14/06/2019 às 11h15min - Atualizada em 14/06/2019 às 11h15min

Manhã de transportes normais na Greve geral no RJ

João Marques - Edição: Giovane Mangueira
Foto: reprodução TV Globo
A greve geral organizada por movimentos sindicais e aderida por parte da população, afetou o trânsito no começo desta sexta-feira (14), na região Metropolitana do Rio de Janeiro. Embora o número de ônibus não tivesse diminuído segundo a Rio Ônibus, o trânsito teve retenções em alguns pontos, devido locais com manifestantes impedindo o fluxo de carros.
 
Houve protestos nas proximidades da Avenida Brasil, pelas nas imediações do Into (Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia) no Caju, só melhorando o fluxo após a rodoviária Novo Rio no sentido Centro. A Polícia Militar chegou a dispersar alguns manifestantes com bombas, impedindo o fechamento de todas as pistas.
 
Já na Ponte Rio-Niterói, o tempo de travessia chegou à mais de uma hora após a paralisação de algumas pistas na descida da ponte. Em dias normais, chega em média a 15 minutos. Nos transportes de massa como trens, barcas e metrô, não foram registrados atrasos. Mas houve superlotamento segundo alguns usuários que fugiam das ruas por metrô, Bus Rapid Transit (BRT) ou trens relataram nas redes sociais.
 
Agências bancárias, principalmente no Centro da capital, teve diversos funcionários e manifestantes parados nas portas das agências e houve impedimento ao acesso ao interior das agências, somente estando disponíveis os caixas eletrônicos.
 
Ato unificado 
 
Hoje à tarde tem caminhada saindo da Candelária, no Centro do Rio, às 17 horas com diversos movimentos e sindicatos.
 
As pautas das manifestações programadas para hoje são principalmente: contra as reformas da previdência, contingenciamento de verbas para universidades públicas e o governo do presidente Bolsonaro. Além disso, pedem por medidas de geração de empregos que segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), atinge 13 milhões de desempregados.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »