02/08/2019 às 12h44min - Atualizada em 02/08/2019 às 12h44min

5 livros para o estudante e profissional do Jornalismo

Andressa Schmidt - Editado por Leonardo Benedito
Foto: Andressa Schmidt
O Curso de Jornalismo exige duas coisas muito importantes do universitário: o gosto pela leitura e o interesse por temas diversos. Esses dois fatores permitem, principalmente, que ele desenvolva pensamentos próprios sobre diversos tópicos e assuntos. Pensando nisso, preparamos uma lista com 5 livros que podem atrair a atenção do estudante ou profissional.
 

Refugiados – A Última Fronteira

A história vai se passar na cidade portuária francesa de Calais, e dentro dela, vai surgir uma outra cidade chamada de “Selva”, onde os refugiados vindos do Oriente Médio e Ásia acabam construindo suas casas e transformando-a em uma favela de contêineres e barracas. Todos ali esperam chegar ao Reino Unido em algum momento e de alguma forma. A cartunista Kate Evans foi voluntária no campo de refugiados dessa pequena cidade e pode ver de perto o sofrimento das milhares de pessoas que ali levavam sua vida, e que precisaram abandonar tudo para buscar dignidade e um novo lar. Combinando os relatos de testemunhas com a arte sequencial dos quadrinhos, a experiência deu ao livro um caráter jornalístico que examina a crise de refugiados como um todo.
 

Correspondentes

O livro é escrito com relatos inéditos de vinte jornalistas da Rede Globo, que misturam na narrativa fatos e memórias do que eles puderam vivenciar quando atuaram como correspondentes para a emissora, sendo contabilizado ao total 49 países estrangeiros. Dentre eles, encontram-se Caco Barcellos, César Tralli, Ernesto Paglia, Pedro Bial, Roberto Kovalick e Sandra Passarinho, só para citar alguns dos nomes que compartilham as experiências mais marcantes da carreira.
 

Persépolis

O livro vai narrar uma autobiografia da autora, Marjane Satrapi, que se viu obrigada, aos dez anos, a usar o véu islâmico em uma sala de aula onde só havia meninas. Marjane nasceu em 1969, em uma família moderna e, dez anos depois, ela vivenciou o início da revolução que colocou o Irã dentro do regime xiita. Vinte e cinco anos depois, ela lança o livro “Persepólis”, originalmente em dois volumes, com a visão da menina em que foi e a consciência política da adulta em que se transformou ao longo de todo esse tempo.
 

Quando Ela Desaparecer

Kika é uma garota de dezesseis anos que desapareceu durante uma excursão escolar, mas dois anos atrás a garota j[a havia passado por uma situação que a deixou entre a vida e a morte. Dessa vez, passados dois meses de desaparecimento, muitos duvidam que a menina esteja viva. Duas pistas apenas: um colar e rastros de sangue. Os policiais se veem pressionados pela mídia para irem em buscas de respostas o mais rápido possível. Depois de tantas investigações que pareciam não levar em lugar nenhum, segredos muitos bem enterrados começam a emergir e, em meio a tantos possíveis culpados, os inocentes é quem estão mais preocupados, porque alguns deles começaram a morrer. Um livro narrado em forma de livro-reportagem por uma jornalista que acompanhou o caso e também está em busca de respostas para o mistério.
 

Maus

Maus, que significa "rato" em alemão, é a história de Vladek Spiegelman contada pelo ponto de vista de seu filho Art Spiegelman, autor da obra, que a ouviu do próprio pai. Vladek foi um judeu polonês que sobreviveu ao campo de concentração de Auschwitz. Nesse quadrinho, os judeus são retratados como “ratos” e os nazistas como “gatos”, ainda tendo como personagens os “porcos” que representam os poloneses não-judeus e os “cachorros” representando os americanos. Isto, aliado ao fato de ser todo desenhado em preto e branco, reflete um relato perturbador da brutalidade que foram os anos do Holocausto.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »