14/12/2020 às 11h02min - Atualizada em 14/12/2020 às 10h50min

Resenha: Documentário Papa Francisco: Um Homem de Palavra

Considerado o novo santo do século XXI, o primeiro Papa da américa latina mostra seu trabalho humanitário.

Igor Guedes - revisado por Jonathan Rosa
Papa Francisco acenando no Vaticano (Foto:ETTORE FERRARI / EFE)

O documentário do diretor Win Wenders, Papa Francisco: Um Homem de Palavra, lançado em 2018, relata a missão do pontífice como líder religioso pelo mundo. E mostra a visão do Papa sobre problemas de desigualdade social, meio ambiente, justiça e o apelo de paz entre as nações e religiões. 

Na minha opinião, esse filme, deveria ser assistido não apenas por católicos, mas sim por qualquer pessoa mesmo que não tenha religião. Já que enfatiza questões atuais e problemas sérios e mostrando o lado humano do Papa Francisco, que vão muito além de temas religiosos.
 
O documentário traz uma grande reflexão para o pensamento coletivo, e mostra que toda ação que o ser humano realiza no mundo, traz uma consequência não apenas para si mesmo, mas para inúmeras pessoas.

Há muitos anos o ser humano discute sobre fé e religião, porém não sabiam até onde isso impactava a sociedade em que vivemos. O Papa Francisco definitivamente não é apenas um líder religioso, mas, sim um líder político, já que o papel que tem feito nos últimos anos é a tarefa que muitos presidentes deveriam fazer pela população.

Você se engana se acha que o nome Francisco é apenas de um santo, e por isso o pontífice o escolheu. São Francisco de Assis olhou para a humanidade com fraternidade e amor, queria o bem comum de todos, abdicou de suas riquezas em nome dos pobres e tornou-se um grande líder. Segundo o diretor do longa, o mundo precisava de uma direção, e por isso Jorge Mario Bergoglio escolheu esse nome, pela coragem e humildade e verdade do Francisco. 
                                   

.                                     
           “O mundo de hoje, em grande parte é um mundo surdo”                                                                                                                      Papa Francisco

O pontífice assumiu o cargo em 2013, sucedendo ao Papa Bento XVI, que abdicou ao papado naquele mesmo ano. O novo papa trouxe em sua bagagem novas ideias e mudanças para Igreja Católica, e sendo o primeiro Papa da América Latina, muitas pessoas tinham grandes expectativas de como seria o seu papado.
 
Ao assumir o cargo trouxe proximidade entre sacerdotes e as pessoas comuns, além de crítica a falta de capacidade de ouvir e ver, quando ele diz: “O mundo de hoje, em grande parte é um mundo surdo”, se refere aos sacerdotes da igreja que não conseguem se aproximar da população. 

O Papa Francisco começou a ouvir mais os cidadãos comuns, ver as dificuldades que passavam, se tornou uma figura pública acessível, admirável e quebrando velhas barreiras entre a igreja e as pessoas. Durante seus anos no comando do Vaticano, já visitou vários países e líderes políticos. Além disso discursou no congresso norte-americano, sobre a questão da violência e refugiados no país. E sempre usando uma das suas maiores armas: a palavra.



     Trailer Oficial do documentario 'Papa Francisco: Um Homem de Palavra' (Reprodução: Universal Pictures Portugal/ You Tube)

Sempre aberto ao diálogo, argumentou para que o país acolhesse os refugiados e suas famílias, após o mundo todo acompanhar os Estados Unidos fechar as fronteiras para os imigrantes. Pediu também para encerrar a venda de armas.

O 266º Papa, também visitou Israel e a Palestina, e encontrou com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, rabino Abraham Skorka e o imã Omar Abboud. Ele convocou a paz entre as nações e diferenças religiosas, pregou o respeito. E o filme relata muito bem essas questões, demostrando que nós podemos conviver pacificamente apesar das diferenças.
 
Francisco crítica duramente o fato de que parte da população vive com muita riqueza e a outra vive na pobreza. Esses fatores criam muita desigualdade no mundo e ele proclama por um lugar com mais oportunidades para os pobres, seja na educação, moradia e alimentação. 

Os mais humildes pagam um alto preço pela incompetência e ignorância humana e a cultura do descarte desenfreado de lixo, que além de prejudicar diversas famílias na qualidade do ar e poluir onde vivem, traz ruínas sem precedentes para a mãe natureza. O papa enfatiza que ela é uma das mais machucadas no planeta, e cobra por consciência e mudanças de hábitos para gerar menos impactos ambientais e climáticos no mundo.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »