08/05/2020 às 17h45min - Atualizada em 08/05/2020 às 17h45min

Polícia realiza mutirão para emitir documentos à população em situação de rua

Em novo endereço, a expectativa é de um aumento no número de atendimentos por dia

Rute Moraes - Editor: Ronerson Pinheiro
SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo)
Foto/Reprodução: Polícia Civil/SP
A Polícia Civil de São Paulo por meio do Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daut (IIRGD) com o apoio da Defensoria Pública, começou a emitir documentos de identificação para a população em situação de rua. Os atendimentos que começaram na última quarta-feira (06), tem como finalidade contribuir para que as pessoas atendidas possam solicitar o auxílio emergencial, medida concedida pelo Governo Federal diante da pandemia do novo coronavírus.

Visando garantir a segurança dos profissionais e da população que será atendida, os policiais civis irão fazer o uso dos EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual) necessários além da higienização dos locais a cada atendimento.

Com um aumento de 80% no número de solicitações, o atendimento e marcação estão sendo realizados na sede do Instituto, na Avenida Casper Líbero, 370, Centro de São Paulo, ou através do número (11) 3311-3102 evitando assim, aglomerações e seguindo as orientações do Ministério da Saúde.  Em novo endereço, a expectativa é de um aumento no número de atendimentos por dia.

Voluntários do bem 
 
 
A iniciativa em auxiliar a população em situação de rua vem se tornando uma realização pessoal para os profissionais que estão à frente no trabalho realizado pela Polícia Civil. É o caso da escrivã aposentada, Ana Maria Rodrigues e do Agente de Telecomunicações do Centro de Comunicações e Operações da Polícia Civil, Lindomar Bezerra Rulim.

Carinhosamente chamada de “Santinha” pelos colegas, Ana Maria foi freira e passou três anos no Mosteiro da Imaculada Conceição da Luz, no Centro de São Paulo e há anos é voluntária em trabalhos sociais, além de ter trabalhado durante 30 anos como escrivã no Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daut (IIRGD). Lindomar passou 26 anos na igreja. Desses, 10 com sacerdote. Como padre, atuou nas regiões mais pobres de Buenos Aires, na Argentina, quando Jorge Bergoglio, o Papa Francisco, era Arcebispo e gerenciava ações sociais em comunidades carentes. Há sete está na Polícia Civil.

Histórias que se cruzam em um mutirão de solidariedade com um trabalho humanitário de suma importância, para garantir condições de cidadania à população carente, trazendo a possibilidade de resgate da autoestima e esperança para cada pessoa atendida. “Mais do que qualquer coisa, estamos ajudando essas pessoas a resgatar sua dignidade; e o ponto de partida disso é a identidade. Toca o coração quando eles recebem o documento e expressam uma alegria como se ganhassem na loteria”, resume Lindomar. “Eles ficam felizes por receber um olhar, um gesto amigo. Isso mexe com a gente. Não com o físico, mas com o emocional”, completa Ana Maria.

Tanto a escrivã quanto o agente de telecomunicações, reconhecem que estar lutando na linha de frente contra o novo coronavírus, é como um chamado vocacional, e uma missão que diz respeito aos valores cristãos praticados durante toda a vida. “Dói na alma não poder ajudar os irmãos que necessitam. É um prvilégio poder estar aqui e praticar o amor ao próximo”, afirma Ana. Segundo Lindomar, o mutirão é um dos muitos momentos em que se revelam as semelhanças entre o trabalho policial e o sacerdócio. “Seja na polícia ou na Igreja, a vida é tratada como prioridade. A polícia também defende a vida, a dignidade e a justiça”, reforça.

Para ser recebido no IIRGD, os interessados devem agendar dia e horário pelo telefone (11) 3311-3202. Além da sede do Instituto, outros quatro pontos na cidade estão prestando o serviço desde o última terça-feira (12), em unidades da Guarda Civil Metropolitana.

Região Norte: Praça Heróis da FEB, s/n, Santana.
Região Sul: rua Cassiano dos Santos, 499 - Jardim Cliper.
Região Leste: Estrada de Mogi das Cruzes, 1860 - Burgo Paulista.
Região Oeste: rua Major Paladino, 180 - Vila Leopoldina.    



Editora-chefe: Lavínia Carvalho
 
 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »