22/11/2021 às 19h06min - Atualizada em 22/11/2021 às 17h39min

A Usurpadora, uma nova versão do clássico

Série está disponível no Amazon Prime e conta com 25 episódios

David Cardoso - Revisado por Márcia Nascimento
A atriz Sandra Echeverría interpreta as gêmeas idênticas Paola e Paulina. (Foto: Divulgação/Televisa)
Conhece aquela frase: “Um clássico nunca é esquecido?”. Se você conhece, certamente vai se lembrar de um sucesso chamado A Usurpadora, mas desta vez não estou falando do sucesso de audiência produzido em 1998, protagonizado por Gabriela Spanic e Fernando Colunga, estou falando da nova versão do texto “La Usurpadora” de Inês Rodena, que estreou na Televisa em setembro de 2019.

Quando a Televisa anunciou a nova versão de um clássico adorado pelos fãs das tramas mexicanas tudo virou um alvoroço, afinal, expectativas foram criadas. Muitas especulações começaram a surgir: Quem interpretaria as gêmeas? O elenco original participaria da nova versão? A música de abertura permaneceria? O sobrenome “Bracho”, permaneceria? Coitados dos fãs que nunca tiveram os seus desejos realizados.

Tudo começou quando a produção da série decidiu “modernizar” o clássico através do projeto "Fábrica de Sonhos", que visa produzir novas versões de tramas de sucesso da emissora em formato de série. Na nova versão conhecemos a história das gêmeas Paola Bernal e Paulina Dória (Sandra Echeverría), separadas na infância. Tudo começa quando Paola Miranda, embora sempre tenha desejado ser a primeira-dama, agora que tem está neste lugar, não consegue se sentir feliz.


História 

A relação com o presidente Carlos Bernal (Andrés Palacios) é mínima, ela não suporta Emilio (Gérman Bracco), filho do primeiro casamento de Carlos, e mal consegue se relacionar com Lisette (Macarena Oz), a única filha que teve com seu atual marido. Ela também acaba de saber que Arcádia Rivas de Miranda (Ana Bertha Espín), não é sua mãe biológica.

Perturbada e querendo saber mais sobre sua família, Paola contrata um detetive particular que descobre um detalhe revelador: Olga Doria (Victoria Hernández), sua mãe biológica, tem outra filha, Paulina Doria. Ela é a irmã gêmea que a mãe decidiu manter quando as duas nasceram.

Essa descoberta motiva Paola a construir um plano, tão perverso quanto facilitador, para que ela possa deixar todos e começar uma nova vida junto com Gonçalo, seu amante. Ela procurará sua irmã gêmea e a oferecerá uma proposta para trocarem de lugar, em troca de uma atraente quantia que ela sabe que ajudará Paulina a resolver um problema de sua Fundação.


Produção

Na nova versão muitos pontos importantes foram deixados de lado para que a releitura pudesse atrair o público com as características marcantes de uma boa trama policial e dramática e não mais com elementos de uma “novela rosa”“La Usurpadora 2019”, foi produzida por Carmen Armendáriz, conhecida no México pelo programa unitário de terror “La Hora Marcada” que foi um estrondoso sucesso nas décadas de 80 e 90. Também produziu as novelas “Locas de Amor” em 2010, “Cásate Conmigo” em 2013 e as novelas “Yago” em 2016 e o recente sucesso “Te Acuerdás De Mi?”, todos os projetos realizados através da Televisa.

É importante mencionar que a série foi exibida pelo SBT de 6 de outubro a 5 de novembro de 2021, em 23 episódios, na faixa das 21h30, na tentativa da emissora de consolidar tramas adultas na faixa antes exclusiva para reprises de produções infantis do canal, mas a audiência não foi muito bem já que o público da faixa não estava acostumado a cenas de tiros e sequestros no horário, no máximo uma "briguinha" entre os órfãos do Orfanato Raio de Luz da novela Chiquititas.



Destaques

Se tem uma  coisa que a nova versão de A Usurpadora serviu, foi para mostrar que além de boas histórias a Televisa ainda possui bons atores no seu catálogo. Sandra Echevéria teve um desafio muito grande ao aceitar atuar na série: ser uma nova Paola Bracho. Conseguiu? Não! Ela se tornou a Paola Bernal que era necessário se tornar, sem comparações, ela entregou um dos melhores papéis da sua carreira, sem sombra de dúvidas. Paulina foi a personagem que todos esperavam, só que um pouco mais sofredora (só faltou o nome Maria nessa mulher).

Andrés Palacios conseguiu entregar um Carlos Bernal presidente, cheio de desafios em meio ao caos do governo. Para quem esperava uma Lisette pedindo uma fantasia de Mulher-Maravilha para a Paulina, desculpe, mas não vai encontrar. A filha mais nova da família interpretada por Macarena Oz, agora é uma adolescente que lida com as emoções do primeiro amor, enquanto sofre gordofobia por parte da mãe e da avó. Ainda falando dos filhos do Sr.Bernal, German Bacco deu vida ao Emilio Bernal, ou Carlinhos, para quem ainda não se acostumou com o novo nome, um jovem que tem como hobbie encher a paciência dos adultos e achar que está preso em Rebelde, mas ainda sim o German entregou uma excelente atuação.

É importante mencionar que todos do elenco se saíram muito bem, destaco: Arap Bethke que deu vida ao Facundo Nava, Daniela Schimidt que interpretou a assessora da presidência, Gema Vidal. Aurora Gil como a vilã descontrolada (que não pode faltar) Teresa Hernández, Juan Carlos Barreto que viveu o Manuel Hernández, braço direito da Paola nas suas armações, a primeira-atriz Queta Lavat como a Vovó Piedade que nessa versão já não grita desesperadamente pedindo Whisky, mas está bem mais esquecido do que a vovó da versão dos anos 90. Ana Bertha Espín deu vida a Arcadia Rivas, mãe adotiva de Paola e que sempre está preparada para soltar uma piada na hora errada. Montserrat Marañón que interpretou a melhor amiga de Paulina, Verónica Terán interpreta Juana a fiel governanta da mansão presidencial e Paco Rueda, o policial atrapalhado chamado Pedro, que esconde um segredo, são outros destaques da trama.

 
Trailer A Usurpadora | La Usurpadora. (Reprodução: Thony – YouTube)
 
Longe de ser uma história padrão dos dramalhões mexicanos a série possui um roteiro consistente, com uma direção impecável e facilmente faz você envolver com as maldades da vilã Paola Bernal e compadecer do sofrimento de Paulina Dória ao longo dos 25 episódios da trama, afinal, por mais que a versão de A Usurpadora de 1998 seja um clássico inesquecível, se fosse para fazer mais do mesmo, era só o SBT exibir mais uma reprise da novela de 98. A série está disponível pelo serviço de streaming Amazon Prime, com áudio original com função de legendas em português e vale muito a pena conferir.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »