22/03/2021 às 19h58min - Atualizada em 29/03/2021 às 19h35min

'The Marvelous Mrs.Maisel': mãe, dona de casa e comediante

Comédia ambientada na década de 50 narra a história de uma mulher que precisa se reinventar em meio as adversidades da época

David Cardodo - Revisado por Mário Cypriano
Foto: Reprodução/Amazon Prime
Disponível mundialmente por meio da plataforma de Streaming Amazon Prime, The Marvelous Mrs. Maisel narra a história de Miriam "Midge" Maisel (Rachel Brosnahan), uma mulher que foi educada para casar e cuidar da família na década de 50, porém vive um turbilhão de sentimentos ao se divorciar e dar início à carreira humorística. A série americana, escrita por Amy Sherman-Palladino (Gilmore Girls), estreou em 2017 e o sucesso foi tamanho que recebeu 20 indicações no Emmy Award 2019. 

Aqui temos uma protagonista com uma força incrível, que é um exemplo de representatividade para a sociedade. Em contrapartida ao período que a história se passa, especificamente no ano de 1958, a Midge é uma personagem que cresceu com uma educação “matrimonial” e precisou conviver por muito tempo com os costumes machistas e retrógrados impostos. A vida dela dá uma reviravolta, e ela tem que decidir, rapidamente, o que mais sabe fazer: se tornar uma comediante. É uma escolha inusitada para todos, exceto para ela.

A comédia é o pontapé da história e a representação feminina no gênero é um tanto quanto estereotipada, mas Mrs.Maisel vai utilizar o stand-up para uma outra questão: A REPRESENTATIVIDADE.
É bastante comum, na comédia, a mulher muitas vezes aparecer como eye candy ou manic pixie dream girl, expressões em inglês que basicamente indicam que a mulher só está ali para servir ao homem. Isso é uma contextualização histórica imposta às mulheres nas produções do gênero.

Talvez, antes da Sra.Maisel, o mundo já tenha experimentado outras comédias com mulheres fazendo humor no posto principal do enredo, como “I Love Lucy” (1951-1957), uma das mais aclamadas e populares sitcons do mundo, tendo como premissa as desventuras de uma dona de casa. Com apenas seis temporadas, a série foi reprisada por mais de 60 anos e tornou-se impossível falar de televisão sem que ela fosse mencionada.

Mesmo sendo uma série conceituada e difícil de esquecer, talvez “I Love Lucy”, devido a época em que a história foi produzida, peque na quantidade de cenas nas quais a protagonista realiza atividades domésticas. The Marvelous Mrs. Maisel consegue corrigir essas situações e mostrar a força da mulher realizando outras funções.

Midge consegue um apoio inusitado de uma “agente”, a personagem Susie Myerson (Alex Borstein), que trabalha no café em que Mirian realiza seus shows. Susie um dia propõe-se , disposta a se tornar sua agente, à missão de transformá-la em uma estrela. Cheia de humor e extrema sinceridade para com todos os que cruzam o seu caminho, sempre têm alguma piada pronta. É uma das melhores personagens da série e ouso dizer que entre todos os personagens, talvez seja a que mais tem química com a Midge.

Falar em representatividade feminina significa defender uma sociedade mais igualitária, buscar garantias de direitos e criar uma variedade de modelos que podem servir de inspiração para outras meninas e mulheres.
Ao entrevistar Mariana Pozatto, dubladora oficial da personagem Midge na versão brasileira, ela avalia a importância da série para o processo da representatividade. “Ela não se rende a um sistema de opressão e toma consciência do mundo em que vive e vai utilizando do humor como militância contra os absurdos”, comenta a dubladora. Mariana ressalta que o mais inspirador na jornada da Midge é a resiliência: “A capacidade de se reconstruir quando ela vê adversidades no mundo ‘cor-de-rosa’ e não abrir mão do que quer, além da adaptabilidade”.

A dubladora ainda conta que está ansiosa para trabalhar na 4° temporada da série, principalmente por conta do gancho deixado na temporada anterior. O novo ano da série ainda está em produção devido aos atrasos em decorrência da pandemia da COVID-19.

A séria aborda assuntos um tanto quanto polêmicos para a época: a exigência da família de Midge para que ela reate o casamento, pois eles tinham medo do que a sociedade poderia comentar, ainda mais trabalhando com comédia. Outra situação é a maneira como a mulher precisava agir no casamento: Midge e a mãe, Rose Weissman (Marin Hinkle), de forma alguma permitia que os maridos as vissem de forma natural, sem maquiagem.

Com uma narrativa original, The Marvelous Mrs. Maisel apresenta o cotidiano da heroína de maneira linear até o momento em que, de fato, ela pode ser considerada uma comediante de stand-up, mas em meio isso a personagem vai precisar lutar pela sua independência usando o humor como artificio.

Se você gosta de séries onde tudo pode acontecer, The Marvelous Mrs. Maisel, é a melhor opção, já que a comédia aqui não é tão previsível e as piadas inteligentes enaltecem o objetivo da personagem em ser um exemplo para outras mulheres que também desejam ser empoderadas.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »