30/04/2022 às 01h04min - Atualizada em 28/04/2022 às 20h22min

Descomplicando as milhas aéreas

Criadoras de conteúdo contam o que são milhas, como funcionam, onde consegui-las e suas experiências usando-as

Raíssa Sousa - Editado por Mayra Cardozo
Créditos: Joshua Woroniecki
Você, viajante, provavelmente já se deparou com a palavra “milhas” circulando por aí. E talvez até confunda elas com as milhas de comprimento em que um objeto pode transitar. Mas, na realidade, essas tão curiosas milhas são uma espécie de moeda virtual, criada pelas companhias aéreas como forma de fidelizar os seus clientes.
 
Segundo uma pesquisa para a UFF, de Carolina de Paula Nunes Gavinho, em 1979, a Texas International foi a primeira a criar o seu programa de fidelidade. Depois, muitas outras companhias aéreas agregaram a ideia. Nesse primeiro momento, as milhas eram colecionadas com base na distância que os clientes haviam voado - e, com quanto mais milhas, mais a vontade de voar surgia. Esse cenário mudou com o tempo e o uso de cartões de crédito para acúmulo das milhas passou a ser uma inovação.
 
O que também chama a atenção dos viajantes e usuários de cartão de credito é o fato de que as tão famosas milhas podem também ser chamadas de “pontos”. No entanto, não existem grandes mistérios por trás disso, pois é questão de nomenclatura. Jéssica Ane, criadora de conteúdo sobre viagens no Instagram, diz que, na prática, as milhas são os pontos gerados no cartão de crédito ou adquirido em um programa de pontos e transferidos posteriormente para a companhia aérea. Isso as difere dos pontos, uma vez que eles ainda não estão em posse das companhias, mas sim no programa de pontuação e benefício do banco.

 
  
Reprodução: Action Media
 
 
COMO FUNCIONAM E ONDE CONSEGUIR?
 
Diferentemente do que se imagina por aí, o acúmulo de Milhas não depende apenas do uso de cartão de crédito. Na verdade, ele pode ser feito no cotidiano, de várias formas - e uma delas é o uso do aplicativo de viagens Uber. Outra forma de encontrar suas milhas escondidas é abastecendo seu veículo em postos de gasolina que são vinculados ao programa de benefícios.
 
De acordo com Jéssica, a mais vantajosa forma de juntar Milhas e Pontos é realizando compras bonificadas no dia a dia. Dando exemplo disto, ela cita a Livelo, empresa especializada em programa de pontos de viagens, que funciona como um shopping online, tendo vínculo com grandes lojas do Brasil, como C&A e Amazon.
 
A criadora de conteúdo ressalta que, para o êxito da operação, você deve entrar no site da sua loja através do programa de pontos. Além disso, a quantidade de pontos ganhados varia de acordo com a promoção ofertada. Ela diz também que, em sua forma de comprar, prefere fazer uma lista dos itens que busca e comprá-los em conjunto. Quanto maior o valor de compra, com mais milhas ela é beneficiada.
 
Mas e pelo cartão? Bem, nesse caso, o primeiro passo é buscar saber se o seu cartão de crédito tem a função de acúmulo de milhas. O segundo é questionar quanto ele pontua, e por fim, “onde ele pontua”.
 
A também criadora de conteúdo sobre viagens e milhas, Kelly Araújo, ressalta que o melhor cartão para uso e acúmulo de milhas no Brasil é o Pão de Açúcar, da rede de supermercados Pão de Açúcar. Ela diz também que o “PDA” tem vínculo com o Itaú e existe nas bandeiras Visa e Mastercard, sendo seus cartões que pontuam o Gold e o Platinum.
 
Sobre a validades das milhas, Kelly Araújo diz que elas variam de acordo com os programas de fidelidades. Segundo ela, geralmente são 24 ou 48 meses e os programas das companhias aéreas também possuem alguns benefícios para quem participar do Clube. “Você paga uma mensalidade e tem direito a alguns benefícios, dentre eles o de que suas milhas tenham uma validade maior. Tem programas que oferecem validade de até dez anos”, diz a criadora de conteúdo.

 
      

QUEM USOU MILHAS
 
A primeira experiência com milhas da criadora de conteúdo Jéssica Ane foi em 2018. Ela conta que, nessa época, não conhecia com clareza o que eram “milhas”, mas tinha conhecimento de que podiam ser acumuladas. Conta ainda que, por sempre ter sido apaixonada por viagens, continha algumas pontuações nas companhias aéreas, então decidiu utilizar esses pontos para comprar pela primeira vez uma passagem com milhas. Para ela, foi a porta de entrada no mundo das milhas. Atualmente, já realizou seis viagens utilizando-as, dentre elas uma internacional.
 
A criadora sempre gostou de viajar, principalmente de forma econômica. Ela é formada em contabilidade e revela que isso foi um complemento. O pontapé para compartilhar conteúdo no Instagram sobre viagens veio após um trauma ao longo da pandemia e, agora, com intenção de fazer algo pelo qual é apaixonada e de mostrar às pessoas a possibilidade de viajar com prazer e economia, cuida do perfil @jessica.viajecomigo.
 

Quem também utilizou milhas em suas experiências foi Kelly Araújo, e sua primeira vez foi em 2014. Ela conta que na época estava em busca de um local para comemorar o recém-casamento e, como tinha um breve conhecimento sobre a série de pontuações, usou delas para viajar de maneira econômica, inclusive com um destino internacional. Desde então, todas as suas viagens tiveram o apoio das milhas, seja em passagem aérea, serviços ou hospedagem.
 
Kelly relata que, com o apoio de seus amigos e dos pedidos de indicação que recebia em seu perfil pessoal do Instagram, criou em 2019 o @colecaodeviagem, um perfil para compartilhar suas experiências turísticas. Seu conteúdo também tem intuito de inspirar as pessoas a fazer viagens com mais comodidade e economia.

 
  
Referências:

GAVINHO, C. Economia comportamental no contexto do mercado de milhas aéreas. 2020. Disponível em: <https://app.uff.br/riuff/bitstream/handle/1/16371/Dissertacao_Carolina_Gavinho.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 30 de abr. 2022.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »