14/10/2021 às 20h48min - Atualizada em 14/10/2021 às 19h35min

A importância de retratar temas sensíveis em livros voltados para o público jovem e adulto

É importante retratar de maneira sensível e inteligente temas como saúde mental e abuso doméstico dentro da literatura infanto juvenil e new adult, como forma de educar e conscientizar os leitores

Emily Prata - Editado por Talyta Brito
Reprodução: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Os livros são indiscutivelmente uma das maiores fontes de conhecimento da humanidade, as maiores formas de entender e aprender sobre temas importantes, mas quando falamos sobre isso pensamos majoritariamente em livros de cunho acadêmico. Porém eles não são os únicos que podem nos proporcionar conhecer e entender temas importantes socialmente, livros que priorizam o entretenimento também podem nos apresentar a temas importantes, de maneira mais sutil e que ainda assim nos estimule a saber mais sobre eles.

 

Nesse texto o foco será saúde mental e abuso doméstico vivenciado por crianças e adolescentes, pensar como eles são afetados por esses traumas e como os livros voltados ao público mais jovem — principalmente nos gêneros infanto juvenil e new adult — podem trazer maior visibilidade e interesse sobre esses assuntos. Para isso vamos usar duas obras muito conhecidas e amadas pelo público jovem, “Fangirl” e “Eleanor e Park”, ambos da autora norte-americana Rainbow Rowell. Livros que são considerados comfort books (leituras de conforto) por muitos, mas que trazem temas importantes de maneira sútil e ainda assim muito bem desenvolvidos pela autora. 


FANGIRL
 
Um dos livros queridinhos do book twitter, Fangirl traz não só um enredo de romance universitário mas também uma grande e bem desenvolvida narrativa sobre ansiedade, alcoolismo e transtorno bipolar. Na estória Cath e Wren são irmãs gêmeas que após a mãe sair de casa sem muitas explicações para as garotas se tornam inseparáveis, mas chegada a tão aguardada ida a universidade Wren decide ter uma nova colega de quarto que não seja a própria irmã. Cath apesar de não concordar e se sentir magoada pela decisão da irmã, principalmente por não saber lidar muito bem com mudanças, aceita e segue com seus planos. 
 

As irmãs apesar de muito diferentes, dividem o fardo do abandono materno e as consequências desse trauma, porém ao se virem separadas e rodeadas de estranhos passam por reações muito opostas. Enquanto Cath apresenta um quadro crescente de ansiedade — a tal ponto que não consegue frequentar o refeitório de seu prédio — e uma grande dificuldade de se encaixar na realidade, Wren passa a se tornar cada vez mais dependente do álcool e das festas. Além dos problemas e traumas das irmãs Avery, o leitor ainda é apresentado ao transtorno bipolar do pai das garotas, que inicialmente é introduzido na obra de maneira leve e natural.

 

Esse é um dos aspectos que tornam a leitura do livro tão interessante e atrativa, Rowell não só apresenta o leitor a esses transtornos e seus sintomas, mas também mostra como eles aos poucos vão afetando os pacientes e as pessoas ao seu redor. Pelo fato de seus livros se voltarem para um público mais jovem, é importante fazê-lo de maneira natural e de fácil compreensão, permitindo-lhes não apenas aprender mas identificar os sintomas, fazendo com que busquem entender cada vez mais sobre o assunto. Além disso, a autora ainda trabalha com esses transtornos de forma com que eles não se tornem os aspectos principais da identidade de seus personagens.

 

SAÚDE MENTAL

 

Durante a pandemia do novo coronavírus, esse tópico ganhou cada vez mais força e importância, com a necessidade de reclusão doméstica e as incertezas trazidas pela nova doença as pessoas se tornaram ainda mais vulneráveis. Segundo pesquisa realizada pela Inteligência em Pesquisa e Consultoria (Ipec) e divulgada pelo laboratório Pfizer, 39% das pessoas na faixa de idade entre 18 e 24 anos afirmaram que a saúde mental ficou ruim nesse período, enquanto 11% afirmaram que ficou muito ruim. 

 

O psiquiatra e pesquisador da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Michel Haddad, em entrevista à Agência Brasil, afirmou ainda que: “A pandemia escancarou esse problema, mas isso já vinha acontecendo de longa data, especialmente nas últimas duas décadas”. Haddad declarou ainda que os efeitos e consequências da saúde mental da população devem permanecer por algum tempo. 

 

A ansiedade é um dos problemas que mais afetam os brasileiros, com 86,5% dos casos registrados, afetando pessoas entre os 18 e 92 anos e principalmente mulheres (71,9%). Assim é importante que adolescentes e jovens tenham conhecimento sobre o assunto e cada vez mais informação, além de naturalizar esses transtornos, principalmente porque há um grande preconceito socialmente enraizado contra os diagnósticos destas doenças. Sempre cercados de conotações negativas, vergonha e até mesmo recusa do tratamento, afetando diretamente a forma com que os pacientes lidam com o mundo, tornando a doença o aspecto central de sua identidade.

 

ELEANOR E PARK

 

Ainda seguindo uma linha mais leve e romântica, Rainbow Rowell apresenta ao leitor a história de Eleanor e Park, jovem com vidas e famílias completamente diferentes que acabam se apaixonando. Mas apesar de um enredo que aparenta ser superficial e simples, a história se mostra muito mais profunda e complexa do que a primeira vista, apesar de se passar nos anos 80, a autora traz uma história atual e com batalhas internas universais. A relação da dupla é construída de forma natural e sutil, ainda que envolta por diversos problemas domésticos, estereótipos infundados e um plano de fundo bastante problemático.

 

O principal núcleo da narrativa proporciona ao leitor muitos choques e reflexões, já que a mãe de Eleanor é casada com um homem agressivo, manipulador e que a agride física e psicologicamente. Além de controlar as crianças da casa e fazer da vida da menina um verdadeiro inferno, o que afeta todos os aspectos da vida da jovem, que sofre não só em casa, mas também na escola, onde é constantemente vítima de bullying. Por conta do contexto intenso de abuso emocional, sexual e físico, sua livre divulgação e venda acabou sendo questionada e impedida por alguns países, mas é importante ressaltar a importância de temas como esses sendo abordados na literatura, tanto juvenil quanto new adult.

 

Apesar de tratar de temas intensos e problemáticos, a autora segue com uma linguagem mais leve e sutil, tanto como forma de amenizar a abordagem dos temas quanto facilitar a compreensão do público alvo. Mas ainda com a abordagem natural de Rowell, a história traz um impacto muito forte sobre o leitor com os relatos da experiência de Eleanor, tornando-se um alívio quando ela encontra um pequeno refúgio em Park, é um alívio ainda maior quando a jovem finalmente consegue sair do lar abusivo para buscar a ajuda dos tios. A realidade de Eleanor, infelizmente, é reflexo da realidade de muitos jovens ao redor do mundo e no Brasil não é diferente.




















ABUSO DOMÉSTICO

 

Os abusos em geral são mais recorrentes contra as mulheres, no Brasil é uma constante que infelizmente não possui perspectiva de melhora, no ano de 2020 foram 82.250 mulheres vítimas de violência doméstica, somente no estado de Minas Gerais. Durante a pandemia e maior rigor do isolamento social, entre os meses de março e maio, o número de feminicídios no país aumentou 2,2%, segundo levantamento realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

 

Além das mulheres, crianças e adolescentes também tornaram-se mais expostos à violência doméstica durante a pandemia e para os casos em que a violência já acontecia as vulnerabilidades aumentaram drasticamente. Segundo levantamento divulgado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), pelo menos 103.149 crianças e adolescentes com até 19 anos morreram no Brasil. Ainda com dados preliminares, o ano de 2020 apresentou números preocupantes, já que com o aumento da exposição das crianças a violência doméstica, os casos letais, por consequência, também se elevaram.

 

Ainda, de acordo com pesquisa da SBP, são notificadas, no Brasil diariamente, em média, 233 agressões de diferentes tipos, contra crianças e adolescentes com idade até 19 anos, e em sua maioria são notificados pelos serviços de saúde. A violência doméstica atinge as crianças e adolescentes também de forma indireta, em lares em que a figura paterna é agressiva com suas parceiras, atingindo de forma inimaginável o psicológico das crianças. Afetando sua vivência social e visão de mundo, afetando diretamente suas ações e relações futuras, logo se destaca a importância de suporte psicológico e emocional para essas vítimas, sejam elas mulheres ou crianças. 

 

POR QUE TRAZER ESSES TEMAS PARA A LITERATURA?
 

Trazer e relatar esses temas em livros voltados para o público jovem, vai além da criação de um bom enredo dramático e um plano de fundo narrativo interessante, esses temas são necessários para a conscientização e identificação de ocorrências problemáticas, que talvez não estejam se passando diretamente com o leitor, mas com alguém próximo a ele. 

 

Quando falamos sobre os transtornos psicológicos, é importante a naturalização e quebra de preconceito dessas doenças, há uma grande necessidade de que o jovem e adolescente se sinta confortável de pedir ajuda e que sua identidade não se resuma ao seu diagnóstico. Com a introdução dessa realidade na literatura, mostrando que a pessoa pode ser sim bem sucedida e superar os seus bloqueios e limitações, com ajuda e o suporte necessário para isso, expondo ainda de maneira sutil e natural sintomas e situações pode ajudar aqueles que não sabem ou não aceitam o problema.

 

Ao falar sobre abuso doméstico na literatura, não se traz apenas visibilidade ao assunto, mas também a possibilidade de identificação de sinais, análise de situações e como elas seriam projetadas na realidade. Essa mesma característica seria válida se o tópico fosse relacionamentos abusivos, ao ler livros que contenham essas problemáticas o leitor presta atenção extra a elas, o que faz com que ele identifique sinais e possa reconhecê-los se os identificarem em uma situação real.  

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »