperança e família. Alguns tem um apelo mais religioso falando sobre Deus, outros retratam o papel das mulheres, principalmente as mães solteiras. 

Ao concluirmos nossa viagem pelo mundo funk, só temos uma afirmação a fazer: O Funk é Cultura! O funk é uma manifestação cultural. Um som que é feito pela sociedade e para a sociedade. Para muitos jovens que vivem nas perifierias, o funk é o tão sonhado caminho para que eles possam mudar de vida. A maioria dos representantes do gênero, sairam de dentro dessas áreas. Artistas que representam o Brasil mundialmente levando o funk para fora, como Anitta, MC Kevin o Cris, MC Quimê, Ludmilla entre tantos outros, foram jovens que um dia já viveram a realiadade das periferias e conseguiram através do funk mudar suas vidas.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »