21/10/2019 às 22h31min - Atualizada em 21/10/2019 às 22h31min

A um passo da final, Boca Juniors e River Plate decidem vaga mais uma vez

Jogo de ida terminou 2 x 0 para os Millonarios; este é o sétimo embate entre as duas equipes na Libertadores.

João Felipe Carvalho - Editado por Paulo Octávio
Borré marcou um dos gols da vitória por 2 x 0 do River Plate no confronto de ida (Foto: Divulgação/River Plate)

Considerado um dos grandes clássicos do futebol, o duelo entre Boca Juniors e River Plate ganhara mais um capítulo quando as equipes entrarem no gramado de La Bombonera, nesta terça-feira (22), às 21h30 (de Brasília), pela partida de volta da semifinal da Copa Libertadores. Com a vitória no confronto de ida por 2 x 0, o River tem a vantagem de perder por até um gol de diferença. Já o Boca precisa, ao menos, devolver o placar para levar a disputa pela vaga na decisão para os pênaltis. Quem avançar pega o vencedor de Flamengo x Grêmio, que se enfrentam na quarta-feira (23). Canal Sportv transmite o jogo com exclusividade para o Brasil.

A polícia argentina prepara um grande esquema de segurança para chegada dos visitantes a Bombonera, com intuito de evitar distúrbios como o ocorrido no ano passado, que mudou com a data e local da final. O deslocamento será cinematografico: terá dois helicópteros, monitoramento ao vivo, 50 motocicletas e dois mil policiais. O ônbus do River está protegido para que suas janelas não estilhassem. Houve boatos de que o jogo seria adiado devido as eleições presidenciais, que vão ocorrer no proximo domingo. A politica se mistura ao futebol no país tanto que o atual presidente, Mauricio Macri -- que busca reeleição --, foi presidente do Boca.

BOCA JUNIORS

Com portões fechados no treino de domingo, o técnico Gustavo Alfaro não revelou a equipe que levará a campo na terça-feira. Sem o volante Capaldo, suspenso, o jovem Almendra, de 19 anos, deve ocupar a vaga. Outra baixa no setor é De Rossi, que mesmo lesionado, está relacionado para o jogo. No ataque, mais problemas. Tévez e Ábila também se recuperam de lesões e não devem começar a partida. A equipe poupou seus titulares na última sexta-feira, na derrota para o Racing por 1 x 0, em casa, válida pela 10ª rodada do Campeonato Argentino. Apesar do revés, os xeneizes dividem a liderança da competição com o Argentinos Juniors, com 21 pontos cada um. 

Além da desvantagem no placar, o Boca precisa superar a pressão dos resultados recentes contra o River Plate. Além da final da  última Copa Libertadores, que terminou com o título dos Millonarios, o confronto entre as equipes na Copa Sul-Americana de 2014 e na Libertadores do ano seguinte terminaram com classificação do River Plate. Outro fator negativo é a seca na competição. Dono de seis títulos, os boquenses não levantam a taça da competição desde 2007, quando Riquelme e companhia superaram o Grêmio na decisão. Por isso, Gustavo Alfaro ressaltou a importância do resultado em entrevista após a derrota de sexta-feira:

“É o jogo mais importante da minha vida. Mais do que sair campeão de copas internacionais, pelo significado, pela transcendência e pelo que representa, pelo rival e pelo que ele significa, este é o mais importante da minha vida. Assim eu estou vivendo e assim vou encará-lo” - afirmou.

Possível escalação do Boca Juniors: Andrada; Buffarini, Lisandro Lopez, Izquierdoz, Más; Salvio, Marcone, Almendra, Mac Allister; Zarate e Hurtado (Tévez). Técnico: Gustavo Alfaro

RIVER PLATE

A tranquilidade da vantagem conquistada no primeiro jogo fez o treinador Marcelo Gallardo revelar na coletiva de imprensa realizada na segunda-feira (21) que a escalação de sua equipe, que será a mesma do triunfo no Monumental de Nuñez. Além da declaração, o técnico bicampeão da Libertadores pelo River aproveitou para contrapor a entrevista do treinador rival e tirar o peso do confronto:

A partida da minha vida eu já joguei, foi a final de Madri. Essa é uma partida muito importante, um grande desafio. Mas nada mais do que isso - disse ele.

Gallardo também falou sobre a estratégia de jogo que La Banda vai adotar:

"Vamos sair sem nos comprometer, sem pensar em administrar o resultado, porque não é nossa ideia, nem nossa forma (de jogar). Vamos tentar, no campo do Boca, fazer um gol que brinque com o desespero do Boca . Além de como o jogo é apresentado, estamos prontos para tudo",

No Campeonato Argentino, o River Plate contou o faro artilheiro do centroavante Scocco, que marcou duas vezes no empate em 3 x 3 com o Arsenal de Sarandí, também na sexta-feira (18). Com o resultado, a equipe caiu para a sexta posição, com 19 pontos. Atual campeão da Libertadores e dono de quatro títulos, os comandados de Gallardo vão em busca do pentacampeonato.

Possível escalação do River Plate: Armani, Pinola, Casco, Martínez, Montiel, Pérez, Nacho Fernández, Palácios, De La Cruz, Suárez e Borré. Técnico: Marcelo Gallardo.

HISTÓRICO DE CONFRONTOS

No histórico geral, o Boca Juniors leva vantagem, com 134 vitórias e 115 empates, contra 124 triunfos do River Plate. Porém, ao considerar o histórico recente, a vantagem muda de lado. Os xeneizes não vencem o rival desde 2015. Em competições internacionais, o jejum é maior. A última derrota dos Millonarios para o Boca foi em 2004. Nesse período, foram dois empates e três vitórias do River Plate. Na Libertadores, os números ainda favorecem o hexacampeão Boca. São 10 vitórias contra oito do rival, além de oito empates. Em jogos na Bombonera, palco da partida de amanhã, o River nunca saiu vencedor. O brasileiro Wilton Pereira Sampaio apita o jogo, auxiliado por Fabricio Vilarinho e Rodrigo Figueiredo Correa. O argentino Mauro Vigiliano, com funções de árbitro de vídeo, completa a equipe.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »