08/08/2019 às 00h00min - Atualizada em 08/08/2019 às 00h00min

Cadastro Positivo passa por alterações e já pode entrar em vigor

Aprovadas pelo Banco Central e o Conselho Monetário Nacional as normas que regulamentam o Cadastro Positivo no último dia 29, a medida já pode entrar em vigor. A expectativa é que a concessão de crédito seja facilitada e haja uma baixa nos juros.

Larissa Viana - Izael Pereira
Google Imagens
Com aprovação das normas do Cadatro Positivo pelo Banco Central e o Conselho Monetário no ultimo dia 29 de julho, pessoas físicas e jurídicas passam a ter uma nota de crédito automática baseada no seu histórico de compras e pagamentos, que incluem cheque especial, financiamentos, empréstimos, cartões de créditos e contas básicas. Vale ressaltar que mesmo quem não possui conta em banco terá pontuação. Bons pagadores terão scores mais altos e consumidores inadimplentes terão pontuações mais baixas.

Os dados serão administrados por birôs de crédito (Serasa, SPC Brasil e Boa Vista) que irão calcular as notas a partir das bases de dados que são alimentados por instituições financeiras. Entretanto, a adesão ao banco de dados é compulsória, quem optar por não participar deverá solicitar aos gestores do cadastro positivo a retirada de suas informações, e terá o prazo de até 2 dias úteis pra que a solicitação seja atendida.

Segundo levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), cerca de 62,6 milhões de consumidores em dezembro de 2018 apresentavam contas em atraso e o nome negativado.

Esses dados revelam ainda que 41% da população adulta encontra dificuldades para obter crédito, como é o caso do assistente administrativo Raul Rodrigues, 26 anos, que após passar por imprevistos e ter o nome negativado, desde então têm dificuldades para obtenção de crédito. “Até hoje enfrento dificuldades para conseguir crédito no mercado. Mesmo tendo pago a dívida há muito tempo, me sinto vigiado no sentido de que por ter sido negativado as empresas têm acesso ao meu histórico de mau pagador e por isso se recusam a confiar de novo em mim”, desabafa.

Com a medida as instituições de crédito terão acesso ao histórico financeiro e verão que o consumidor não só tem deslizes, mas também tem compromissos honrados, o que pode facilitar a negociação, pois antes da nova regulamentação do cadastro positivo, apenas o fato de estar inadimplente já negava a obtenção ao crédito. 

O cadastro positivo existe desde 2011 e passou a vigorar em 2013. Em março deste ano, o presidente Jair Bolsonaro sancionou o projeto que altera o cadastro positivo, e em julho as normativas que faltavam foram publicadas.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »