20/01/2022 às 15h32min - Atualizada em 20/01/2022 às 01h42min

Continue a nadar: a importância dos filmes de animação

Relatos mostram que as animações fazem parte da construção intelectual e emocional das pessoas

Luana Costa - editado por Larissa Nunes
Nemo e seu pai Marlim durante o filme Procurando Nemo. (Foto: Reprodução / Pixar).

Chorar com a morte do Mufasa, saber decoradas todas as músicas de Frozen e torcer para o tão esperado encontro de Nemo e seu pai Marlim são momentos clássicos da história do cinema. Momentos esses que marcam a infância de diversas gerações até hoje. Mas o que será que esses filmes têm em comum? São eles que contribuem para a formação do maravilhoso e infinito mundo das animações.

Os personagens carismáticos, os diálogos marcantes e as cores chamativas são peças fundamentais para que as crianças tenham através desses filmes uma forma rica de entretenimento. Assim, os longas animados se tornam um dos principais aliados dos pais na construção da imaginação e da criatividade infantil.

Porém, mesmo que muitos considerem os filmes de animações voltados para o público infantil, as mensagens presentes por trás dessas narrativas são responsáveis por cativar ainda mais os jovens que cresceram assistindo a esse gênero tão amado.

“Eu era aquele tipo de criança que preferia passar a maior parte do tempo assistindo desenho”, diz Patrício de Medeiros ao contar que as animações fizeram parte dos seus domingos em família, quando pequeno.

Com 20 anos, o jovem ainda se vê fascinado pela animação e com o que elas são capazes de fazer. Pela montagem dos filmes ser completamente gráfica, a liberdade para se criar personagens, situações e objetos sempre foi muito maior do que os filmes na presença de atores, mesmo sendo utilizados efeitos especiais, como o famoso CGI (Imagens Geradas por Computador).

 

Representatividade: Qualquer tema pode virar um filme


Lançado em 2021, Luca traz a história de um monstro marinho que sonha em viver entre os humanos. (Foto: Reprodução / Pixar).
 

Quando se trata dos filmes de animação, não se pode esquecer que, no início, os longas traziam como destaques as princesas da Disney, com a tão conhecida história do “felizes para sempre” e a disputa padronizada entre heróis e vilões. Com o tempo, a fórmula desses personagens foi sendo ajustada à diversidade e às situações comuns, mas com um toque de fantasia.

A quebra dos padrões e paradigmas no decorrer dos anos trouxe para a animação uma evolução significativa. Hoje em dia, os criadores têm muito mais liberdade para produzir os filmes e trazer discursões importantes que antes não eram abordadas pelo público.

Para Patrício, quando “temos medo do mundo, nos dá ansiedade de conhecer o desconhecido”. Por isso, ele faz questão de destacar Luca como uma de suas animações favoritas. Se identificar com um personagem ou situação é como se olhar no espelho e perceber que as animações são capazes de contar sobre histórias pessoais e que trazem conforto.

Assim como Luca, ao assistir ao filme Encanto, se torna nítido a percepção de inclusão dos personagens e do espaço em que convivem. O longa, que retrata a vida de uma família latina, consegue facilmente construir os pensamentos de aceitação e autoestima, visto que as redes sociais passaram a ser usadas como meio de compartilhamento de vídeos que mostram crianças se identificando fisicamente com os personagens, algo que antes não era visto com frequência.

 
O filme Encanto, lançado em 2021, faz sucesso com a representatividade dos personagens. (Foto: Reprodução / @manubaby03 - Instagram).
 

Lembre de mim

Além da representatividade, os filmes de animação são capazes de explanar os mais sinceros sentimentos de alguém e usados como um meio para valorizar os momentos familiares, que se tornam únicos e especiais. É o que conta Guilherme Bertoldo, de 20 anos.

Ainda quando pequeno, Guilherme costumava ir nas locadoras com seu pai para alugar filmes de animação. E apesar das infinitas opções, levar os DVDs de Toy Story para assistir em casa se tornou algo constante. Era o filme que despertava o melhor de sua imaginação. “Para mim, os filmes de animação conseguem sempre me levar para o mundo deles. É um mundo que a gente pode criar nossas fantasias, pode colocar os nossos sonhos, o que nos faz feliz”, diz o jovem.


Visão geral dos personagens no filme Toy Story 2. (Foto: Reprodução / Pixar).
 

Para Guilherme, essas narrativas também são cativantes em questões como a educação e valores. As ilustrações e os diálogos, além de entreter, serviam para que, desde pequeno, ele aprendesse a cuidar bem de seus brinquedos, respeitar e dar valor aos seus verdadeiros amigos e a tomar decisões importantes e responsáveis enquanto ficava mais velho.

Compartilhar a paixão pelas animações com pessoas especiais faz com que o gênero tenha um significado ainda melhor. Lançado em 2017, o filme Viva - A Vida É uma Festa conta a história de Miguel durante o feriado do Dia dos Mortos, no México, e a sua paixão pela música. A narrativa faz com que o público reflita sobre a importância dos antepassados e no quanto é necessário manter e compartilhar as lembranças deles com a família.

 
Música "Lembre de Mim" do filme Viva - A Vida É uma Festa. (Reprodução: DisneyMusicBRVEVO - Youtube).
 

Parceiros de filmes de animações musicais, Guilherme e sua avó assistiram ao filme em 2019. Para ele, observar com ela uma cultura totalmente diferente, se identificar com a relação do personagem e sua avó, fez com que aquele momento em família se tornasse valioso para ambos.

Agora, após o falecimento de sua avó, ele faz questão de dizer que sempre lembra dela ao reassistir o filme e sempre terá esse momento guardado na memória. “Não importa aonde ela esteja, eu sempre a terei na minha vida. E ter assistido esse filme com ela foi algo sem explicação”, conta emocionado.


 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »