12/09/2022 às 13h15min - Atualizada em 12/09/2022 às 12h40min

Humor VS Ofensa: até onde a liberdade de expressão pode chegar

Entenda como certas “piadas” podem ofender e até mesmo intensificar a segregação no país

Vitória Barbara - labdicasjornalismo.com
Humor vs Ofensa. (Foto: Reprodução / NRC.NL)

Com o passar das décadas, a evolução do humor chegou a acompanhar as modas populares e hoje faz parte da cultura pop. Seu principal objetivo é fazer as pessoas rirem, servindo como uma maneira de esquecer por um momento os estresses provocados pela vida rotineira.

No início da história do humor, datado com mais de 100 anos, o humor servia como alento para as pesadas notícias dos jornais impressos diários e suas tipografias em preto e branco.

Atualmente, as redes sociais se tornaram um dos principais veículos para a propagação do humor e com isso, o julgamento daquele que disse algo aparentemente condenável vem rápido. O coletivo que se torna o responsável pela condenação e não os tribunais.

A internet permitiu observar que, nos últimos anos, algumas “piadas” se tornaram ofensivas e ilegais. Mas se alguém emite uma certa opinião ou faz determinada piada deve ser "condenado"? E mais: isso pode interferir nas visões que cada um tem sobre o outro?

A resposta não é uma das mais simples de se responder, no entanto, ao menos em nossa constituição, a liberdade de expressão é garantida. A liberdade de expressão é assegurada no Artigo 5º da Constituição Federal do Brasil, que diz que “é livre a manifestação de pensamento, sendo vedado o anonimato”. e no art. 220 que veda “toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.”

É de concordância comum que todos os indivíduos devem ter o direito de se expressar independentemente de credo, opinião política e ideologias. No entanto, há aqueles que acreditam que qualquer manifestação ofensiva e opiniões que sejam consideradas “discursos de ódio” não devam ter espaço na sociedade moderna. Sejam em formas de piadas ou manifestações em festas de música.

As indagações do humor são levantadas quando as ofensas em forma de piadas são direcionadas a grupos, principalmente as minorias, que comumente são perseguidas. Existem temas recorrentes no humor brasileiro, assim como alguns humoristas tem os seus alvos preferenciais, mas em alguns casos, o bom senso não é prevalecido.

Quando isso ocorre, o humor tende a entrar em conflito com o que chamam de politicamente correto, exigindo uma maior preocupação com expressões consideradas ofensivas, o que acaba por fazer com que seus autores possam se encontrar envolvidos com processos judiciais em razão de seus exageros.
 
O Humor exacerbado e suas consequências


Tira do Jornal

Tira do Jornal

(Foto: Reprodução / Iba Mendes Pesquisa)


Para se ter uma melhor compreensão do que é o humor exacerbado e de que forma ela influencia na criação das relações no Brasil, é necessário trazer duas definições: o que é o humor; o que é exacerbado.

Como dito acima, o humor conta pequenas histórias com a intenção de provocar risos. Através de piadas, essas histórias são elaboradas para chamar atenção dos ouvintes ou leitores – sejam elas boas ou ruins, engraçadas ou tristes, ainda continuam sendo piadas. O que caracteriza uma piada ruim é quando ela não consegue cumprir com o seu objetivo: fazer rir.

Já em relação a palavra exacerbado, de acordo com o dicionário Priberam, é definido como “aumentado, exagerado”. Logo, o humor exacerbado é aquilo que possui uma tendência exagerada de algo que se avalia cômico, engraçado. Portanto, podemos implicar um humor além do que é considerado normal.

A falta de bom senso comunitário leva, muitas vezes, os indivíduos a exagerarem e julgarem humor com falas que outras pessoas podem achar que não são piadas. Segundo Leandro Antônio de Almeida, um dos organizadores do projeto “Além do riso” para o portal Diário da Manhã: “a consciência sobre os efeitos sociais de estereótipos negativos de classe, gênero, raça e orientação sexual têm levado tal humor a ser percebido cada vez menos como engraçado na esfera pública”.

Ofensas em formas de “piadas” – humor “negro”


Humor vs Ofensa - também bullying.

Humor vs Ofensa - também bullying.

(Foto: Reprodução / Pulse Headlines)


Ao se buscar uma definição mais exata sobre o humor “negro”, obtemos o resultados que ao juntá-los temos a seguinte definição: humor associado ao sarcasmo, ao riso em situações de tragédias, preconceitos e entre outras questões.

De acordo com o Igor Gomes em um artigo escrito para o portal Cabelo Afro, o próprio termo é racista. “Podemos dizer hoje que o termo não nasceu racista, mas que tornou-se, devido às imposições negativas que o termo ‘negro’ recebeu ao longo dos anos, seja de parte de donos de escravos ou de racistas mais contemporâneos a nós”, aponta Igor.

No Brasil, o dito humor negro se manifesta de uma forma preconceituosa que ofende gratuitamente todo o tipo de minorias, sejam elas as pessoas gordas, indígenas, população LGBTQUIA+ e, claro, os negros. Para tentar amenizar o peso que o termo carrega, muitos sites definem este tipo de humor como ácido, tentando trazer a palavra “negro” apenas para retratar o contexto histórico.

As ofensas, sinônimo de afrontas e insultos, ao serem colocadas em formato de piadas podem gerar uma maior disseminação de visões preconceituosas a respeito de uma pessoa ou de um grupo que ela faz parte. Isso acaba permitindo que mais pessoas reproduzem estes discursos e naturalize ainda mais as piadas que provocam as pessoas.

Existem inúmeras piadas de humor ácido, mas elas não serão listadas para evitar a disseminação delas.

Limites do Humor no Brasil e a liberdade para expressá-lo


Limites do humor.

Limites do humor.

(Foto: Reprodução / O Gajo que diz coisas, número 66)


Compreende-se que é complicado definir os limites de direitos em um país que se diz democrático. A discussão sobre haver ou não limites para o humor é bastante delicada, afinal, ela passa por conceitos subjetivos e se torna difícil de encontrarmos modos mais objetivos para fazer tal julgamento.

Se por um lado o humor pode ajudar as pessoas a passarem por momentos divertidos, por outro lado, muitas vezes ele pode fazer com que pessoas se sintam expostas. Um exemplo clássico é o bullying, muito comum em escolas. Então, se para algumas pessoas estão se divertindo “fazendo humor”, outras podem chegar a desenvolverem crises existenciais.

A partir do momento em que uma pessoa se machuque ao ouvir determinadas piadas, ela pode sim, recorrer a medidas judiciárias. A legislação brasileira permite que um indivíduo que se sinta ofendido por determinadas piadas, possa mover um processo contra o autor, principalmente, quando se trata de questões relacionadas à religião, à sexualidade, à raça ou ao gênero, já que se tratam de temas que possuem proteção legal.

Ao mesmo tempo, no entanto, ao falar sobre limites do humor é possível ferir a chamada “liberdade de expressão” e é nesse contexto que muitas vezes quando se aborda sobre essas barreiras, algumas pessoas acreditam que não devam existir.

É necessário lembrar que quando uma “piada” viola a intimidade, a vida privada, a imagem ou a honra de uma pessoa, torna-se um crime, incentivando discursos ofensivos ou discriminações que não podem ser aceitas pela sociedade. 

Leia mais sobre Humor, clicando aqui.



 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »