20/01/2022 às 10h47min - Atualizada em 20/01/2022 às 10h37min

Brasil é o 5° país mais caro para se ter um carro zero

Pesquisa comparou o quanto o brasileiro precisa tirar de sua renda média anual para comprar e manter um veículo de fábrica

Pedro Lopes - Editado por Ynara Mattos
Créditos: CupomVálido.com.br

A plataforma CupomValido.com.br divulgou um estudo onde comparou o preço de compra e manutenção de um automóvel em relação à renda média salarial de cada país. O que tornou possível comparar o poder de compra da população de todo o mundo. Um dos resultados da pesquisa foi a 5ª colocação para o Brasil entre os países mais caros do mundo neste quesito. Os brasileiros precisam gastar 441,89% do seu rendimento médio anual para comprar e manter um carro zero.

No ranking de custos, o Brasil só está atrás da Turquia, onde a população gasta 652,29% do seu rendimento anual para ter um carro de fábrica. Argentina (515,77%), Colômbia (508,93%) e Uruguai (443,68%) fecham o grupo. Dentre o top 10, apenas Ucrânia e Rússia, na 6º e 8º posição, respectivamente, não são da América Latina.

Ainda de acordo com a pesquisa, entre os lugares mais baratos para se ter e manter um carro zero, está a Austrália. Líderes do ranking, os australianos gastam apenas 49,48% de sua renda anual para ter um carro zerado. Estados Unidos (54,87%), Dinamarca (60,34%), Canadá (64,40%) e Suécia (75,84%) fecham o top 5. 

Nos últimos anos o preço dos carros zero subiu consideravelmente no Brasil. Somente em 2021, o valor dos carros populares tiveram um aumento de 26,83% a 47,95%. A alta dos preços dos automóveis está relacionada a diversos fatores, entre eles a pandemia, que paralisou a montagem de veículos por alguns meses. Antes desse período, em janeiro de 2020, era possível encontrar um carro popular zero por aproximadamente R$35.000. Em 2022, já são pouquíssimas as opções na faixa de R$50.000. Atualmente, o Fiat Mobi é o carro mais barato do Brasil, custando R$49.949. No segundo lugar está o Renault Kwid, custando R$50.240

 

Segundo o Economista Hugo Passos, outro fator que agravou a alta no valor dos veículos é a escassez de autopeças, principalmente a falta de semicondutores. Eles são a matéria-prima para a produção dos chips usados na montagem dos veículos.
 

Hugo também destaca o aumento do preço das commodities  matérias-primas utilizadas para a manufatura de outros produtos   e a desvalorização do real perante o dólar como responsáveis pela alta do valor do carro 0 km.

O ano de 2021 foi marcado pelo aumento de preços das commodities, e algumas das principais matérias-primas para produção de automóveis são o aço, borracha, plástico e alumínio. As commodities são negociadas internacionalmente e cotadas em dólar, então a desvalorização do real também fez a produção do carro ficar mais cara”, explica o economista.

 

Confira a tabela com os carros mais baratos em 2022 no Brasil e lista dos custos por países:


 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »