14/05/2021 às 10h20min - Atualizada em 14/05/2021 às 10h14min

Os projetos de extensão universitários na pandemia

Muitos precisaram se adaptar ao modelo remoto e superar novos desafios

Giovana Cerantola - Editado por Andrieli Torres
Foto: reprodução/Google
Na universidade, o estudante pode ir além da grade curricular estipulada para o curso. Diversos projetos de extensão, relacionados à matéria cursada, são oferecidos ao longo da vida acadêmica para que seja possível aprender além da teoria. Um projeto de extensão tem o objetivo de integrar a vivência e conhecimentos adquiridos na universidade com as demandas da sociedade. São projetos que geram grande valor para a experiência universitária. É possível conhecer o projeto de extensão das universidades, relacionados aos mais diversos cursos, por meio das redes sociais.

Em entrevista, a graduanda de Jornalismo, Elisa Romera de Freitas, contou que participa do Jornal Voz do Nicéia, projeto de extensão universitário da UNESP Bauru. Trata-se de um jornal comunitário impresso feito em conjunto com moradores do Jardim Nicéia, que tem o propósito de levar informação aos moradores e cobrar de órgãos públicos benfeitorias para o bairro, situado na cidade de Bauru. Ou seja, todo o aprendizado adquirido ao longo da graduação é colocado em prática em conjunto com a sociedade. 

Com a pandemia de coronavírus, toda a estrutura universitária precisou se adaptar e migrar para o modelo remoto, com os projetos de extensão não foi diferente. Apesar da dificuldade encontrada nesse processo, o grau de importância que ele apresenta é alto e as atividades não poderiam ficar interrompidas por tantos meses.

Elisa contou como foi essa experiência no Jornal Voz do Nicéia. Elisa se inscreveu em meados de agosto de 2020 para participar do processo seletivo, que foi totalmente online, inclusive a entrevista. Segundo ela, o primeiro contato com o Jornalismo, de fato, foi no Voz, com a produção de um texto, relacionado à área que ela estuda.

A aluna disse que a adaptação do projeto para o modelo online não ocorreu com tanta facilidade: “É um projeto mais sensível que precisa do contato com o cidadão, por ser um jornal comunitário, produz conteúdo exclusivamente para moradores do bairro”. Outra característica marcante do jornal é o fato de ele ser impresso, antes da pandemia os alunos podiam frequentar o bairro para a coleta de informações e realizar entrevistas. “Muitos moradores não tem acesso à internet ou tempo para se comunicar com os estudantes o dia todo, então a comunicação com o bairro foi muito danificada nesse processo”. Agora, a divulgação e postagem das matérias são feitas em plataformas digitais.

Elisa ainda relatou que trabalhar dentro de casa requer muita adaptação. “No início, eu estava bastante animada e foi desanimador não poder vivenciar o projeto do jeito que ele foi idealizado”. Com a rotina ainda em adaptação, a estudante comentou que não consegue manter horários fixos e adequados. A falta de um ambiente diferente para trabalho e descanso também interferem negativamente. Ela finalizou contando que o projeto é o motivador de estar ativa no momento, de férias da graduação, ela mantém os dias ocupados com demandas do Jornal.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »