19/03/2021 às 21h14min - Atualizada em 19/03/2021 às 20h56min

Conheça Marcelo Queiroga, novo ministro da Saúde do governo Bolsonaro

Substituto de Eduardo Pazuello garante “construir um futuro melhor” para a saúde brasileira

Gabriela Pereira - Editado por Ana Paula Cardoso
REPRODUÇÃO: TONY WINSTON/MS
Na segunda-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) anunciou Marcelo Queiroga como novo gestor do Ministério da Saúde. Ele é o quarto a assumir o cargo de ministro desde o começo da pandemia do novo coronavírus, em 2020.

Queiroga é médico cardiologista e presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Sobre a decisão, Eduardo Pazuello, afirmou em uma coletiva de imprensa que: “Não é uma transição, é um só governo”.

NOVA GESTÃO

Apesar do que muito se especulou sobre a chegada de um novo ministro, a fala de Pazuello deixou explícito que o Ministério da Saúde não irá mudar a sua postura de enfrentamento à pandemia, como era o esperado.

O novo ministro declarou apoio ao uso de máscaras e admitiu o acontecimento de uma “nova onda” da Covid-19. “Temos que unir esforços com os secretários municipais de saúde, o Brasil tem mais de 5.570 municípios, (...) para que ações tratadas pelo ministro Pazuello sejam aplicadas e pôr fim a essa pandemia. No momento vivemos uma nova onda da pandemia, com muitos óbitos”, afirma o cardiologista.




Marcelo retomou a importância de algumas medidas básicas de proteção contra o vírus e afirmou: “A vocês eu peço uma oportunidade para construir um futuro melhor para a saúde pública do Brasil, levar uma palavra de alento para as famílias que perderam seus entes queridos, vítimas dessa doença miserável e outras que também afetam a população brasileira. Informar a população para que utilizem máscara, são medidas simples para bloquear o vírus, lavar as mãos. Vocês sabem disso, mas só para reafirmar”.

Existem muitas especulações sobre a nova gestão, uma vez que grande parte dos ministros do governo Bolsonaro têm posturas duvidosas em relação a alguns quesitos na pandemia, como o uso de um “tratamento precoce”, assunto que precisa ser mais amplamente discutido de acordo com o médico.

Queiroga também é defensor da vacinação contra a Covid-19, em vídeo publicado no Twitter, ele declarou que as vacinas são seguras e eficazes. "É preciso fazer com que a sociedade brasileira continue acreditando nas vacinas”, destacou.

Apesar de uma postura ao que se parece contraria a de Bolsonaro, a indicação para o cargo surgiu de uma amizade do médico com o senador e filho do presidente, Flávio Bolsonaro (Republicano). 

LOCKDOWN

Sobre o lockdown e medidas severas de isolamento, Eduardo Pazuello defendeu que: "Não podemos quebrar o país, a economia, não podemos ter um caos social e quebrar o fluxo de abastecimento, mas nós temos de fazer algumas restrições de movimentos”.

Marcelo Queiroga manteve uma postura semelhante e disse, em entrevista à CNN Brasil, que “esse termo de lockdown decorre de situações extremas. São situações extremas em que se aplica. Não pode ser política de governo fazer lockdown. Tem outros aspectos da economia para serem olhados”. 













REFERENCIAS
L.CRISTINA. “Lockdown” é palavra proibida no Ministério da Saúde. R7 PORTAL. 18 DE MARÇO DE 2021. Disponível em <https://noticias.r7.com/prisma/christina-lemos/lockdown-e-palavra-proibida-no-ministerio-da-saude-18032021>
 
B. Luis.Raio x da pandemia: O Brasil que Queiroga recebe de Pazuello. BBC NEWS. 16 de Março de 2021. Disponível em <https://www.bbc.com/portuguese/brasil-56414769 >

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »