27/09/2020 às 18h52min - Atualizada em 27/09/2020 às 18h44min

A dupla identidade na literatura

O uso de pseudônimos tem se popularizado entre os escritores

Talyta Brito - Editado por Bruna Araújo
Shutterstock.com
Você já ouviu falar em Eric Arthur, Ricardo Eliécer ou Robert Galbraith? Pois bem, esses três nomes estão constantemente na lista de livros mais vendidos. What???????? Sim! Alguns nomes consagrados da Literatura mundial, muita das vezes, adotam nomes falsos, os famosos pseudônimos, quando decidem se aventurar em um novo gênero literário ou como forma de se proteger ao expor ideias. Elaboramos um quiz para você testar seus conhecimentos. Preparados?! 

Eric Arthur – Jornalista, escritor e ensaísta. Considerado por muitos o melhor cronista inglês do século XX, de seu livro mais popular surgiu a inspiração para um reality show muito famoso ao redor do mundo. Exatamente! George Orwell, autor de “1984” e “ Revolução dos bichos” é um nome fictício.

Robert Galbraith – Natural de Yale, Inglaterra, teve sua obra rejeitada mais de 10 vezes. O tempo passou e a série de livros que narra a trajetória de um menino bruxo vendeu 400 milhões de exemplares ao redor mundo. Isso mesmo! J.K Rowling autora da saga “ Harry Potter” adotou o pseudônimo de Robert Galbraith e lançou outros quatro livros para o público adulto. 

 Eliécer Neftalí Reyes – Foi premiado com o Nobel de Literatura em 1971. Um dos mais influentes poetas da língua espanhola. O uso do pseudônimo foi a forma que ele encontrou para ocultar do pai a sua verdadeira paixão – a poesia. Dentre suas obras mais famosas estão: “Confesso que vivi” e “Vinte poemas de amor e uma canção desesperada”. Sim! Pablo Neruda também entrou para o time de escritores que utilizaram o pseudônimo.

Currer, Ellis e Acton Bell – Por receio de que suas ideias soassem como anti-femininas a família publicou suas primeiras obras com nome masculino.   O primeiro livro de poesia foi ntitulado “Poems by Currer, Ellis and Acton Bell”. Todavia, não se teve o retorno esperado. Sendo assim, o trio decidiu migrar para outro gênero literário - o romance, lançando obras como: “Jane Eyre”, “O morro dos ventos uivantes” e “ Villete”.  Incrível, né? As tão conhecidas irmãs Brontë entraram no mundo literário usando codinomes.  

É importante fazer uma ressalva. Embora haja uma confusão dentro da língua, pseudônimos e heterônimos são expressões que apresentam significados diferentes. O termo pseudônimo vem do grego pseudo que quer dizer nome falso. Já heterônimo significa nomes diferentes. É quando um escritor utiliza-se de várias personalidades. Um exemplo muito comum na língua portuguesa é o escritor Fernando Pessoa, o mesmo utilizava-se de pelo menos 3 heterônimos -  Ricardo Reis, Alberto Caieiro e Álvaro de Campos.







 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »