02/04/2021 às 08h06min - Atualizada em 02/04/2021 às 06h35min

Gaslighting

Entenda sobre essa manipulação psicológica sútil e de difícil percepção

Letícia Pessôa - Editado por Roanna Nunes
Reprodução/Pixabay
Violência sem marcas, sanidade questionada e justificativas vazias. Quantas vezes sua compreensão da realidade foi questionada dentro do seu relacionamento amoroso?

Essa forma de manipulação é conhecida como gaslighting, na qual o indivíduo mente e distorce informações causando instabilidade emocional. Como consequência o abusador garante a manutenção do vínculo e a vítima perde a autoconfiança, tornando-se cada vez mais insegura e dependente do parceiro.

O termo remete ao filme estadunidense Gaslight (em português: Á Meia-Luz) de 1944, que conta a história de Paula Alquist que após encontrar o corpo de sua tia assassinada muda-se para Itália e anos depois conhece o pianista Gregory Anton com quem acaba se casando. Eles voltam para Londres e passam a residir na casa que foi da tia de Paula, o que a jovem não imaginava era que seu marido estava atrás das lendárias joias do czar, escondidas pela falecida dentro de um vestido no sótão da residência.

Gregory passa a distorcer situações para que a jovem questione a própria sanidade mental, como durante suas saídas noturnas com o objetivo de vasculhar o local, o pianista interfere no funcionamento das lamparinas para que Paula fique confusa, se convença de sua perturbação e aceite o tratamento fora da casa, deixando o caminho livre na busca pelas joias.

 

Como retratado no filme o abusador usa dessa forma de manipulação em seu benefício, seja para manter alguém emocionalmente sob controle ou garantir vantagens. Entretanto, essa forma de abuso não se restringe apenas aos relacionamentos amorosos, um gaslighter pode ser tanto um parceiro afetivo quanto um chefe, amigo ou um "messias" em cultos ou comunidades.

Os métodos de manipulação, maneiras de identificar um gaslighter e sua atuação em diferentes âmbitos da sociedade foram estudados pela especialista em comportamento e saúde mental estadunidense Stephanie Moulton Sarkis e resultaram no livro "O fenômeno Gaslighting", lançado no Brasil em 2019 pela editora Cultrix.
 

 
A autora aborda o tema em 12 capítulos sendo o último voltado para informações sobre aconselhamento terapêutico e maneiras de conseguir ajuda para se libertar dos traumas decorrentes do gaslighting sofrido nas relações.

Para quem busca entender sobre gaslighting vale conferir a live, realizada pela psicanalista Manuela Xavier, na qual é exemplificado através de um desentendimento ocorrido entre dois participantes do reality show Big Brother Brasil, distorções de fatos que se encaixam nessa manipulação.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »