11/07/2022 às 15h32min - Atualizada em 11/07/2022 às 14h34min

Beyoncé e o renascimento: O retorno musical causou euforia entre os fãs e rendeu especulações na internet

Depois de 6 anos sem lançar um álbum solo, a ex Destiny´s Child volta com algo diferente do que já havia feito antes

Maria Eduarda Gomes - Revisado por Flavia Sousa
Capa do álbum Renaissance (Fonte: Reprodução/Instagram @beyonce).

A cantora e compositora Beyoncé anunciou sua volta ao mundo da música com seu sétimo álbum de estúdio solo, o “Renaissance'', que será lançado no dia 29 de julho e terá 16 faixas. Através de seu site divulgou o ato 1 dessa obra, despertando curiosidade e excitação dos fãs, pois após muita especulação, ela finalmente confirmou que está voltando com uma nova era. Por ter anunciado um primeiro ato, acredita-se que virão duas ou mais produções por aí. 

 

O que Beyoncé fez foi novidade, pois seus dois últimos discos, “Beyoncé”, em 2013 e “Lemonade”, em 2016, foram lançados de surpresa. Divulgação, anúncio e data de lançamento são coisas novas para os fãs da diva, e é por isso que esse retorno está causando tanta repercussão e aumentando cada vez mais as expectativas. 

 

(Fonte: Reprodução/Vogue)

(Fonte: Reprodução/Vogue)

Beyoncé para a Vogue Britânica, edição Julho 2022.

 

Apesar de toda espera, Beyoncé sempre nos entrega algo diferente”, disse Juliana da Rosa, 22, escritora e fã da Beyoncé. “Nessa fase quero muitos singles, house music, conceitos dançantes e conscientes. Espero também que ela tenha mais aparições públicas, como programas de TV, que são coisas que ela não faz há mais de uma década.”

 

O estudante Christian Toledo, 22, também espera algo grandioso do Renaissance e tudo o que pode vir com o novo álbum. Ele disse que Beyoncé “vem com tudo mesmo, com os dois pés no peito”. “Minhas expectativas estão muito altas, porque ela revelou que vem trabalhando há 2 anos nessa obra. Ela pesquisou, foi atrás de novos sons e conceitos para trazer tudo à tona em 2022”, contou. A assessora dela, Yvette, também disse que vai trazer mais publicidade, diferentemente do aconteceu nas últimas eras.

 

A importância desse álbum e o que se especula até agora é que a cantora continuará trazendo pautas raciais em suas letras, mas dessa vez é diferente. Será menos enérgica e acadêmica, como fez com o Lemonade. Com o novo single ‘Break My Soul’, fica evidente que Beyoncé continuará falando sobre o povo preto, só que de uma maneira mais leve e divertida. O gênero “house”, lembrará a todos que foram os negros que começaram esse movimento, e não os brancos, como muita gente acha.

 

O modo em que a artista anunciou seu single também foi inovador: pela bio de seu Instagram. Não precisou postar nada e nem anunciar de maneira convencional. Após divulgar suas fotos para a edição de julho de 2022 para a Vogue Britânica, feitas pelo brasileiro Rafael Pavarotti, Beyoncé mudou a biografia de suas redes sociais, divulgando data de lançamento para ‘Break My Soul’, faixa 6 do álbum.

 

Print da página oficial de Beyoncé no Instagram.

 


 

A chegada de Break My Soul

 

A música estreou no Top 5 do Spotify Global. Nos Estados Unidos, sua estreia foi no Top 2. E o 1° lugar veio no Spotify Brasil, tendo 688.000 streams em 24 horas, sendo a primeira artista internacional a estrear no topo da nossa parada.

 

Foi um resultado muito bom para a texana, que trouxe um trabalho diferente do qual ela vinha trazendo. Em 2019, a artista lançou projetos paralelos, como o álbum The Gift, que fez parte da trilha sonora de seu filme musical ‘Black is King’ (2020), contendo uma narrativa parecida com a de ‘Rei Leão’ (2019), em que Beyoncé deu voz à Nala no live-action. A sonoridade foi recheada de afrobeats, e contou com colaborações de artistas africanos.

Leia mais: Beyoncé alcança marcas históricas com seu último projeto sobre as origens dos povos africanos 

 

Quando Break My Soul vazou e vi pessoas falando mal, fiquei com medo de não gostar. Ela trouxe algo bem diferente, uma vibe anos 80/90. Mas quando eu ouvi me apaixonei!”, disse Juliana. A escritora também mencionou o que achou da mensagem que Beyoncé trouxe na música preta e com pautas sociais:Ela tratou das demissões em massa que ocorreram nos EUA no começo de 2021, devido à insatisfação dos funcionários com suas empresas e salários baixos. É muito importante resgatar essa proposta de abordar problemas do país dela na música”.

 

Como os fãs enxergam Beyoncé além de sua obra

 

Para seu público, Beyoncé vai além do apreço pela sua arte, há uma identificação e inspiração nela. Em suas músicas, aborda situações cotidianas que abraçam as pessoas que escutam. Como em 2013, com o álbum que leva seu nome, trouxe críticas à indústria da beleza, e como ela afeta a autoestima das mulheres, levando-as às mesas de cirurgia. Ela abraçou aquilo e trouxe mensagens do tipo: “fique calma, você é linda do seu jeito”, “isso é um padrão criado pela sociedade”. 

 

Beyoncé em sua última performance, no Oscar 2022

Beyoncé em sua última performance, no Oscar 2022

Fonte: Geek Pop News.

 

Já no Lemonade, além da militância, Beyoncé transformou em arte a traição que sofreu do marido Jay Z, criando uma narrativa de como foram as fases de crise, raiva, amor e perdão. “E com isso ela se mantém relevante desde os anos 90. Sempre revolucionando e inovando, fazendo com que as pessoas se identifiquem com as situações que coloca em seus sons”, opinou Christian Toledo. 

 

Para o estudante, a artista tem um impacto muito grande em sua vida: “Quando eu me assumi uma pessoa LGBTQIA+, eu comecei a pesquisar mais sobre ela e como ela faz músicas em prol da comunidade. Então, pra mim, Beyoncé traz um ar de leveza. Eu ouço as músicas para me acalmar ou me colocar pra cima. Isso importa muito, ainda mais para pessoas como eu e para pessoas pretas, que passam por tanto preconceito”, revelou.

 

Para Juliana, não é diferente, pois ela começou a aceitar seu cabelo natural e a se sentir linda com ele, devido à Beyoncé. Em 2011, na época de seu 4° álbum de estúdio, o 4 (Four), a artista usava muitas laces crespas, cacheadas e com muito volume - que era um tabu naquele período. Então a fã, começando a se identificar, pensou: “Se ela usa e fica linda, por que não posso usar também?”

 

Além disso, monumental Lemonade foi eficaz entre as pessoas pretas, pois trouxe consciência, identificação e maturidade. Foi muito importante uma artista do tamanho de Beyoncé trazer assuntos provocantes, como a violência policial nos Estados Unidos. 

 

O que a artista tem a dizer sobre seu novo álbum

 

No dia 30 de junho, Beyoncé fez uma publicação em seu Instagram divulgando a capa do “Renaissance - ato I” e disse, em poucas palavras, o que esse trabalho significa para ela.

 

Criar este álbum me permitiu um lugar para sonhar e encontrar fuga durante um momento assustador para o mundo. Ele me permitiu ser livre e aventureira numa época em que pouco nos movíamos. Minha intenção era criar um lugar seguro, um lugar sem julgamento. Um lugar para se libertar do perfeccionismo e do pensamento em excesso. Um lugar para gritar, soltar, sentir liberdade. Foi uma bela jornada de exploração. Espero que você encontre alegria nestas músicas. Espero que inspire você a libertar sua peruca. Ah! E para se sentir único, forte e sexy como você é”, escreveu a artista.

 

Os fãs acreditam que Beyoncé virá ao Brasil em turnê, “principalmente se ela for se aposentar, como já indicou algumas vezes”, apontou Christian Toledo. Agora, “se ela quiser fazer algo maior que a ‘Formation World Tour’ (2016), acho que só acompanharemos pela internet novamente”, concluiu Juliana da Rosa. A última vez da cantora no Brasil foi em 2013, com sua turnê ‘The Mrs. Carter Show World Tour’.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »