10/04/2021 às 17h51min - Atualizada em 10/04/2021 às 17h47min

Wattpad e publicações independentes

Entre diversos sites que permitem a publicação independente, está o Wattpad, um dos mais famosos do gênero

Ana Paula Alves - Editado por Roanna Nunes
Logotipo do app de leitura Wattpad. Imagem: [DesignStudio]

Ser um autor de sucesso é o sonho de muitos amantes da escrita. Ver seu livro sendo publicado e lido é uma aspiração de vida. Esse é um objetivo que demanda uma intensa jornada, que exige muita dedicação e amor à sua obra, mas, comparado a 20 anos atrás, esse processo foi facilitado. Isso porque há 20 anos não eram difundidos ainda os sites de autopublicação, que permitem a qualquer pessoa com acesso à internet publicar seus textos e histórias para que outros usuários leiam e interajam.

Esse tipo de site se tornou extremamente popular, principalmente com as fanfictions, histórias criadas por fãs sobre alguma série, livro, artista, etc. E a possibilidade de ter seu trabalho visto por toda uma comunidade de leitores atraiu escritores dos mais diversos gêneros, que almejavam ver sua obra publicada de alguma forma.

Wattpad: vantagens e desvantagens

Entre esses diversos sites que permitem a publicação independente, está o Wattpad, um dos mais famosos do gênero. As proporções e o sistema do site possibilitam que os autores que o utilizam sejam reconhecidos, o Prêmio Wattys é um exemplo disso, anualmente os autores da plataforma podem inscrever sua história para concorrer à premiação, permitindo que, caso sejam vencedores, ganhem mais destaque no portal.

Com seu sistema de comentários e mensagens, o site também permite que os autores acompanhem a reação do público. Lindsay Al’Rodges, autora do Wattpad e vencedora do Wattys 2020, diz que “É como uma resenha fragmentada entre os capítulos”, o que pode ser bem positivo, tanto para motivação do próprio autor, ao receber comentários positivos, quanto para criar a percepção do que é necessário ser melhorado na história, ao receber considerações negativas.

Porém, Cristina Parga, com longa experiência como editora e revisora, afirma que esse recurso pode ser tanto bom quanto ruim: “o autor pode testar a receptividade do público a cada trecho postado, e, a partir daí, alterar caminhos na trama. Ao longo desse processo, já está divulgando a obra e conquistando leitores, o que é bom, comercialmente falando. O que não quer dizer que seja bom para a qualidade da obra, ou para a autoestima do escritor”.

Assim, ter essa interação direta como vantagem ou desvantagem é algo que depende de cada autor e de sua relação com a escrita e seu público. Lindsay também alerta que quando se tem esse contato com seu público, “é imprescindível que o autor entenda que o leitor está ali para ajudar, ainda que aponte erros e falhas”.

A plataforma também pode ser o primeiro passo para alcançar outros tipos de publicação, como publicar seu livro, como um e-book na Amazon ou até atingir a publicação em editoras, dependendo do sucesso e do público criado na plataforma.

Ainda assim, alguns autores, como Lindsay, podem ter visões diferentes sobre isso: “Muitas pessoas consideram o Wattpad como um estudo de passagem, mas eu não. As pessoas começam lá, ganham público e costumam deixar a plataforma e ir para outras formas de publicação, estas pagas, o que é bem justo. Não acho que isso seja tão positivo em todos os casos, porque existem muitos leitores que só leem pelo Wattpad”. Ela diz que mesmo que o autor opte por utilizar o wattpad já com o objetivo de publicar de outras formas, “é importante voltar e continuar produzindo, nem que seja às vezes. Os seus leitores ficam por lá, eles te esperam publicar coisas novas, e é importante criar um ambiente bacana para eles”.

O principal motivo que pode levar os escritores do Wattpad a almejar outros tipos de publicação, é o fato de que o site não dá retorno financeiro, ao menos para autores que escrevem em português. Apesar de existir um sistema que permite um retorno financeiro no site, o Paid Stories, ou Histórias pagas, em que os leitores pagam para poder ler determinados livros da plataforma, esse não é um recurso disponível para histórias em português.

Lindsay também afirma que existe uma discussão na comunidade sobre a aplicação do sistema no cenário brasileiro: “enquanto autores que levam escrita a sério acham o Paid Stories importante para autores brasileiros, uma outra porcentagem enorme de leitores alega que as histórias do Wattpad não são 'profissionais o suficiente' para que se pague por elas, assim como alegam que a única razão por estarem ali é ser tudo gratuito”.

Ela também destaca que existe uma imagem de que, no Wattpad brasileiro, somente fanfictions com temas eróticos alcançam números suficientes na plataforma para serem incluídas no Paid Stories, porém, fanfictions, por serem baseadas em obras ou personalidades já existentes, violam as regras de direitos autorais exigidas no Paid Stories. Sendo assim, isso é usado como argumento na comunidade para dizer que não valeria a pena implementar o sistema no Brasil.

Outro problema que os autores do Wattpad enfrentam é o preconceito como usuários da plataforma. Existe uma ideia de que esses autores não levam a escrita a sério, ou de que todos eles escrevem “fanfiction eróticas de qualidade duvidosa”, o que não é uma realidade.

Lindsay tem experiências pessoais com isso:Ganhei um Wattys ano passado e vi pessoas dizerem que não faz sentido premiar autores de lá, ou que não adianta muito considerar isso um prêmio sério, porque afinal não são autores que estão sendo pagos. Há também o tópico dos autores que consideram escrever exclusivamente trabalho e não aceitam bem a ideia de que um autor possa escrever apenas pela paixão de escrever, e colocam autores do Wattpad numa posição de ‘você não valoriza o seu trabalho, por isso o expõe de graça’”.

 

Wattpad vs Editoras

Imagem: [Noun Project/Jasfart]

Como foi dito, muitos autores podem considerar o Wattpad como o primeiro passo para atingir outros estilos de publicação, normalmente remunerados, um deles é a de uma editora tradicional, em que o autor recebe uma determinada porcentagem das vendas. Migrar dessa forma para uma editora é relativamente comum, autores que ganham destaque na plataforma, tanto podem receber propostas das próprias editoras, que veem a obra como promissora no quesito de gerar vendas, como podem eles mesmos apresentar seu livro para a editora e dar destaque para o sucesso que a história já faz.

Conforme dito anteriormente, existe um certo preconceito com livros postados no Wattpad, esse tipo de visão também pode ser uma preocupação para autores que buscam pela publicação em editoras, mas Cristina diz que “o meio editorial é bem amplo! Isso depende de cada editor, do quão conservador ele é, e do gênero que publica. Acredito que os editores mais jovens vejam o Wattpad e outras plataformas de autopublicação online com mais naturalidade”. Ou seja, é possível que o autor se depare com um editor mais conservador, mas também é possível que sua história ganhe destaque justamente por fazer sucesso no Wattpad.

Entretanto, é importante que o autor esteja atento às mudanças que ocorrem quando sua publicação não é mais independente. Quando o escritor trabalha sozinho, todas as decisões são tomadas por ele, do início ao fim, já em uma editora, toda uma equipe estará tomando as decisões necessárias no processo.

Segundo Cristina, “o original passa por toda uma cadeia de produção, desde o editor, ao revisor, até a equipe de marketing. Ele vai ser lido por leitores profissionais, que vão lapidá-lo, transformando-o em um produto, encontrando os melhores ângulos para comercializá-lo” sendo assim, é preciso estar aberto para as mudanças que podem ser sugeridas, tendo em vista que não é mais um trabalho solitário e que existem inúmeras pessoas envolvidas no projeto.

 

É só escrever?


Imagem: [Flickr/ Nenad Stojkovic]
 

“O escritor independente luta uma batalha, sozinho. É o próprio marqueteiro, designer, revisor, editor, diagramador. Temos que, além de sermos escritores, aprendermos incontáveis funções para alcançar o mínimo de reconhecimento”, relata Lindsay

Publicar de forma independente não é algo simples, apesar de ser gratuito, exige muito esforço e organização. Não se trata simplesmente de escrever, mas de fazer todo o trabalho que envolve a obra. Cristina também faz observações sobre as tarefas do escritor independente que vão além da escrita: “no caso de um autor independente, em especial, aconselho a ler bastante os seus pares. Conheça o que está sendo produzido, até para não fazer mais do mesmo, ou para fazer mais e melhor. Entre em contato com os seus autores independentes preferidos — dê um feedback sobre a obra deles. Ler os seus pares vai ajudar não só no desenvolvimento da sua escrita, mas a fortalecer um network”, segundo ela, ter contato e dar apoio a outros autores com os quais ocorra uma identificação pode fazer com que eles retribuam esse apoio, dando um feedback ou até mesmo divulgando.

Apesar de ser uma verdadeira jornada, a publicação independente é um ótimo caminho para autores que querem começar de algum lugar, que desejam ter suas obras lidas por um público real. Por fim, sobre a experiência como autora independente, Lindsay diz: “A gente não tem o hábito de valorizar o trabalho do brasileiro, pois estamos ocupados demais enaltecendo o de fora. E essa negligência, e falta de vontade em investir em vozes independentes, barra um pouco, mas não nos impede de sermos vistos e ouvidos. É difícil, mas não significa que não podemos tentar”.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »