19/09/2022 às 13h24min - Atualizada em 12/09/2022 às 17h49min

Escadaria Cultural: espaço de resistência no centro histórico de Arraial d’Ajuda

Ambiente a céu aberto traz manifestações artísticas

Karina Cassimiro - Revisado por Vanessa Kelly
Escadaria aonde acontece a programação cultural (Foto: Reprodução/ Karina Cassimiro).

A Escadaria é um espaço público como via de acesso para o centro histórico em Arraial d’Ajuda, localizada ao lado do Santuário de Nossa Senhora d’Ajuda. É chamada popularmente como uma das escadaria da santa e tornou-se um centro cultural a céu aberto recebendo manifestações artísticas como: sarau, poesias, beat box, freestyle rap e a atração principal, que são as batalhas de MC’s organizado por moradores da região e frequentadores do local. 

 

A Escadaria Cultural tem programação semanal gratuita, no início contava com: “terça é delas” onde aconteciam atividades artísticas feitas principalmente por mulheres, “quarta do cinema” com exibição de filmes a céu aberto para comunidade, “quinta do trap”, “sexta do sarau” e "sábado Boom bap”, mas tiveram alterações e atualmente o “terça é delas” e o “quarta do cinema” não estão acontecendo. Nas quintas-feiras, a partir das 19:30 horas acontece a “batalha da escadaria” e aos sábados o “duelo de MC’s”. O sarau que ocorria na Escadaria Cultural acontece na conveniência Deck do Alto, também localizada no centro histórico de Arraial d’Ajuda, aos domingos a partir das 19 horas.
 

Imagem de divulgação do Duelo de MC’s. (Reprodução:@escadariaculturaldajuda - Instagram).


Em Fevereiro de 2022, aconteceu a assembleia de formação da Associação Cultural Hip Hop d’Ajuda, com o objetivo de promover a cultura Hip Hop em Porto Seguro. Até o presente momento, os organizadores continuam em desenvolvimento para conseguir pagar os custos do registro junto ao Cartório de Registro de Pessoas Jurídicas para iniciar a inscrição do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ). 

Recentemente a Associação Cultural Hip Hop d’Ajuda lançou uma rifa para arrecadação de fundos para manutenção dos projetos realizados na Escadaria Cultural, bem como manutenção dos equipamentos, limpeza e ajuda de custo para artistas da região se apresentarem na escadaria. Todos os projetos realizados pela associação na escadaria são gratuitos. 

A Escadaria Cultural resiste através do auxílio de moradores, da comunidade que participa dos eventos e dos organizadores que são responsáveis pelos equipamentos e programação cultural.

Foto de divulgação da Batalha da Escadaria

Foto de divulgação da Batalha da Escadaria

(Foto:Reprodução/ Escadaria Cultural Dajuda).

Hip Hop como patrimônio cultural imaterial
 

O Hip Hop é um movimento artístico e cultural, possui um estilo musical popular de resistência, surgiu nos subúrbios de Nova Iorque na década de 1970. No Brasil, o Hip Hop ganhou força na década de 1980. Quarenta anos depois, o município de Porto Seguro localizado na região do sul da Bahia, foi o pioneiro no Estado ao reconhecer a cultura Hip Hop e suas manifestações artísticas como patrimônio cultural imaterial através da Lei Municipal nº 1629/21, a fim de ser preservado e promovido no âmbito municipal. Sendo um importante passo na caminhada para a luta contra a discriminação e exclusão da cultura Hip Hop, assim como informa em seu artigo quinto “Fica proibido qualquer tipo de discriminação ou preconceito, seja de natureza social, racial, cultural ou administrativa contra a cultura Hip Hop ou seus integrantes”. Como fortalecimento de uma cultura nascida na periferia, a lei em seu parágrafo único determina o incentivo de rodas culturais, através das instituições de ensino.

O autor da lei, vereador Vinícius Parracho, explica que a ideia do projeto de lei surgiu a partir de observar o crescimento da cultura Hip Hop no município.

"O movimento é crescente no Brasil inteiro e que identifica tantos jovens, a gente achou interessante trazer essa realidade para o projeto de lei, até porque tem uma questão muito específica do Hip Hop, que é uma manifestação cultural que tem um estigma muito forte, então o reconhecimento como patrimônio cultural ele fortalece esse movimento, ele impede esse tratamento muitas vezes até violento do Estado de reprimir. Então, aqui a gente quis fortalecer e dar voz a esse movimento do Hip Hop", disse.

Em relação ao incentivo do fortalecimento da cultura Hip Hop e suas manifestações artísticas, o vereador conta que tem começado a acontecer apesar de não ser o que considera suficiente e que o Hip Hop está sendo utilizado como ferramenta educacional para trazer os alunos para dentro da sala de aula e também para ser trabalhado junto com as disciplinas básicas ofertadas nas escolas.
"O Hip Hop começou a ser introduzido aos poucos em eventos da prefeitura, inclusive na Festa da Santa que tiveram apresentações de Hip Hop com artistas locais no espaço da festa…Tiveram algumas situações semelhantes na Passarela do Descobrimento e a gente já conseguiu e está avançando bem no projeto de utilizar o Hip Hop como uma ferramenta educacional, como método pedagógico de trazer de volta os jovens, em especial os jovens dos últimos anos do ensino fundamental e médio porque tivemos uma evasão escolar muito grande por conta da pandemia", explicou.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »