25/06/2019 às 07h53min - Atualizada em 25/06/2019 às 08h53min

As facetas do cantor Lucas Bê

Em entrevista exclusiva ao Lab Dicas Jornalismo o artista conta mais sobre sua trajetória

Jéssica Natacha - Jornalismo Cultural
Aos 21 anos, Lucas já prepara seu segundo álbum. (Foto: Reprodução / Rudy Ferreira)

Lucas de Santana Scocca, mais conhecido pelo nome artístico Lucas Bê, tem 21 anos. Residente em São Paulo, o jovem tem tudo para conquistar ainda mais espaço neste ano de 2019. 

Descobriu a paixão pela música desde pequeno, teve como inspiração os avós, as trilhas sonoras de videogames e músicas clássicas. O primeiro cover foi lançado em 2010, em seu canal do youtube, cantando o clássico Wherever Will You Go da banda de rock americana The Calling. O vídeo teve mais de mil e trezentas visualizações. 

A partir daí foi aperfeiçoando as técnicas vocais, fez aulas de violão, e dedicou-se inteiramente à música, redefinindo o estilo musical. 

Em 2017 lançou o primeiro álbum, "Hipergigante Azul", com 11 faixas e todas as composições originais, com selo independente, já disponíveis nas plataformas digitais Tratore, Deezer, Spotify, Itunes etc. 

O segundo álbum do cantor, “Meu Universo”, está em produção, a expectativa é grande e virão novidades boas por aí. 

Apesar da correria do dia a dia, Lucas concedeu uma entrevista exclusiva ao Lab Dicas Jornalismo. Confere ai! 
 

Lucas lançou o primeiro cover em 2010, cantando Wherever Will You Go da banda The Calling. (Foto: Reprodução / Rudy Ferreira). 

Jéssica Natacha – Quando descobriu a paixão pela música, quem foi a pessoa que mais te incentivou? 

 Lucas   Descobri a paixão muito cedo, desde pequeno eu tocava com meu pai e ele foi a pessoa que mais me incentivou, a minha mãe também sempre me apoiou, mas foi meu pai que me conectou com o violão e me fez apaixonar pela música. 
 

JN  Quando percebeu que tinha talento para a composição? 

 LB – A questão do talento é algo desenvolvido, da mesma forma que a gente aprende qualquer habilidade, seja matemática ou andar de skate, e eu comecei a desenvolver a composição com 11 anos. A primeira música que escrevi foi meio pro sertanejo, e na verdade eu nunca lancei, foi na época em que eu dei meu primeiro beijo e fiz pra essa garota a canção. 
 

JN – As suas músicas retratam os problemas sociais, o cotidiano e sentimentos guardados. Como falar de assuntos delicados sem causar má impressão? 

LB – É impossível você não causar má impressão a ninguém, e eu ainda toco pouco em relação a temas polêmicos, a pessoa pode não gostar da música e isso ajuda no modo como pensa sobre ela, mas eu escrevo livremente e tento não atingir de forma ruim as pessoas, mas transmitir uma mensagem positiva em relação ao que vivemos. 
 

JN – Em qual momento da vida percebeu que levaria a carreira adiante? 

 LB – Eu sempre quis ser músico, não fiz faculdade de música, mas até hoje é algo que almejo e pretendo ser músico profissional, eu quero isto desde pequeno. É um negócio que sempre foi meu, não pensei como levaria, mas pretendo continuar na caminhada. 
 

JN – Já pensou em desistir? 

 LB – Já pensei muitas vezes em desistir, porém continuei firme, e nos últimos dois meses tiveram fases boas na minha vida, estou me sentindo mais feliz, e pretendo não pensar negativo. 
 






















      O jovem busca crescer musicalmente e atingir um público ainda maior com seu trabalho. (Foto: Reprodução / Rudy Ferreira).

JN – Inspirações na música e na vida? 

 LB – Tudo na minha vida é uma inspiração para a música, porque tudo ao meu redor me influenciou sobre as composições que criei até hoje. E a inspiração da vida é meu avô, pai do meu pai, eu não gosto de ter um ídolo que eu não conheça direito, no caso do meu vô, eu sei o quanto ele é verdadeiramente incrível. 
 

 JN – Quais as outras paixões? Hobbys? 

 LB – Com certeza videogame e anime. 

JN – Qual a surpresa mais inusitada que uma fã já fez? 

 LB – Recentemente, lancei o single Girassol, que narra a história de um rapaz com pretensões de ajudar sua namorada que sofre de patologias psicológicas, e um estudante de pedagogia me procurou dizendo que estava desenvolvendo um trabalho com crianças e a música foi a que melhor se encaixava na mensagem positiva que ele queria transmitir, fiquei lisonjeado e super feliz. 
 

JN – Como está a produção do novo álbum “Meu universo”? Ansioso pelo lançamento? 

 LB – Estou ansioso sim, a próxima música será uma parceria bacana com uma pegada mais pop, diferente do que já se viu anteriormente. 

 
JN – Qual a sua perspectiva na música daqui a cinco anos? 

 LB – Meu foco é crescer musicalmente, tentar atingir uma quantidade maior de público, que hoje ainda é pequeno, mas sigo firme na luta diária, tentando alcançar meus objetivos na música. 

 
JN – E pra finalizar, defina Lucas Bê em uma palavra? 

 LB – Sensível (risos). 
 

Então, é isso, enquanto o álbum novo não sai, acompanhe as músicas do cantor já disponível nas plataformas digitais, link abaixo:  

 
Editado por Alinne Morais


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »