25/09/2022 às 16h08min - Atualizada em 25/09/2022 às 15h35min

100 anos de rádio no Brasil: Hábito de escutar o rádio sobrevive em meio às transformações tecnológicas

Estudo destaca que 83% da população de treze regiões metropolitanas do Brasil ouvem rádio

Karina Cassimiro - Revisado por Vanessa Kelly
Aparelho de rádio (Foto:Reprodução/Pixabay).

A primeira transmissão de rádio aconteceu no dia 07 de setembro de 1922, no Rio de Janeiro, na época capital federal, em homenagem ao centenário da independência do Brasil para a veiculação de músicas e do discurso do então presidente Epitácio Pessoa.

 

Ao longo do anos, o rádio se tornou um dos principais meios de comunicação, levando cultura, entretenimento e informação. Com o avanço da tecnologia e a chegada da televisão, o rádio foi perdendo ouvintes, mas continuou se adaptando às ferramentas tecnológicas, sendo possível ouvir rádio através de computadores e celulares.

 

Após 100 anos, o hábito de escutar o rádio continua no cotidiano dos brasileiros. Durante a pandemia ficou evidente que a rádio tornou-se essencial para levar informações sobre a comunidade, notícias do Estado ou do país, sendo uma ferramenta utilizada não somente para ouvir músicas, mas também como uma companhia.

 

Dados do estudo Inside Rádio 2022, da Kantar IBOPE Media, mostra que 83% da população de treze regiões metropolitanas do Brasil, ouvem rádio, com aumento de 3% percentuais em relação a 2021. Em média, cada ouvinte passa 3 horas e 58 minutos escutando rádio, por dia.

 

Com o fim do distanciamento social e retomada das atividades após a pandemia, o consumo de ouvir rádio cresceu em locais fora de casa, como por exemplo no carro, que chegou a 30%. 

 

A pesquisa também mostra que com a evolução de consumo, 80% dos ouvintes ainda utilizam o aparelho de rádio comum, 26% em aparelhos celulares, 4% em outros equipamentos e 3% no computador. 

Outro ponto importante do estudo destaca que 56% dos ouvintes de rádio confiam no meio para se manterem informados.

 

Atualmente podemos dizer que a cultura radiofônica chegou em uma nova era. Após a criação das webradios, o podcast está conquistando espaço entre as mídias sonoras, mas ainda é cedo para dizer se esse tipo de consumo irá se fortalecer como o rádio.

 

Rádio e a educação popular

 

Com papel importante na comunicação brasileira, as rádios levam informação e cidadania para as comunidades onde o sinal da internet não chega ou famílias que não possuem televisão. Também criaram uma proximidade para que os ouvintes tenham o dia menos solitário comprovando que ainda tem fortalecimento como canal de comunicação. 

 

A radialista, Nataly Gomes, do programa Alô Bom dia na rádio educativa Rádio Arraial 100,3 fm, em Porto Seguro, começou na rádio trazendo boletins informativos e explica que quando assumiu o programa introduziu as Dicas da Tia Naty falando sobre estudos, livros, artesanatos e a prestação de serviços com o que as pessoas necessitavam. 

 

“No auge da pandemia notei que as pessoas estavam muito depressivas e a maioria perdeu a renda (maioria aqui em Porto e região são autônomos) e nesse meio tempo li uma matéria que me chocou muito: as crianças estavam sem estudar por falta de acesso à Internet… Ainda hoje uso a minha programação para levar conhecimento com contextualização de músicas e fatos históricos, aperfeiçoar o senso crítico das pessoas sobre os assuntos que são noticiados diariamente, informações sobre fake news, indicação de livros e principalmente levantar a auto estima das pessoas", explica.

Sobre a proximidade com a comunidade Nataly conta que sempre recebe muito carinho dos ouvintes que ligam para rádio e enviam mensagens parabenizando pelo trabalho. Ela lê uma das mensagens que recebeu do ouvinte.
 

“Naty, sempre que estou em trânsito eu ouço a rádio e acho a ideia de você explicar o significado dos feriados excelentes. Eu não sabia o porquê da confecção dos tapetes em Corpus  Christi. E também as músicas  que você coloca para harmonizar a nossa alma é edificante.  No corre corre da vida cheia de atribulações é tão bom ouvir estas músicas. Acalma a nossa alma. Bjs. Parabéns” ,finaliza.


Curiosidades

Além do centenário da primeira transmissão de rádio no Brasil, o mês de Setembro também tem outras celebrações relacionadas ao rádio: o dia Nacional do Rádio é comemorado em 25 de Setembro em homenagem ao nascimento de Edgard Roquette-Pinto, considerado o pai da radiodifusão no Brasil e também fundador da primeira emissora oficial de rádio do país, a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, atual Rádio MEC. Com objetivo de recuperar a memória sobre a Rádio Sociedade, a FioCruz criou um site com acervo e informações.
Nova sede do estúdio da Rádio, com Beatriz Roquette-Pinto ao microfone.

Nova sede do estúdio da Rádio, com Beatriz Roquette-Pinto ao microfone.

(Fonte:Reprodução/Acervo FioCruz).

Formulário preenchido por um ouvinte sobre o relato de qualidade de transmissão.

Formulário preenchido por um ouvinte sobre o relato de qualidade de transmissão.

(Fonte:Reprodução/Acervo FioCruz).

 

Outra celebração é o Dia do Radialista, comemorado em 21 de Setembro, em referência a data que foi decretado a lei para o piso salarial. Porém, desde 2006 o Dia do Radialista é oficialmente comemorado no dia 07 de Novembro, data que foi sancionada a lei nº 11.327 em homenagem ao compositor e radialista Arly Barroso.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »