20/09/2022 às 19h43min - Atualizada em 20/09/2022 às 19h43min

Febre do álbum da Copa chega até nas padarias

Pão do Parque, em Osasco, disponibiliza espaço para que cliente possa trocar figurinhas e driblar o alto valor dos pacotes

Paulo Octávio - Editado por: Nathalin Gorska
Banca em São Paulo já vende álbuns da Copa. Foto: Paulo Octávio/Lab dicas Jornalismo
Para entrar o clima de Copa do Mundo, o álbum de figurinhas faz com que o brasileiro já comece a se interessar pelo Mundial de seleções. E até empreendimentos comerciais aproveitam essa oportunidade para promover ações com clientes. 

A padaria Pão do Parque, em Osasco, nos domingos de manhã (das 9h às 12h), disponibiliza um espaço para que os fregueses possam conseguir novos cromos, trocar os repetidos e driblar o preço dos pacotes.  

"Fizemos uma reforma para criar um espaço mais interativo para os nossos clientes. Aproveitamos a época de Copa para deixar esse ambiente disponível para a troca de figurinhas. E também por que sabemos que o valor dos pacotes está um absurdo”, disse Fabiana Casselhas, uma das sócias. 

E ela tem razão. O livro normal custa 12 reais e a capa dura, R$44,90. O pacote com cinco cromos está na marca dos quatro reais, o dobro em comparação a 2018. Esse aumento supera a inflação e se fosse reajustado apenas o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), os pacotinhos custariam hoje R$ 2,61, e o álbum, R$10,31.  

Quem quiser completar o livro com as 670 figurinhas terá que gastar R$ 536, o corresponde a 44,2% do salário mínimo. Isso se o fã for sortudo e conseguir nenhum cromo repetido. É o maior valor desde 1994, ano em que o Real foi implantado (a moeda entrou em circulação no dia 01 de julho, três dias antes do jogo com Estados Unidos, pelas oitavas de final). Por isso, esses espaços são importantes para economizar e garantir o álbum cheio. 

O local destinado para a troca é uma espécie de arquibancada de madeira com três degraus e almofadas para que o cliente possa se sentar. Não é cobrado nada a mais para quem quiser frequentar. E, fora do horário das trocas, o ambiente também é “Instagramavel” como disse o Instagram oficial da padaria. Ou seja, qualquer consumidor pode ir até lá para tirar uma foto  e divulgar nas redes sociais. 

Fabiana diz que a ação proporciona um retorno positivo e as primeiras semanas tiveram um bom movimento. O que deve esquentar ainda mais após as eleições e as finais dos torneios nacionais e da Libertadores, que monopolizam as atenções de quem acompanha futebol. 

O álbum da Copa virou uma febre nacional e mundial. Até farmácias estão vendendo as figurinhas e a Coca-Cola disponibiliza alguns cromos em garrafas especiais.  

O cromo do Neymar é o mais valorizado e está sendo vendido pelo preço de nove mil reais na internet. E alguns fãs criaram um macete para descobrir quais pacotes são especiais. Estes têm um grama a mais que os comuns, e por isso alguns consumidores estão indo com uma balança para as bancas ou empreendimentos autorizados. 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »