07/08/2021 às 21h49min - Atualizada em 06/08/2021 às 20h38min

Conheça a campeã olímpica, Rebeca Andrade, a “Daianinha de Guarulhos”

Após passar por três cirurgias no joelho e pensar em desistir da carreira, a ginasta olímpica conquista medalhas inéditas para o Brasil.

Pedro Ferreira - Editado por Maria Paula Ramos
Laurence Griffiths/Getty Images
Rebeca Andrade, de 22 anos é a primeira ginasta brasileira campeã em jogos olímpicos. Além de ser também a primeira atleta a conquistar duas medalhas numa mesma edição das olimpíadas, que esse ano está sendo realizada em Tóquio.

Medalhista em Tóquio

A atleta, nos jogos olímpicos de Tóquio, foi a primeira brasileira a conquistar o ouro, na ginástica artística feminina no último domingo (1º) ao marcar 15.083 na prova do salto.  A medalha de prata veio também ao som de “Baile de Favela” marcando 57,298 pontos na prova.

“Estou muito feliz, muito grata com todas as apresentações desde o primeiro dia e por ter finalizado tão bem agora com o solo. Ter levado mais alegria ainda para o Brasil, para todas as pessoas que torceram por mim, que acreditaram no meu talento, as que me conheceram agora também”, contou Rebeca, ao comitê olímpico brasileiro.

 
“Eu me senti incrível. Não me senti pressionada para nada, para ganhar uma medalha para o Brasil, para acertar tudo. Foi uma coisa muito natural, que só fluía. O fato de eu pensar assim me ajudou muito a ter os bons resultados que tive aqui”, completou.
Quem é Rebeca Andrade?
A paulistana de 22 anos nasceu na periferia, em Guarulhos (SP). Aos 3 anos, já sabia dar estrelinha. O pai de Rebeca nunca foi presente, e a menina foi criada por sua mãe, Rosa Santos, que é empregada doméstica. Rebeca andava duas horas a pé, com seus irmãos, para treinar no Ginásio Bonifácio Cardoso, na Vila Tijuco.

A atleta treinou por cinco anos, entre 2005 e 2010, no ginásio de Guarulhos com o projeto do município que atende crianças e jovens. Aos 9 anos a ginasta saiu de casa e foi treinar por um ano 
a convite do técnico Francisco, em Curitiba e seguir o sonho de torna-se ginasta.
 
Diante disso, a mãe da campeã olímpica recebeu diversas críticas por deixar sua filha sair tão cedo de casa. “Eu deixei que ela voasse atrás de um objetivo” disse ao Uol. Rebeca já fez três cirurgias no joelho direito, e no mesmo local o que levou a atleta em pensar desistir da carreira. A Ginasta voltou a treinar forte no início de 2020 e só veio a assegurar a vaga em Tóquio esse ano, ao vencer a prova individual Pan-Americano de Ginástica, no Rio de Janeiro, onde conseguiu a melhor nota entre as participantes.
 
“Daianinha de Guarulhos”
De acordo com o G1 a 'Daianinha de Guarulhos' treinou por 5 anos em um projeto social de iniciação ao esporte no Ginásio Bonifácio Cardoso.
 
"Essa menina, quando ela estava em Guarulhos, com 7 anos, a primeira vez que a gente viu a Rebeca a gente falou 'vai ser ela', sabe? ,disse à TV Globo.

Segundo a Mãe de Rebeca esse apelido veio quando tinha apenas 4 anos.Na época sua tia decidiu escrevera-la, em testes para novos atletas, e nesse dia que ela foi chamada de ‘Daianinha'.
 
Um vídeo que viralizou nas últimas semanas mostra Receba Andrade, aos 10 anos, com Daiane dos Santos e Laís Souza em 2009, assista:


 
*com informações: https://agenciabrasil.ebc.com.br/esportes/noticia/2021-08/rebeca-andrade-conquista-ouro-para-o-brasil-na-ginastica-artistica https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2021/07/29/apelidada-de-daianinha-de-guarulhos-ginasta-rebeca-andrade-comecou-a-carreira-treinando-em-projeto-social-da-cidade-na-grande-sp.ghtml
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »