24/01/2020 às 19h55min - Atualizada em 24/01/2020 às 19h55min

Os holofotes são todos para Crystal R. Fox em O Limite da Traição

O filme passa longe da proposta de suspense, mas acerta em cheio no drama

Guilherme Castro - Editado por Milena Iannantuoni
Imdb/Divulgação

O Limite da Traição (A Fall from Grace, em inglês), é o mais novo drama da Netflix. Neste é apresentado a história de uma mulher que se depara com um caso incomum, uma senhora de meia-idade sem antecedentes criminais que se declara culpada por um assassinato. Vale destacar que o elenco é composto praticamente só por atores e atrizes negros.

 No longa conhecemos a personagem Jasmine Bryant, interpretada por Bresha Webb (Marlon), uma advogada da defensoria pública que aparentemente consegue mais um caso fácil para fazer acordo com a promotoria. O acontecimento trata-se de um homícidio em que a acusada, chamdada Grace, se declara culpada. No decorrer da entrevista entre a personagens o espectador conhece a história de suspeita.

Crystal R. Fox (Big Little Lies) têm todo o foco da história e entrega um espetáculo de interpretação, conquistando a empatia de quem assiste e emocionando a cada cena. Em O Limite da Traição as boas atuações da personagens principais compensam o roteiro mediano que surpreende, de fato, nos momentos finais da história, quando todos os mistérios são revelados.

O grande destaque para esse longa vai para as ótimas escolhas de elenco, com nomes como Phylicia Rashad (Creed), Mehcad Brooks (Supergirl) além de Tyler Perry (Gone Girl) que dirigiu, roteirizou e produziu o longa. Durante o desenrolar da história, fica explicíto as dificuldades enfrentadas por mulheres em um ambiente predominantemente masculino e machista como um escritório de direito, em que a Jasmine Bryant tem que provar para seu chefe que é capaz de representar e defender sua cliente no tribunal.

Pelo olhar da personagem de Fox temos o retrato de como é a pressão da sociedade perante a uma mulher casada, mesmo quando ela está totalmente resolvida consigo mesma. E aos poucos somos apresentados ao início de um relacionamento abusivo por parte do jovem e sedutor – Shannon personagem de Brooks, e entendemos as motivações do crime da protagonista.

Apesar dos diversos pontos positivos, o filme se vendeu como um suspense e fica bem atrás dessa proposta na sua execução, deixando toda a revelação da trama nos últimos momentos e por um motivo fútil. Caso Tyler Perry se concentrasse em apenas uma função na produção e ficasse somente no gênero de drama durante o roteiro filme teria uma nota maior no IMDb, que atualmente é 5,9 e merecia mais.

REFERÊNCIAS

O Limite da Traição. Dísponivel em <
https://www.imdb.com/title/tt11390036/> Acesso em 20 de Janeiro de 2020.
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »