25/06/2021 às 14h29min - Atualizada em 25/06/2021 às 14h15min

O sucesso de Torto Arado

Primeiro romance de Itamar Vieira Júnior protagoniza a luta e realidade social de quem vive no campo. O livro recebeu importantes prêmios e tem sido aplaudido dentro e fora do Brasil

Sheyla Ferraz - Editado por Andrieli Torres
Foto: Reprodução/Internet

O romance Torto Arado é narrado por duas mulheres, as irmãs Bibiana e Belonísia que viviam numa fazenda do sertão baiano. O livro enaltece a figura feminina, colocando não apenas como protagonista da história, como dando a ela o poder de narrar as situações descritas no livro. Isto é, justificado também pela observação que o autor Itamar Vieira Júnior faz, enfatizando o poder da mulher frente as religiões de matriz africana, por exemplo. Além da forte presença das mulheres em sua própria família e pela liberdade que a literatura lhe dá de se deslocar para o lugar do outro, como explica o escritor. 

A obra vendeu mais de 165 mil cópias, recebeu premiações importantes no Brasil e em Portugal – Prêmio Leya 2018, Prêmio Jabuti 2020 como melhor romance e Oceanos-Prêmios de Literatura em Língua Portuguesa 2020.  

O livro traz consigo voz de protesto contra o preconceito racial e latifundiário do Brasil. Deixando sair pelos poros a sede por mudanças para com um povo esquecido. 

A obra tem tido sucesso de crítica, sendo, hoje, a mais vendida e premiada no Brasil. O escritor é servidor público do Instituto Nacional de Colonização e Reformas Agrária, o Incra, há 15 anos. É geógrafo formado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), concluindo mestrado e doutorado nos Estudos Técnicos Africanos.



Sua missão de vida é a luta pela igualdade social, esmerando-se diariamente na resolução de questões para quem vive no campo, com ênfase na importância da atuação das políticas públicas. E embora as situações adversas sejam um fato, Itamar Vieira, se considera um “otimista incorrigível”, vislumbrando um futuro vitorioso para a sociedade brasileira. 

A experiência dele com as comunidades quilombolas e as comunidades Iúna, trouxeram sem dúvida, densidade a obra, como o próprio autor afirma. Ele se debruçou intimamente com quem vive no campo e acompanhou de perto o prélio dos latifundiários, dos indígenas e quilombolas. A realidade o fascinou até levá-lo a imprimir esta luta. 

Comentários de quem já leu o livro, são muitos, como: 

Torto Arado é uma das melhores coisas que já li, personagens fortes, marcantes, prende o leitor do inícioao fim... Nasce um grande escritor”. 

Li, gostei muito e até recomendei a pessoas que gostam de leitura. Os personagens e as circunstâncias são facilmente compreendidas e a trama aguça a curiosidade de uma forma muito significativa”. 

“É entusiasmante ver nascer um clássico. Torto arado é um livro fundamental”.

Mesmo com toda repercussão de sucesso do livro e dos planos de continuar publicando, Itamar disse em entrevista ao portal de notícias 'A Publica', que escrever é o que faz nas horas vagas, ainda que considere ser sua vocação primordial, ele se vê vocacionado ao trabalho como servidor, com o propósito claro de defender os direitos dos cidadãos rurais. 

Sobre projetos futuros: recentemente em entrevista, o escritor e servidor público, afirmou está em processo de construção da sua próxima obra.

Será um romance que tem como cenário o litoral do estado da Bahia e de uma comunidade que vive em torno de um mosteiro do século 17, construído por trabalhadores escravizados. Ao mesmo tempo em que a história se passa em uma época antiga, ela se aproxima do tempo atual, e as pessoas vivem nessa realidade, porém, muito ligadas ao passado. 

Itamar espera que os leitores de Torto Arado recepcionem também sua próxima obra. Enquanto o próximo livro não sai, os impactos e sucesso de seu primeiro romance, continua ecoando em nossos dias... 

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »