27/09/2022 às 00h26min - Atualizada em 27/09/2022 às 00h02min

A Representação Feminina nos Filmes de Princesa da Disney

Bruna Pereira - Revisado por Vanessa Kelly
Cena do filme "Enrolados".
(Foto Reprodução/ Disney).

O universo das Princesas da Disney faz parte da vida de muitas crianças, principalmente das meninas. No entanto, o que para muitos é apenas filmes e desenhos infantis, na realidade é a representação de acontecimentos sociais de determinada época . 

Os filmes das Princesas podem ser divididos em três eras: a era clássica, a renascença e a moderna.


Na era clássica, temos: Branca de Neve (1937), Cinderela (1950) e Aurora de Bela Adormecida (1959). As três possuem características muitos parecidas: Branca de Neve é considerada a mais bela do reino, causando então inveja em sua madrasta, que por esse motivo planeja mata-lá. Então, para fugir de seu castigo, a menina foge para a floresta e lá ela faz inúmeros amigos animais e encontra os sete anões. 

Já Cinderela, é deixada sozinha com sua madrasta e suas duas irmãs postiças, após o pai ir viajar. Ela é obrigada a dormir em um porão sujo e escuro, e também faz amigos animais. Uma das diferenças mais marcantes entre as duas princesas é em relação ao trabalho doméstico. Para quem conhece as histórias sabe que ao chegar na casa dos anões, Branca de Neve limpa toda a casa, lava a louça, entre outros serviços domésticos, e para ela isso é um imenso prazer. Entretanto, para Cinderela, o trabalho doméstico é um castigo. Por isso, essa é a punição que a garota recebe da madrasta: limpar toda a casa. Com isso, ela é chamada de Gata Borralheira. 

A Aurora aparece dormindo em boa parte do seu próprio filme, sendo a princesa que menos tem tempo de tela nas animações da Disney. Mas a história dela não é tão diferente. A bela adormecida é vítima da vingança da vilã malévola, que a amaldiçoa após não ter sido convidada para sua festa. Então, aos 16 anos, a menina espeta o dedo em uma roca de fiar e adormece esperando o beijo de amor verdadeiro. Sendo essa a caracteristica em comum entre ela e Branca de Neve, pois ambas são libertas das suas maldições por um beijo de amor. E no final dos filmes as três são salvas por um príncipe (que geralmente está a cavalo).

Essas representações dos filmes não foram feitas sem nenhuma razão. Esse era o modelo de mulher ideal para época. Recatadas, delicadas e faziam tudo para agradar. A diferença citada entre Branca e Cinderela existe uma explicação. Na época que Branca de Neve foi lançada, a mulher perfeita era aquela totalmente dedicada ao lar, ao marido e as atividades domésticas. E na época da estréia de Cinderela, é quando começa a surgir a “era do ouro”. Nessa era, as tarefas domesticas começam a ser feitas com máquinas, como a máquina de lavar, por exemplo. E a mulher ideal da época é aquela que tem um marido capaz de lhe dar certos confortos. 

Leia também: Conheça a história do Universo Cinematográfico da Marvel e as lutas de direitos autorais de seus personagens (Parte 1)

Na era renascentista temos: Ariel de A Pequena Sereia (1989), Bela de A Bela e a Fera (1991), Jasmine de Aladdin (1992), Pocahontas (1995) e Mulan (1998), elas também são denominadas de princesas rebeldes. Elas são questionadoras e desejam mudanças. Ariel é uma típica curiosa, vive no fundo do mar, porém não sente que seu lugar é ali. Então, a pequena sereia sai em busca de uma forma de conseguir o que quer. A jovem não avalia as consequências de seu trato com a Úrsula para poder ir para o reino humano. Então, ela ganha pernas mas, perde sua voz. No entanto, o que ela faz é um ato de rebeldia, apesar de parte dele ter sido por amor. 

Com Bela acontece parecido, ela vive em uma pequena vila e sonha em sair dali para conhecer outros lugares do mundo. É uma leitora voraz e muito estudiosa. Em consequência do destino, o pai de Bela é capturado por Fera, e a garota para salvar seu pai se oferece como prisioneira no lugar dele. E vemos que apesar de estar presa no castelo da Fera, Bela não cedia às ordens dele e o confrontava com frequência. Distinguindo-se de Branca de Neve e Aurora, pois nesse caso quem é salvo por um beijo de amor verdadeiro é a Fera e não o contrário.

A representação de Jasmine e Pocahontas é bastante semelhante. Ambas questionam a decisão de seus pais acerca de seu futuro. Sobre com quem devem casar, por exemplo. Jasmine também procura entender a situação política de seu reino, e Pocahontas ensina a John como deve respeitar a natureza. 

Podemos descrever Mulan como a primeira princesa guerreira.  A jovem em um ato de coragem vai a guerra vestida de homem no lugar de seu pai que já tem a idade avançada. Mulan, representa uma mulher corajosa desafiando a si mesma e ao patriarcado, ao lutar de forma igualitária com inúmeros guerreiros.

No mundo real, nessa época acontecia a segunda onda do feminismo. As mulheres começam a protestar politicamente e a entrar no mercado de trabalho. Percebemos que nesses filmes as princesas não sonham mais com um príncipe encantado, mas sim em conhecer novos mundos, entender sobre o lugar onde vivem e lutar pelos seus ideais. E apesar de todas elas terem vivido seu "felizes para sempre”, o romance foi apenas uma consequência de seus atos.

Representações mais atuais

Já na era moderna temos: Tiana de A Princesa e o Sapo (2009), Rapunzel de Enrolados (2010), Merida de Valente (2012), Anna e Elsa de Frozen (2013) e Moana (2016). Nesta época, fica clara a mudança nos estúdios Disney. Tiana é trabalhadora e sonha em ter seu próprio restaurante. No filme fica claro que esse é seu único desejo, sua realização profissional.  Porém, Tiana acaba sendo enganada por Naveen, um príncipe falido que oferece a ela ajuda financeira. Para quem conhece a história, sabe que os dois acabam virando sapos por conta de um feiticeiro. E passando por muitos desafios juntos, eles acabam se apaixonando. Entretanto, quando finalmente eles voltam a sua forma humana, Tiana ao invés de ir embora com seu príncipe, ela prefere aceitar sua ajuda para abrir seu restaurante, lugar onde os dois passam a trabalhar juntos. 

Rapunzel, vive reclusa em uma torre desde que nasceu ao ser sequestrada por Mãe Gothel, a vilã da história. A garota sofre por sua insegurança, fruto das histórias que sua “mãe” a conta, de que o mundo é um lugar ruim e cruel. No decorrer do filme, após sair da torre com a ajuda de Flynn, Rapunzel começa a perceber que o mundo não é tão ruim assim, e acaba se apaixonando por cada descoberta. A jornada da jovem é chegar até as “luzes”, lugar que no final da história, ela descobre ser sua casa. Acontece com Rapunzel, o mesmo que aconteceu a Tiana. As duas acabam se apaixonando por seus parceiros no decorrer de suas aventuras.

Merida é a primeira princesa da Disney que não tem par romântico. Corajosa, ela desafia a todos para mostrar que não precisa de um companheiro para governar seu reino e ir atrás dos seus objetivos. O mesmo aconteceu com Elsa, ela vira Rainha de Arendelle sozinha e nunca demostrou interesses amorosos em ninguém. Fato que acaba incomodando muitas pessoas que chegam a questionar a sexualidade da personagem. Já sua irmã Anna, acaba sofrendo por amor, é enganada por um príncipe interesseiro e quase perde a vida. Mas graças a Kristofer (seu companheiro de aventura como Naveen e Flynn) ela sobrevive e com ele encontra o amor. Em Frozen, o relacionamento romântico não é o principal foco, mas sim o relacionamento fraterno entre Elsa e Anna.

Em Moana, temos o primeiro filme em que não há nenhum tipo de relacionamento amoroso que ronda a vida de princesa. Moana é um filme de princesa, mas também um filme de aventura. Enquanto atravessa o oceano em sua missão, ela parte também em uma viagem de autodescoberta.

As princesas dessa era, retratam as mulheres que buscam a independência. Elas trabalham, enfrentam seus medos, lutam por seu espaço, querem viver um relacionamento ou não, e isso passa a ser normal. Além disso, elas buscam conhecer a si mesmas. 


 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »