26/07/2020 às 18h42min - Atualizada em 26/07/2020 às 18h30min

O produtor cultural e sua importância

Ele faz acontecer os espetáculos, mostras, festivais e até programas de TV

Bruna Ariadne - Editado por Alinne Morais
Reprodução: Guia do Estudante
Os produtores culturais tem como a grande função executar muito mais do que o resultado final dos eventos. O serviço tem muitas fases. Ele começa a produzir pré, durante e pós produção, e assim faz com que seu trabalho seja um ciclo. Com este trabalho pode-se atuar nas áreas mais diversificadas, como no teatro, música, dança, circo, artes plásticas e qualquer outra manifestação artística.

Trabalhar com a cultura vai muito além de produzir pessoas renomadas e executar grandes produções. A produção cultural ajuda a fomentar os meios artísticos. Goiás possui diversos movimentos artístico e não fica apenas nas apresentações sertanejas como é estereotipadas a cultura do estado. Na cidade de Anápolis, interior de Goiás, ocorrem produções nas quais desenvolvem reflexões sobre si mesmo e sobre a estrutura da vivência que cada um possui.

INCENTIVOS 
Para a realização de seus projetos os produtores e artistas procuram um meio no qual ajude de forma financeira para colocar em pratica. Sendo assim procuram as mais diversas vias para conseguir fazer acontecer. Um dos meios pelo quais muitos conseguem o incentivo é por meio de editais no quais são disponibilizados uma verba e quem deseja participar escreve o projeto e tenta a aprovação para conseguir esse dinheiro, entretanto não e algo simples de se fazer.

Os produtores Luiz Monteiro, que produz a Casa Soberba, a cantora e produtora Priscila Santana, do evento Culturart, e a jornalista e produtora Narelly Batista, do Arrudeia Produções, trazem consigo uma mesma opinião sobre a questão dos editais que é a dificuldade de se informar sobre como funciona e sobre a melhor forma de se inscrever para conseguir com a maior facilidade.

Mas tem casos nos quais o incentivo sai do próprio bolso do produtor, as vezes por não conseguir patrocinadores ou por nem conseguir algum edital aprovado.

Mesmo assim os produtores tentam fazer o máximo para conseguir uma forma de trazer a cultura para cidade, e dar espaços para os diversos artistas.
 
PRODUÇÕES ANAPOLINAS 

Na cidade de Anápolis pode-se encontrar um grande número de agentes culturais onde desenvolvem os mais diferentes tipos de eventos e intervenções artísticas, sendo assim podendo notar que na verdade a cultura goiana vai muito além do estereótipo da cultura sertaneja.
  • Arrudeia produções

Umas das mais novas produtoras que se encontra na cidade chama-se Arrudeia Produções, na qual está trazendo à tona uma visão diferente e sincera sobre as pessoas que vem de outros países que em sua maioria são do continente africano e sobre os espaços esquecidos dentro de Anápolis.
Este projeto tem uma forma de ajudar a dar passagem em espaços no qual usam muito das performances de dança, música e diversas outra formas de se integrar as pessoas na sociedade.
  • Casa Soberba
A Casa Soberba foi criada pelo Luiz Roberto Monteiro que é artista, produtor, e acadêmico de teatro. Ele atua como terapeuta holístico com o Reike e usando da arte terapia com a fotografia.


Esse evento surgiu como meio de uma descoberta sobre o ser artista do Luiz, ela é lugar para ter diversos tipos de linguagens da arte. O espaço criado por ele é definido muito, pois o evento é ele e sua fases sobre o autoconhecimento.

A casa já possui trabalhos desenvolvidos e a última produção foi um audiovisual chamado Sarau Soberbo o memorial de uma madame.
  •      Culturart

A fundadora do evento, Priscila Santana, além de produzir tem uma carreira como cantora e compositora. O evento surgiu como uma necessidade de conectar as pessoas e os artistas, e dar suporte a todas as expressões artísticas que se encontram na região.

O Culturart teve seu início em 2018 e já teve várias edições desse projeto, dentro dessa produção já teve workshop, palestras, vendas de produtos artesanais e as apresentações.
  • F2 PRODUÇÕES 

A produtora Fernanda Fernandes está nesse meio a cerca de 18 anos. Antes disso era bailarina e atriz. Ela se entendeu como produtora quando sentiu a necessidade de fazer a organização do grupo no qual participava. Atualmente Fernanda possui sua produtora na qual faz diversas produções, ela é produtora de um dos grandes festivais do Brasil que acontece em Goiânia que é o Festival Bananada, e ainda possui suas próprias produções como O Grande Circo Mágico.

LEI EMERGENCIAL ALDIR BLANC E INSEGURANÇA DO TRABALHO

Após o surgimento da pandemia de COVID-19 um dos primeiros serviços que foi paralisado foi a área da cultura. Todas as vertentes artísticas sofreram e sofrem até o momento atual por não poderem produzir eventos e apresentações. Com alguns meses de pandemia foi aprovada a Lei federal 14.017/2020, conhecida como Lei Aldir Blanc, e tem como sua função dar auxílio aos artistas, coletivos e empresas que atuam no setor cultural e atravessam dificuldades financeiras durante a pandemia.

Foi disponibilizado R$3 bilhões de reais dessa forma 50% do valor será destinado aos estados e ao Distrito Federal, a outra metade será dividido para os municípios e ao DF. Essa medida que foi aprovada recentemente tem mais diversos pontos que coloca as condições para ser contemplado pelo auxílio emergencial Aldir Blanc. Um dos grandes problemas encontrados nesse auxílio é a forma pela qual foi explicado, poucos artistas e produtores tiveram um bom entendimento sobre como funcionaria essas condições para receber esse valor.

Todos os produtores entrevistados tem uma opinião que chegam ao mesmo lugar, que é a dificuldade de trabalhar de uma forma independente e sem uma certeza de emprego por ter que trabalhar de acordo com a demanda de produções, de apresentações. A maior dificuldade desse meio é a incerteza nessa época, então as medidas que foram criadas serão para tentar amenizar a vida dos artistas e das pessoas que vivem desses serviços culturais.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »