01/05/2020 às 12h46min - Atualizada em 01/05/2020 às 12h46min

Traficante de facção criminosa que comandava tribunal do crime foi preso em São Paulo

O criminoso conhecido como Jagunço era o responsável por metade dos tribunais do crime na zona leste de São Paulo

Rute Moraes - Edição: Giovane Mangueira
SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo)
Rafael Fernandes
A Polícia Civil prendeu, na manhã da última quinta-feira (30), um dos importantes integrantes da facção criminosa “PCC” (primeiro comando da capital). O homem de 29 anos é acusado de vários homicídios ocorridos na zona leste da capital de São Paulo. Ele foi preso na casa onde mora, no Jardim Adriane na cidade de Itaquaquecetuba, região metropolitana de São Paulo.

A Equipe de Intervenção Estratégica (EIE), 8° Delegacia Seccional de Polícia, investigava o suspeito há pouco mais de três meses. “As purações começaram a partir da interceptação, feita pelo Ministério Público, de um bilhete de integração do grupo, com ordem para atentado contra autoridades”, explicou o delegado Helio Bressan.

Segundo a Polícia, ele era uma espécie de “Juiz”, que dava as sentenças e executava as vítimas. Acredita-se que ele possa ter matado até 100 pessoas. “Jagunço” também planejava assassinar Rui Ferraz Fontes, delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo. Os agentes da EIE cumpriram o mandado de prisão, com auxílio de um helicóptero do Serviço Aerotático (SAT) da Polícia Civil. De acordo com o delegado Carlos Alberto da Cunha, o local foi cercado por policiais, que estavam de campana desde a tarde da última quarta-feira (29), até conseguir capturar o homem.  “A casa era de esquina, o que dificultava a ação policial. Além disso, durante a invasão, também tivemos que conter dois cachorros da raça pitbul. Tivemos a preocupação de levar um especialista e fizemos os cães consumirem uma salsicha com sonífero”, detalhou Cunha.
  
Segundo do delegado Helio 
Bressan, a ação foi pensada com o intuito de não haver feridos. “No dia anterior, nós recebemos a informação de que ele não se entregaria e revidaria qualquer ação policial. Então, planejamos toda a operação e conseguimos detê-lo sem que fosse preciso nenhum disparo dentro do imóvel, cumprindo o nosso objetivo”, contou.

 Na casa, estava apenas o criminoso, a esposa grávida de 7 meses e uma enteada de 5 anos. No momento em que a polícia chegou dentro do quarto, ele estava dormindo. Jagunço, um matador frio segundo as investigações e que colocava medo na comunidade, pegou a esposa grávida e usou como escudo, a colocou em sua frente. 

Logo após, o individuo se entregou, pois nenhum tiro precisou ser disparado. Ele levou a polícia até o local na zona leste de SP, onde os corpos dessas vítimas, teriam sido enterradas. Agora a polícia monta uma nova e grande operação, que vai envolver bombeiros e cães farejadores, nesta região. O criminoso confessou também, ser responsável pelo tráfico de zona leste de São Paulo. A Polícia Civil acredita que, a partir desta prisão, inúmeros casos de desaparecimento possam ser esclarecidos. As investigações prosseguem.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »