22/10/2021 às 13h52min - Atualizada em 22/10/2021 às 13h20min

Míssil hipersônico chinês deixa autoridades dos EUA em alerta

O lançamento do teste balístico com grande potêncial nuclear gera preocupações nas autoridades americanas em relação à possíveis embates futuros de amarmamentos tecnológicos

Clara Beatriz Ferreira - Editado por Manoel Paulo
Foguete Long March 5B decolando do Centro de Lançamentos de Wenchang, na China, em 29 de abril — Foto: STR/AFP
A China deixou as autoridades americanas em alerta após realizar um lançamento teste de um míssil hipersônico durante o mês de agosto. As informações do evento só foram divulgadas nesta semana através do jornal Financial Times, citando cinco fontes não identificadas. Segundo o jornal o míssil com capacidade nuclear teria circulado a Terra antes da aterrisagem.
 
O jornal ainda afirmou que o planador hipersônico estava armado com uma ogiva nuclear e foi lançado por um foguete do tipo Long Marche, desenvolvida pela China. O míssil circulou a Terra em órbita baixa antes de descer em direção a um alvo, mas errou a meta em cerca de 38 quilômetros. Mesmo assim, o teste deixou as autoridades dos Estados Unidos em alerta.

As armas hipersônicas são difícies de serem rastreada, pois podem atingir cinco vezes a velocidade do som. Esses planadores são lançados por um foguete ao espaço onde orbitam a Terra com o próprio impulso e são manobráveis, podendo desviar a rota inicial.
 
O teste do míssil havia gerado preocupação em Washington, onde autoridades competentes foram pegas de surpresa. Segundo declarações as fontes de inteligência dos Estados Unidos se surpreenderam com o progresso da China no desenvolvimento de armas hipersônicas.

Gallagher, que é republicano e membro do Comitê de Forças Armadas da Câmara, disse que se Washington mantiver sua abordagem atual, "perderá uma nova Guerra Fria com a China em dez anos".

Apesar do alarde por parte das agências de inteligência, o feito foi negado pela China nesta segunda-feira (18/10), o governo chinês fez uma coletiva de imprensa para tratar da questão. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Zhao Lijian, disse que os testes realizados foram rotineiros e tinham finalidade de verificar diferentes tipos de tecnologia de naves espaciais reutilizáveis.

Não apenas os EUA se sentem pressionados com a capacidade do atual poderio desenvolvido, mas outros países ocidentais também expressaram certa preocupação com as recentes demonstrações de poder militar da China.

É bom lembrar que assim como a China, os Estados Unidos, a Rússia e pelos menos mais cinco países também estão com projetos de mísseis hipersônicos em desenvolvimento.

No mês passado, a Coreia do Norte divulgou que testou com sucesso um novo míssil hipersônico. Em julho, a Rússia fez um anúncio semelhante e disse que seu míssil havia sido lançado de uma fragata no Mar Branco, na costa noroeste da Rússia.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »