28/10/2021 às 21h00min - Atualizada em 28/10/2021 às 20h46min

Leitura: um convite para todas as idades

Distribuídos pelas mais diversas faixas etárias, os prazeres da leitura podem alcançar desde os mais novos aos mais velhos!

Letícia Aguiar - Editado por Larissa Bispo
Reprodução/Freepik
De um mundo de fantasias a um romance de arrancar suspiros, os livros são capazes de cativar os mais diversos leitores com diferentes gostos e interesses. Esses “devoradores” de páginas não possuem idade, pois para ler é preciso apenas abrir a imaginação. Do mais novo ao mais velho, todo mundo cabe no mundo irrestrito dos livros.

Sendo benéfica a todas as idades, a leitura pode ser fundamental, principalmente na idade avançada, quando as atividades que geram aprendizado e estimulam o cérebro são ainda mais essenciais para essa população idosa que vem crescendo ao longo do tempo. De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, compilados pelo FGV Social, em 2018 o Brasil possuía 10,53% de sua população com 65 anos ou mais, um aumento de aproximadamente 20% em relação à taxa registrada em 2012.

Nessa faixa etária ascendente está Carlos Méro, 72, que possui um relacionamento de longa data com a literatura. É dia quando os primeiros raios de sol entram por sua janela. E lá está ele, no seu escritório, a folhear as páginas de mais um livro, ou como ele mesmo diz “decifrando o mundo enquanto me decifro”. Esse cenário é cotidiano para Carlos, sempre imerso no mundo das palavras.



Carlos Méro começou a desbravar o universo literário ainda criança, quando já se aventurava por Machado de Assis e Monteiro Lobato. Mas a curiosidade aguçada nunca lhe permitiu ficar somente nas leituras brasileiras, navegando também por páginas estrangeiras, incluindo as literaturas francesa, portuguesa e italiana.

Para ele, a leitura é lugar de conforto. “Entendo que a leitura é deleite, caminho e descoberta. E não é diferente caso se trate de poesia ou prosa, conto ou romance, história ou memórias, crônicas ou tratados científicos ou filosóficos. Ela sempre incita, ensina e conforta”, disse.

Essa paz sentida por Carlos pode ir além do momento da leitura. Segundo dados dos estudos divulgados pelo periódico Brain Connectivy, as sensações de bem-estar geradas pela leitura de um romance podem durar por vários dias. Ou seja, os estímulos positivos do hábito têm o poder de se perpetuarem no inconsciente não somente durante a leitura, o que pode impactar positivamente no humor dos leitores ao longo dos dias.

O prazer de viajar pelas páginas de um livro também é rotina de Manoelito Félix de Paula, 82. “Seu Manoel”, como os familiares carinhosamente o chamam, costuma ler todos os dias, desde os jornais aos livros técnicos de direito, que são da sua área. Muito semelhante a Carlos Méro, Manoelito cultiva uma relação duradoura com os livros, pois, para ele, a leitura é um grande combustível para o cérebro.



Às vezes, os afazeres de casa tomam um pouco do tempo que seu Manoel reserva aos livros, entretanto, abandoná-los nunca foi uma opção. “Quanto mais a gente lê, mais aprende; o livro instrui e dá segurança, não existe profissional sem leitura”, falou.

De acordo com a Geriatra Ronny Roselly Domingos, ler traz benefícios a todos, e não só as pessoas de idade avançada. Para aqueles idosos que não têm o hábito de ler, mas querem adotá-lo, a geriatra indica a busca por gêneros literários atrativos a essa pessoa. Ela também ressalta que a leitura gera melhorias na cognição, dentre essas, o estímulo do cérebro e o envelhecimento bem sucedido.

Assim, idade, definitivamente, não é um pré-requisito para a leitura. Um ávido leitor pode habitar em cada um de nós, tendo ele 10 anos de idade ou 100 anos. O importante é que a leitura seja um deleite, e nunca uma obrigação!

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »