01/12/2021 às 16h22min - Atualizada em 12/11/2021 às 21h32min

A influência da moda na sociedade

A moda é o espelho da sociedade e as passarelas são responsáveis por identificar as futuras tendências

Letícia Renata Leite - Editado por Flávia Pereira
Família Kardashian no Met Gala 2019 (Fonte: Reprodução/Divulgação/KylieJenner)

Por que as roupas de passarelas são consideradas tão “estranhas” pela sociedade? De fato, elas não são pensadas para serem usadas no dia a dia. A ideia principal é apresentar nos desfiles as tendências da próxima estação de forma artística, mostrando quais cores, tecidos, estampas, formas e acessórios estarão em alta nos próximos meses. 

Na prática, nem tudo que é visto nas passarelas é para ser usado. As roupas dos desfiles são inteiramente caracterizadas - como parte da moda conceitual, que é uma forma de comunicação utilizada pelos estilistas para expressar as ideias, a criatividade e os conceitos que apresentam aos consumidores no lançamento de uma nova coleção.

Segundo o estilista Theo Alexandre, criador e criativo da marca Thear Vestuário, "a passarela é o local mais experimental e tem uma licença poética para que uma roupa visualmente possa ser estranha. Ela dá liberdade para que as roupas não sejam dentro de padrões, inconformista. E depois cabe às marcas fazerem essas traduções para o comercial. Para a sociedade é mais complexo entender qual o movimento, qual a mensagem que está ali por trás”.

As tendências nascem por meio da relação entre sentimento, comportamento e influência. Que são geradas por resultados de pesquisas sobre cultura, nicho e público alvo; análises e buscas sobre os fenômenos sociais como: cinema, novelas, tecnologia e economia. As tendências analisam o passado e o presente, e dão sinais do que vai acontecer naquele período e o que vai interferir no consumo e no comportamento das pessoas. Todas essas tensões sociais e ambientais que vivemos nos últimos anos impactarão a maneira como iremos nos sentir e nos comportar por um tempo. 

“As pesquisas são antecipadas em até 5 anos. Uma possível cantora que está em evidência, um movimento político são processos que influenciam na construção da imagem da moda, e principalmente os movimentos urbanos, os jovens são responsáveis por influenciarem a moda, pela liberdade que eles têm. A pandemia trouxe as particularidades, onde surgiram tendências fortes sobre a roupa confortável e agora é possível ver a moda com o sentimento de sair da pandemia e voltando ao que era antes”, acrescenta Theo.

Essas buscas pela previsão do futuro da moda são feitas por um profissional que rastreia as informações e as filtram. O “cool hunter” ou “caçador de tendências” tem um papel de observar e criticar. Um pesquisador muito sensível que prevê a situação e as próximas tendências com base em comportamentos e eventos atuais. 

O que irá ser visto nas vitrines nos próximos meses é influenciado pelos desfiles de moda. Um exemplo claro disso, é o Met Gala deste ano, a socialite americana Kim Kardashian apareceu vestida de preto da cabeça aos pés. Apesar de se espalhar por vários memes no Brasil, a interpretação correta é que ao aparecer dessa forma, comprova o retorno de uma tendência, ou seja, o preto básico, que irá comandar a próxima coleção da marca Balenciaga. A outra tendência que podemos esperar é o retorno da nostalgia dos anos 1990, com uma pegada de looks divertidos e coloridos. 


A moda lê o que a sociedade está vivendo, a moda é sobre ouvir e olhar para fora. Às vezes, acabamos reduzindo demais o mercado da moda ao produto final. Claro, não é dever do consumidor refletir sobre toda a cadeia, mas é interessante entender como cada roupa tem uma história e como ela percorre o caminho até a vitrine da loja.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »