27/02/2021 às 09h42min - Atualizada em 27/02/2021 às 09h36min

Polícia Militar irá fiscalizar toque de restrição em todo o estado de São Paulo

Quem estiver na rua após o horário permitido e não possuir motivos como trabalho ou saúde, será orientado a voltar para casa, se a pessoa desobedecer à ordem, poderá pagar multa de 525 reais

Julia Wellmann - Editor: Ronerson Pinheiro
Viaturas da Polícia farão as fiscalizações - Foto: Divulgação/Gazeta do Povo
 
Foi anunciado na última quarta-feira (24), pelo Governador João Doria, uma restrição na circulação das 23h às 5h, em todos os municípios paulistas a partir de 26 de fevereiro, devido ao aumento de casos e internações por Covid-19 no Estado. “A medida é uma nova tentativa de reduzir aglomerações e encontros que possam ocorrer, sobretudo no período noturno”, explica Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência Covid-19, em entrevista coletiva ao lado do governador. As atividades não essenciais só estão liberadas até às 22h. A restrição entrou em vigor do dia 26 de fevereiro e vai até 14 de março.

Também na última quarta-feira (24), o número de internados foi a 6.657, um recorde desde o início da pandemia do coronavírus. A capital paulista, já superou o índice de 70% de leitos de UTI ocupados. Segundo análise do comitê, o estado teria um colapso do sistema de saúde em 22 dias caso não fossem adotadas medidas restritivas adicionais.

O Governo anunciou uma força tarefa das Vigilâncias Sanitárias da capital e municípios, da Policia Militar e do PROCON, para fiscalizar se as medidas estão sendo tomadas.

Segundo a Policia Militar, quem estiver na rua após o horário permitido e não possuir motivos como trabalho ou saúde, será orientado a voltar para casa, se a pessoa desobedecer à ordem, poderá pagar multa de R$525,00.

Casas, festas clandestinas e locais de eventos também serão fiscalizados e multados caso aja aglomeração com mais de 10 pessoas. "Sendo fornecedor que está realizando evento, ele será submetido a processo administrativo do Procon, o que levará a aplicação de multas que podem chegar a R$ 10.260.000", afirmou Fernando Capez, diretor do Procon.

Também serão realizadas pela Polícia Militar, blitz em algumas vias para verificar e orientar a população a voltar para casa. "Não iremos evidente punir alguém que estiver voltando para a casa. Transporte público não será interrompido, ele será restringido, limitado, mas não interrompido. Nem vamos penalizar alguém que trabalhou até às 22h, pega dois transportes e excede o horário de restrição. Ele não será multado. Estamos trabalhando com bom senso", disse Doria. “Não apenas o Estado de São Paulo, mas outros estados, outros municípios e outros países estão tomando medidas restritivas para proteger vidas, e não para prejudicar pessoas”, pontuou.


Editora-chefe: Lavínia Carvalho. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »