26/10/2021 às 23h38min - Atualizada em 26/10/2021 às 22h34min

Após caso de homofobia, Maurício Souza é demitido pelo Minas Clube

Atleta fez postagem com ironias a orientação sexual do novo Super-Homem e gerou polêmica

Maria Clara Valle - labdicasjornalismo.com
Mauricio em ação pela seleção brasileira. Foto: Antonin Thullier/AFP

O jogador de vôlei Maurício Souza teve seu contrato rescindido pelo Minas Tênis Clube nesta quarta (27). A decisão aconteceu após ter publicado um vídeo em que disse ter o "direito de defender o que acredita" e "infelizemente a gente não pode dar opinião e por os valores acima de tudo". A postagem incomodou os patrocinadores do clube e a direção do time que tinham pedido para Souza se desculpar nas redes sociais após ele ter feito comentários homofóbicos no Instagram.

A polêmica começou no dia das crianças quando Mauricio postou a frase " Ah é só un desenho, não é nada demais. Aonde vamos parar?". Isso após a DC Comics anunciar que o filho do Super-Homem vai se descobrir bissexual nas próximas edições das histórias.

 

A primeira reunião sobre o caso aconteceu dias depois após os dois maiores anunciantes da equipe masculina de vôlei do Minas publicarem notas de repúdio à publicação de Maurício e com pedidos de medidas cabíveis do clube em relação ao atleta. Em nota, uma das patrocinadoras afirmou estar atenta aos últimos acontecimentos envolvendo o time de vôlei e o jogador e alegou que seu posicionamento diante do respeito e da inclusão é inegociável.

 

“Em relação às recentes declarações do jogador Maurício Souza, da equipe de vôlei Fiat Minas Gerdau, a Fiat declara seu repúdio a toda e qualquer expressão de cunho homofóbico, considerando incaeitáveis as manifestações movidas por preconceito, ímpeto desrespeitoso ou excludente”, declarou.

 

 

A outra empresa patrocinadora também publicou um comunicado oficial em suas redes sociais com críticas contra qualquer tipo de manifestação de cunho preconceituoso ou homofóbico e pediu uma posição oficial do clube.

 

“Sobre as declarações recentes do atleta Maurício Souza, jogador do Fiat/Gerdau/Minas, a empresa já pediu a posição oficial do clube para adotar as medidas cabíveis, o mais breve possível”, escreveu.

 

 

Na última segunda-feira (25), o Minas Tênis Clube já havia se posicionado através das redes oficiais do vôlei. Porém, apesar de salientar que as opiniões do jogador não representam as crenças da instituição, defendeu a liberdade de expressão de seus atletas. O posicionamento não agradou os torcedores e os patrocinadores e gerou uma onda de críticas nas redes sociais.

 

 

Por não possuir uma base jurídica para acusar Maurício de homofobia, o Minas não teria como demitir o jogador, porém, com a reunião, o clube, anteriormente, tinha decidido pelo afastamento do jogador. Anteriormente, em seu Twitter, Maurício se desculpou pelas publicações em seu perfil e afirmou ter refletido muito sobre seu posicionamento após conversar com sua família, colegas de equipe e clube.

 

 

ENTENDA O CASO

 

Após a DC Comics anunciar que o novo Super-Homem descobrirá que é bissexual nas próximas edições da história em quadrinhos, o assunto gerou polêmica e se tornou um dos mais comentados nas redes sociais.

 

Com isso, Maurício Souza, que frequentemente é alvo de críticas por suas publicações polêmicas e preconceituosas, publicou a foto de divulgação da DC e criticou a decisão da companhia. “Ah é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar”, ironizou.

 

 

ATLETAS TAMBÉM SE POSICIONARAM

 

Douglas Souza, companheiro de Maurício na seleção, parabenizou o posicionamento de uma das patrocinadoras em suas redes sociais. “Obrigado, Fiat pelo posicionamento! Obrigado por entender que homofobia não é liberdade de expressão ou opinião. Esperamos mais novidades.”, postou em sua conta no Twitter.

 

 

Em seguida, em vídeo e post publicados através de seu Instagram, o ponteiro do Vibo Valente fez questão de reforçar seu agradecimento à patrocinadora. “Não dá em pleno 2021 as pessoas acharem que liberdade de expressão é você ser homofóbico. Muito obrigado, mais uma vez, estou mega feliz, a gente espera atitudes”, afirmou

 

Douglas e Maurício já haviam trocado indiretas nas redes sociais após a publicação homofóbica do atleta do Minas. O ponteiro também se posicionou contra Maurício em suas redes ao postar a mesma imagem publicada por ele, porém com os dizeres contrários. “Vai ter beijo sim. Obrigado DC por pensar em representar todos nós e não só uma parte.”, escreveu

 

 

Carol Gattaz, capitã da equipe feminina de vôlei do Minas, endossou o agradecimento de Douglas no Twitter, afirmando que estava junto com o atleta, e se posicionou através de sua conta no Instagram.

 

“Homofobia é crime. Racismo é crime. Respeito é OBRIGATÓRIO. Está na lei, garantido pela constituição. Já toleramos desrespeito, gracinhas e preconceitos disfarçados de opinião por muito tempo. CHEGA”, publicou

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »