09/04/2022 às 11h57min - Atualizada em 09/04/2022 às 11h26min

Guia Astrológico Para Corações Partidos: a comédia romântica que aborda signos divertidamente

Maria Eduarda Macedo da Rocha - Editado por Larissa Bispo
Reprodução: Google

 

Desde o período neolítico, há 10 mil anos, nós já podíamos encontrar nas sociedades primitivas um uso dos relógios cósmicos em busca de explicações ou mesmo periodicidade climática para suas plantações e rebanhos. Por esse motivo, os Babilônios começaram a estudar mais os astros, pois acreditavam que essas mudanças climáticas favoráveis, na verdade, eram presságios mandados pelos deuses. Assim, depois de muito aprofundamento e crença de que de fato os astros influenciavam individualmente na vida dos seres humanos, eles observaram que o céu estava repartido em 12 faixas correspondentes aos signos do zodíaco comumente conhecidos hoje em dia.

 

Com isso, os diversos avanços, estudos e crenças determinaram não só a descoberta dos signos, mas também formas minuciosas de se entender cada um: o Mapa Astral e o Horóscopo, ambos facilitadores e aproximadores da individualidade de cada pessoa, especificando, por exemplo "o que o mês deseja para você’’, ’’qual signo combina mais com o seu’’, e coisas do gênero. Apesar de não existir comprovação científica e tratar-se de uma crença individual, os signos são bastante procurados para melhor entendimento de si e até mesmo quem não se interessa sabe pelo menos o signo que possui.

 

De acordo com uma pesquisa do Peoplestroly, com 2.800 participantes, sendo 75% de brasileiros, 40% dos millennials e 47% da geração Z acreditam plenamente em astrologia e tomam decisões baseadas na influência dos astros.

 

Não obstante, é comum encontrarmos vídeos explicativos, livros e até mesmo séries que explicam um pouco mais sobre os signos do zodíaco. Contudo, assim como outras crenças, certas formas de representação tornam-se monótonas por se tratarem de assuntos descobertos há anos antes de Cristo, precisando de certos dinamismos na hora de serem apresentados às gerações atuais, caso, é claro, a intenção seja fazer ficar mais interessante.

 

Dessa forma, temos como exemplo o livro "O Código da Vinci’’, de Dan Brown, mesmo produzido em 2003 e com linguagem bastante compreensível, já tem uma releitura para jovens a qual foi criada em 2016, com um número menor de páginas e a intenção de aproximar o interesse dos mesmos para com o assunto. Assim, vemos que os signos ainda permanecem em alta, pois as mídias constroem uma imagem mais dinâmica e próxima do real que propicia esse interesse maior, principalmente por jovens.

 

Em vista disso, nos deparamos com a série "Guia Astrológico Para Corações Partidos’’, lançada em março de 2022, na Netflix. A comédia romântica consegue abordar os 12 signos do zodíaco ao ser dividida em duas temporadas, cada uma com seis episódios e cada um abordador de uma pessoa do signo em questão. Ex.: Episódio 2: Touro.

 

A protagonista Alice Bassi, interpretada pela atriz Claudia Gusmano, e também narradora personagem da série, narra sua vida e suas decepções amorosas. A jovem de 30 anos, solteira e de coração partido vive sempre em busca do seu verdadeiro amor, porém, logo após fazer amizade com um astrólogo, Alice começa a direcionar sua vida de acordo com o seu Mapa Astral e vai em busca do cara que te complete a todo custo.

 

O amigo em questão, Tio, interpretado pelo Lorenzo Adorni, explica cada planeta regente para Alice e coloca "lenha na fogueira’’ para que ela crie gosto pela Astrologia e se inspire nisso para encontrar o par romântico. O que o Tio não sabia era que Alice iria criar um programa de televisão relacionado a isso…

 

Por trabalhar em uma emissora televisiva que estava em crise, sem programas novos e sem ideias para entreter os telespectadores, Alice Bassi sugere ao seu chefe, Davide Sardi (Michele Rosiello) a criação de um programa sobre o zodíaco, o ''Stars of Love'', onde um convidado(a) tem direito a escolher algum participante de qualquer um dos 12 signos em questão, tipo um Tinder, só que pessoalmente.

 

O programa claramente gera repercussão e, ao decorrer da série, Alice se vê no lugar dos participantes de sua própria criação, ao passo que ela acaba tendo diversos encontros com um homem de cada signo, na tentativa de encontrar o certo.

 

A série italiana que veio como uma adaptação do livro já existente da autora Silvia Zucca, de título original ’’Guida Astrologica per Cuori Infranti’’, publicado no Brasil em 2016, apresenta a mesma narrativa em primeira pessoa e o senso de humor incrível da Alice Bassi retratada no livro. No entanto, é possível notar que a adaptação para série conseguiu melhorar o proceder da história sem deixá-la muito parada:

 

"Fiquei com a sensação da trama e da atmosfera da leitura não saírem muito do mesmo lugar. Deixei de fazer uma leitura atenta, me dispersando em vários momentos…começou muito promissor e me arrancando gargalhadas, mas acabou por me cansar em seu desenvolvimento, voltando a ter uma melhora ao final do livro.’’Aionne Simões, 32 anos

 

Em suma, conseguimos notar que "Guia Astrológico Para Corações Partidos’’ consegue criar um ambiente confortável tanto para telespectadores interessados por Astrologia quanto para pessoas mais leigas. Traz narrativa leve e ao mesmo tempo cativante, fazendo com que conhecimentos sobre signo sejam compartilhados divertidamente, criando em uma simples comédia romântica um "quê’’ a mais, sendo assim excêntrica.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »