13/07/2022 às 03h10min - Atualizada em 13/07/2022 às 03h10min

Brasil vence o Uruguai pela Copa América feminina, mas não alegra a técnica

Apesar da boa vitória por 3 a 0 sobre Uruguai, Pia queria que time fosse mais efetivo no ataque

Paulo Octávio
Adriana, artilheira da competição, celebra mais um de seus gols. Foto: Thais Magalhães/CBF

Brasil venceu a segunda partida seguida na primeira fase da Copa América feminina. Seleção bateu o Uruguai por três a zero com gols de Debinha e Adriana. A jogadora do Corinthians confirma a boa fase e é a artilheira da competição com quatro tentos marcados. 

Resultado faz com que a equipe se aproxime da vaga para o mata-mata. Seleção é a líder do grupo B com seis pontos, já Venezuela e Argentina tem três -- Peru e Uruguai não pontuaram. Com isso, o Brasil precisa de mais quatro pontos em dois jogos para carimbar a classificação ao menos no segundo lugar. 

E mesmo com tantos elementos positivos, a técnica
Pia Sundhage não ficou feliz com desempenho do time. A sueca acredita que time deveria ser mais efetivo no ataque e manter a posse de bola. "Há uma expressão em português que eu gosto muito: "fica com a bola". Esse é o jeito brasileiro de encontrar o melhor caminho para criar boas chances de gol. Acho que nós perdemos a bola muitas vezes, não tivemos conexão e demos muito espaço para as adversárias”, disse em entrevista coletiva. 

Como o grupo possui um número ímpar de times, a seleção vai folgar na próxima rodada e volta a campo só na segunda-feira para pegar a vice-líder, Venezuela. E assim ter uma chance de agradar a Pia. 


 1º TEMPO 

Apesar da saída de Stephanie logo cedo devido a um choque com Keroline, o Uruguai começou melhor. Aos 11, Pizarro cruzou na área e a goleira Lorena fez a defesa. Mas não demorou para o Brasil se impor na partida. Dois minutos depois, Rafaelle arriscou da entrada da área e errou o alvo. Posteriormente, Bia cobrou uma falta com perigo rente à trave, e Adriana testou a goleira adversária. Até que de tanto tentar saiu o gol. 

Aos 31, em uma jogada trabalhada.
Antônia deu dois dribles e cruzou na grande área. Debinha tentou de letra e a bola sobrou para  Adriana, com gol vazio,  fazer o primeiro.  

E aos 36,
Tamires se livrou de duas marcadoras e bateu forte, mas a goleira Sofía Oliveira defendeu com o pé. Depois começou uma blitz. Aos 39, Brasil fez o segundo, mas Ary Borges estava impedida. Sem deixar o Uruguai respirar, Debinha foi lançada em velocidade só que o passe foi forte e ela perdeu tempo da bola. No lance seguinte, Ary recebeu e bateu de primeira, a zaga cortou e no rebote, Ary perdeu a chance. E nos acréscimos saiu o segundo. Bia arrancou e serviu belo passe para Debinha que bateu rasteiro para tirar de Oliveira. 

2º TEMPO 

Mesmo com o placar na mão, Brasil insistiu. Aos dois minutos fez o terceiro gol. Debinha recebeu de Rafaelle, invadiu a área e cruzou para Adriana fazer mais um. Depois, seleção só administrou e criou poucas jogadas efetivas. Aos 13, Bia cabeceou com perigo. E aos 25, quase Uruguai descontou. Belén Aquino driblou e rolou para Zamberri que acertou a trave. Depois, Bia ainda tentou um chute de fora da área para boa defesa.  

No final, Velazco tomou segundo amarelo e foi expulsa. E aos 36, um lance polêmico. Aquino bateu no gol e a bola tocou no braço da Duda, arbitragem não deu pênalti.  

PRÓXIMOS CONFRONTOS  

Brasil folga na terceira rodada e volta a campo na segunda (18) para enfrentar a Venezuela, às 18h. Já Uruguai pega Argentina, na sexta (15), às 18h. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »