16/10/2020 às 07h55min - Atualizada em 16/10/2020 às 07h49min

Fim da linha: Polícia prende quadrilha que aplicava golpes em idosos

Uma pesquisa da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), mostra que mais de 3 milhões de brasileiros tiveram seus cartões clonados ao longo de 2019.

Lorenzo Rivero - Editor: Ronerson Pinheiro
Foto/Reprodução: Polícia Civil/RJ
A Polícia Civil prendeu na última sexta-feira (9), quatro pessoas acusadas de fazerem parte de uma quadrilha que aplicava golpes em idosos e instituições financeiras, na cidade de Camboinhas, no município de Niterói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Os agentes chegaram até o local aonde a quadrilha se escondia através de monitoramento.

Segundo o site de notícias G1, o Delegado Rodrigo Coelho, da Delegacia Especializada em Armas Munições e Explosivos (Desarme), o local era monitorado de perto pelo serviço de inteligência. Segundo ele, havia uma intensa movimentação de motoboys na residência.

Após abordarem um dos rapazes antes que ele entrasse na casa, os agentes encontraram vários cartões de crédito e de débito com ele. Chegando no local, os policiais localizaram outros membros da quadrilha em computadores realizando o golpe.

Segundo a assessoria de comunicação da Polícia Civil, foram encontrados 18 cartões, 48 máquinas de crédito/débito, três notebooks, nove celulares, três motos e um carro. Rodrigo Coelho explica como o golpe era praticado. “O golpe era feito a partir de uma simulação de clonagem do cartão da vítima. Os bandidos entravam em contato, dizendo que eram da instituição financeira alegando que precisavam do cartão que teria sido clonado. Eles pediam que a vítima ligasse para o Serviço de Atendimento ao Cliente do banco (SAC), e com um programa de computador desviavam a ligação para o telefone da quadrilha, que era atendido por um dos bandidos. O suspeito se comunicava com a vítima, orientando que a sua senha fosse digitada no teclado. Assim, o motoboy da quadrilha se dirigia até a residência da vítima para poder pegar o cartão”, conta o delegado.

Uma pesquisa da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), mostra que mais de 3 milhões de brasileiros tiveram seus cartões clonados ao longo de 2019.
 
Dados do Disque 100, Serviço de Denúncias da Ouvidoria da Secretária dos Direitos Humanos do Governo Federal, mostram que dos tipos de violência contra os idosos, a financeira é a terceira maior. Por não terem conhecimento das novas tecnologias acabam confiando em terceiros e assim, repassam seus dados.

É importante lembrar que o crime de clonagem de cartão se enquadra no artigo 171 do Código Penal Brasileiro. A pena se aplica em dobro quando o crime é cometido contra um idoso.



Editora-chefe: Lavínia Carvalho. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »