03/04/2022 às 22h16min - Atualizada em 03/04/2022 às 20h13min

Stand-up Comedy Católico: humor e religião combinam?

Comediante fala sobre desafios de evangelizar através do humor

Robeson Dantas - Revisado por Flavia Sousa
Yves Justino em apresentação no teatro Riachuelo, Natal-RN. (Foto: Felipe Medeiros/ Arquivo Canal pão Nosso).

Muito se discute sobre a visão engessada da religião quando se trata dos dogmas e preceitos da tradição, existe até uma expressão popular que diz “com Deus não se brinca”. Mas será que é possível fazer piada com religião sem ser desrespeitoso? Yves Justino, humorista católico, se divide entre o curso de pedagogia, o trabalho com lettering, música e humor católico e relata suas experiências dentro dessa tendência que vem sendo inserida no cotidiano de muitos religiosos: o Stand-Up Comedy católico. É possível fazer humor com situações da Igreja católica e manter o respeito aos preceitos cristãos?

Sem dúvidas, há um limite entre o humor e o desrespeito, e esse é um dos desafios que muitos comediantes enfrentam a fim de arrancar risos da plateia. E se tratando de um público tão peculiar, e com um tema ainda tão delicado, como a religião, esse desafio torna-se ainda maior.

Yves iniciou as vivências com humor dentro da igreja, primeiramente no teatro, que tinha objetivo de criar peças de humor para o público, sobretudo jovem, católico, as peças abordavam desde as temáticas mais simples, como as mais complexas como uso de drogas, criminalidade, tudo voltado para evangelização.


 




Anos depois, com a criação do Canal Pão Nosso, Yves iniciou junto ao grupo um trabalho dentro do youtube realizando esquetes de humor com foco na evangelização. E foi a partir desse momento que surgiu a ideia de ingressar no mundo do stand-up comedy.

“Eu fiquei adiando isso por muito tempo até que surgiu um convite de uma amiga para realizar um stand-up. Então, com o prazo de uma semana para o evento que ela convidou, tive que criar o texto e fui na coragem, fazendo uma apresentação de pouco mais de trinta minutos, o que no stand-up é considerado uma apresentação longa. Quando eu fiz essa primeira apresentação e postei sobre ela, começaram a surgir outros convites e isso já dura seis anos.”
 
Humor e religião se misturam?
O ator e humorista acredita que o artista, em qualquer linguagem da arte, não deva sofrer com limitações em sua criatividade, mas é responsabilidade dele entender a linguagem que está usando e principalmente para que público ele está transmitindo sua arte.
 
“Para além de todas as questões dogmáticas, religiosas e doutrinais, eu penso sempre o lugar no qual estou exercendo o meu humor e o público para o qual estou exercendo. Então, isso me faz ter uma postura de compreender que algumas coisas não dizem respeito a esse espaço e a esse público. Qual o objetivo da minha arte? Qual o objetivo de fazer o stand-up? Fazer as pessoas rirem, se divertirem, mas também se alegrarem por fazer parte daquele universo católico/ Cristão, e isso conduz muito o meu comportamento.”
 


 



 
Yves comenta que ao fazer piadas sobre histórias engraçadas com o contexto católico, procura fazer as pessoas felizes por pertencerem àquele espaço, isso faz com que ele faça o texto de maneira muito respeitosa, sempre considerando que aquilo pode edificar as pessoas.
 
Stand-up comedy católico no maior Teatro da América Latina
 
O que iniciou como um hobby, tomou dimensões grandiosas na vida do artista, sendo considerada por ele como um divisor de águas em sua carreira. Em 2019, foi realizado em Natal-RN, o I Festival de Humor Católico do Brasil (Pelo Humor de Deus) no Teatro Riachuelo, o maior Teatro da América Latina. O festival contou com a companhia de Teatro Cristo & Arte (Natal-RN), e os shows stand-up comedy de Fábio Borges (Rio de Janeiro – RJ) e Yves Justino (Natal-RN).
 
“Aquilo foi pra mim, uma oportunidade de levar o meu show para um público de quase mil pessoas, e isso foi muito legal, porque as piadas funcionaram, o público gostou e ao final do show fiz o pedido de casamento à minha esposa com o teatro lotado e isso foi muito marcante para mim”.
 



 



“É como se culminasse toda uma primeira etapa em minha caminhada. Existe um divisor de águas, depois de realizar esse show. Mesmo que para um público local de minha cidade, pude me posicionar como um humorista bom, realizar uma apresentação de qualidade e ter sido muito bem recebido pelas pessoas, isso marcou bastante a minha história.”
 
A expansão: ganhando novos espaços

Depois de um tempo realizando o show, somente em espaços católicos, surgiram oportunidades e convites de outros humoristas locais, que viram e conheceram Yves através da internet, e o chamaram para fazer um show num espaço secular (não religioso).
 
“Confesso que no começo, entrei em conflito, pensando se eu faria um show ainda falando sobre o cotidiano de um católico, ou se eu criaria um texto novo sem considerar esse universo. No final das contas, eu acabei levando a mesma temática... É claro que a linguagem muda um pouco, afinal estaria falando para pessoas que não são da igreja, mas eu continuo levando a ‘persona’ da pessoa da igreja, falando de coisas da igreja e da minha vida como um todo, como eu cresci em uma família católica e como foi participar da igreja e conviver em sociedade.”

 

O comediante católico aposta na ideia de que todo mundo tenha algum tipo de ligação, ou já teve alguma experiência, seja negativa, seja positiva com a igreja. Isso faz com que muitas pessoas acabem se identificando e aceitando a ideia.
 
Eu me surpreendi mais do que eu esperava, imaginei que o público pudesse ficar mais fechado a um humorista católico num espaço não religioso, mas pelo contrário, fui muito bem aceito e hoje faço shows em ambientes não religiosos, há quase dois anos e continuo abordando a temática religiosa.
 
As dificuldades em fazer humor nos dias de hoje
 
Além da linha tênue que existe entre a liberdade de expressão e a ofensa dentro do campo humorístico, outras dificuldades permeiam a vida daqueles que se dispõem a fazer sorrir, entre elas estão as constantes mudanças da sociedade que exigem uma constante atualização dos roteiros e textos e a falta de incentivo e valorização para quem trabalha com arte.
 
“Aqui em Natal-RN, o humor ainda é considerado uma atração muito limitada, porque faltam espaços para se apresentar, são poucos incentivos, o público ainda é resistente em acompanhar com assiduidade. Há muitos anos, nós humoristas locais estamos batalhando para que exista mais espaços de humor em Natal, mais casas de show de humor, então acredito que são esses os desafios que se colocam à nossa frente.”

Assista ao trecho do stand-up de Yves Justino no Festival “Pelo humor de Deus” no perfil do youtube do Canal Pão Nosso:
 

(Fonte: Reprodução/ youtube.com/paonossopn)



 
Yves comenta acerca da mudança no pensamento das pessoas dentro da Igreja, apesar de ainda haver críticas por parte de alguns religiosos mais tradicionais, a aceitação de maneira geral tem sido significativa o que está possibilitando difundir o seu trabalho para vários estados no Brasil inteiro.
 
“Dentro da Igreja, há ainda algumas resistências, mas isso já tem diminuído bastante. Hoje, eu já me apresentei em basicamente todas as grandes paróquias do Rio Grande do Norte, já viajei para outros estados, e isso mostra que pouco a pouco, o público está se tornando mais adepto a outras formas de evangelização e de descontração.”


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »