22/01/2020 às 10h30min - Atualizada em 22/01/2020 às 10h30min

Línguas indígenas brasileiras atualmente

São cerca de 6 mil línguas existentes no mundo todo e, dentro desse conjunto, 154 línguas são faladas no pelos nativos brasileiros

Luís Mário Miranda - Editado por Alinne Morais
Povos Fulni-lô. Foto: Mariana Florêncio

Quando o assunto é língua indígena, a primeira coisa que se pensa é que no Brasil, todos os povos indígenas falam Tupi, mas a diversidade de línguas nativas no nosso país, é imensa. São cerca de 6 mil línguas existentes no mundo todo e, dentro desse conjunto, 154 línguas são faladas no pelos nativos brasileiros. 

A língua de um povo, não serve apenas para a comunicação e interação social, serve também como identidade de cada um, particularidade que difere os povos, suas culturas e costumes. Revela a forma de compreender o mundo de cada povo. Por exemplo: A forma a qual os povos usam seus idiomas para descrever objetos, para descrever as paisagens e o seu cotidiano. As palavras expressam o modo de pensar construído por gerações. Resumindo, a língua também constrói a identidade e cultura de um povo. 

Os fatores que implicam na extinção de uma língua são: param de usá-la; só a usam em um número pequeno de situações de comunicação; deixam de transmiti-la de uma geração para outra. É o que vem ocorrendo com as línguas indígenas no Brasil. Na época da colonização, eram faladas mais de 1.300 línguas diferentes e muitas delas desapareceram com a imposição de outros idiomas e de costumes diferentes. Um bom exemplo é o dos indígenas que viveram no Nordeste, a mais antiga região de colonização do Brasil. Foi lá que surgiram os primeiros aldeamentos missionários, locais onde faziam a catequese: a conversão dos índios ao catolicismo e ao jeito de ser do colonizador. Nesses aldeamentos do período colonial, diferentes povos indígenas eram obrigados a viver juntos, sendo escravizados, maltratados e forçados a abandonar suas línguas. Mesmo com nessas condições, algumas línguas registram aos impactos que sofreram, é o caso do Ya-tê, falada pelos Fulni-ô, em Pernambuco

Índios Pataxós vivem no nordeste do Brasil. (Foto: Secretaria de Turismo de Porto Seguro) 


Por esses fatores, as línguas nativas de tribos indígenas brasileiras estão entre as mais ameaçadas de extinção no mundo, segundo uma pesquisa feita pela National Geographic Society e pelo Living Tongues Institute for Endangered Languages. As línguas nativas estão sendo substituídas pelo espanhol, o português e idiomas indígenas mais fortes, na fronteira entre o Brasil com a Bolívia e o Paraguai, nos Andes (Cordilheira dos Andes) e na região do Chaco (América do Sul). Ambas áreas são consideradas de alto risco para línguas nativas em extinção. Por exemplo: Menos de 20 pessoas falam ofaié e menos de 50 falam guató, ambas as línguas faladas pelos nativos do Mato Grosso do Sul, próximo ao Paraguai e à Bolívia. Nas proximidades do rio Guarapé, em Rondônia, onde apenas 80 pessoas falam uaioró

O historiador José Bessa Freire, diz que: A língua é arquivo da história, é a canoa do tempo, responsável por levar os conhecimentos de uma geração à outra". Com isso, entende-se que, a extinção de uma língua, leva consigo todo o histórico de um povo. Por isso que a preservação dos povos indígenas deveria ser maior no nosso país. Têm estados brasileiros que usam idiomas indígenas como língua co-oficial, como no Amazonas: São Gabriel da Cachoeira (nheengatu, tucano e baníua); Mato Grosso do Sul: Tacuru (guarani); Roraima: Bonfim (macuxi e wapixana); Tocantins: Tocantínia (Língua Akwê Xerente). 



REFERÊNCIAS

WIKIPÉDIA. Línguas indígenas do Brasil. Disponível em: <https://pt.m.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADnguas_ind%C3%ADgenas_do_Brasil>. Acesso em: 16 Jan. 2020. 

MIRIM. Línguas indígenas. Disponível em:<https://mirim.org/linguas-indigenas>. Acesso em: 16 Jan. 2020.




 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »