08/08/2020 às 17h23min - Atualizada em 08/08/2020 às 17h07min

Os impactos do turismo rural em uma sociedade globalizada

Entenda o papel do turismo rural para o desenvolvimento de negócios, a valorização cultural e a preservação de patrimônios históricos

Eunice Peixoto - Editado por Letícia Agata
Foto: (Reprodução/Momondo)
A intensidade da rotina e a quantidade de informações nas atividades diárias são características da geração em que vivemos. Quanto mais as tecnologias avançam, a internet toma conta do nosso dia a dia e a Revolução Industrial permanece transformando os diversos âmbitos da sociedade, a qual prossegue cada vez mais sobrecarregada com os resquícios da globalização.
 
Não obstante, a alternativa encontrada para os que desejam dias mais calmos, é “fugir” desse espaço urbanizado. Fazer novos experimentos, respirar um ar tranquilo e sentir a natureza são aspectos característicos dos que apreciam de perto o turismo rural.
 
Essa área, também chamada de agroturismo, possibilita um novo sentido para viagens que não só caracterizam um descanso perto dessa rotina conturbada, mas também alcançam a valorização da cultura e do artesanato no ambiente rural, acarretam em oportunidades de trabalho e geração de renda e dão aos visitantes a experiência única de sentir de perto outras histórias, de saborear novas culinárias e trocar valores com outras pessoas.
 
Segundo a consultora e gestora de turismo do Sebrae-PB, Regina Amorim, as principais causas da procura desse modelo de turismo, são os impactos negativos do meio urbano. Em entrevista, ela conta: “A vida no campo gera bem-estar, qualidade de vida, tranquilidade, uma verdadeira terapia ocupacional. As pessoas procuram essa experiência sensorial através do contato com a natureza, os saberes e fazeres do lugar”.
 
A representação histórica do agroturismo
 
A Fazenda da Barra representa bem a ideia de um ambiente tranquilo e repleto de conhecimento do mundo rural, com base na trajetória de um povo. O local, que foi construído em São José do Barreiro (SP), ainda na época do Ciclo do Café, em 1850, transmite todo um legado histórico aos visitantes.
 

Foto: (Reprodução/Internet)
 
Conhecido como um lugar privilegiado e bonito, o nome é dado devido à barra dos rios Segredo e Formoso, que se encontram. Originalmente, foi construída a base de pedra para produção de café, e possui em seu espaço ruínas históricas, tulha, tanques de lavagem dos grãos de café e até mesmo terreiros de secagem.
 
Em entrevista, a bióloga e proprietária da Fazenda da Barra, Daniela Marques, conta: “A região era, na época, muito rica, mas com o tempo o solo foi ficando cansado, os devidos cuidados não eram submetidos e o local acabou sendo hipotecado, o que foi o caso de muitas fazendas na época, e foi aí que meu bisavô comprou a fazenda em um leilão.” E acrescenta:

“Esse espaço funcionou como um lugar de lazer para a família. Até que um dia, eu e meu marido resolvemos vir. Somos biólogos, então começamos aos poucos a trabalhar com turismo rural. Inicialmente só tinha um banheiro, mas construímos outros cômodos, tentando sempre manter a estrutura ao máximo, como era originalmente.

Estamos aqui há 30 anos, com hospedagem, alimentação para os turistas, temos trilhas internas com nomes de homenagem a escravos que viviam aqui, e várias cachoeiras próximas. Além disso, fazemos visitas guiadas com enfoque de educação ambiental.”

 
Além da beleza natural, o tradicionalismo pode ser um fato socialmente relevante e atrativo para os turistas que visitam o local, resgatando uma reflexão sociocultural e toda a ideia de preservação do patrimônio histórico, assim como o que pode ser retratado através disso.
 
A Ruraltur Digital
 
Levando em consideração o desenvolvimento do turismo rural, os preparativos para uma das maiores Feiras de Turismo Rural do Brasil já se iniciaram e a novidade é que esse ano será 100% digital, devido ao cenário atual de pandemia e isolamento social, e a Fazenda da Barra já confirmou a sua participação.
 
Com data de início prevista para o próximo dia 3 de setembro, a 16ª Ruraltur é organizada pelo Sebrae Paraíba e será destinada a profissionais que já trabalham ou que desejam empreender nesse ramo, agricultores, artesãos, produtores rurais, povos indígenas, entre outros.
 
O evento ocorrerá junto à Conferência Intercontinental de Turismo Rural (II CINTURR), será gratuito e com livre acesso aos visitantes que desejarem participar da programação de palestras, visitas técnicas virtuais, apresentações culturais, sala de cinema e ainda desfrutar de mais de 150 lojas virtuais que farão exposição de seus respectivos trabalhos.
 
Em entrevista, a gestora de turismo da empresa, Regina Amorim, conta um pouco sobre as expectativas do expositores para a Feira: “O objetivo principal desses empreendedores é o de promover e fortalecer os negócios e destinos do turismo rural, proporcionando experiências inovadoras e disruptivas, com a inserção no mundo digital e adequações ao cenário econômico atual” disse ela.
 
Ademais, uma das expositoras também confirmadas para o evento é Maria das Neves da Silva (Nevinha), empreendedora no segmento dos doces artesanais e fundadora do 1° Shopping Rural do Brasil, localizado na cidade do Conde (PB).


1° Shopping Rural Doces Tambaba. Foto: (Reprodução/Instagram @docetambaba)
 
Com sua participação, Nevinha pretende agregar valor ao seu negócio, conhecer novos trabalhos e mostrar um pouco do que foi desenvolvido ao longo de sua carreira. Empreendedora há 7 anos, ela conta que todo o seu trabalho é resultado de muito esforço e sonhos, e a feira terá grande impacto na divulgação e no crescimento do seu negócio.
 
Sobre a importância do agroturismo, ela destaca como a cultura rural pode ser passada para os turistas:

“Aqui o ambiente é formado por casas de taipa e, como vivemos em uma área de assentamento, é interessante para que o turista veja a raiz, a macaxeira plantada, um coco, a banana que são base da minha produção. E de certa forma, isso é uma parte do nosso dia a dia que pode ser compartilhada e experenciada por cada visitante."

 
O projeto Ruraltur Digital 2020, tem como principal objetivo, gerar oportunidades e fortalecer os pequenos negócios, levando em consideração esse momento de crise econômica, em que os gestores desses empreendimentos precisam se reinventar, se capacitar e movimentar o nicho do turismo: “O evento visa o fortalecimento das instâncias de governança à inovação e a sustentabilidade de pequenos negócios do turismo rural” completa Regina.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »