17/11/2021 às 11h29min - Atualizada em 17/11/2021 às 11h19min

​Em clássico quente, Brasil e Argentina empatam nas Eliminatórias

Argentinos carimbam vaga na Copa; arbitragem foi suspensa após cotovelada de Otamendi passar impune

Vinícius Garone - labdicasjornalismo.com
Fabinho e Di Maria disputam posse de bola (Foto: Lucas Figueiredo / CBF)
Brasil Argentina protagonizaram um clássico pegado que terminou em 0 a 0 pela 14ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, na cidade de San Juan (1.114KM de Buenos Aires). Tite e seus comandados reclamaram bastante de cotovelada de Otamendi em Raphinha no primeiro tempo, porém a arbitragem nada marcou no lance. Conmebol considerou  que a impunidade nesse lance foi um erro grave e decidiu suspender o árbitro Andrés Cunha e o assistente de vídeo Esteban Ostojichd, ambos do Uruguai, por tempo indeterminado

A seleção com jovens e sem Neymar na partida, segurou a pressão e manteve invencibilidade nas Eliminatórias. Pelo outro lado, os argentinos, com as derrotas do Uruguai e do Chile,  juntam-se ao Brasil  como um dos classificados para o Mundial de seleções no Catar.
 
PRIMEIRO TEMPO
 
Argentina embalada pelos cantos da torcida começou o jogo com marcação sob pressão, dificultou a saída de bola brasileira e ficou mais posse de bola. Em um erro de passe na defesa do Brasil, Paredes interceptou a bola e acionou Molina na direita. O lateral cruzou baixo, mas Marquinhos afastou o perigo.
 
No entanto, aos poucos, a Seleção Brasileira melhorou no jogo e aos 16 minutos desperdiçou grande chance. Matheus Cunha pressionou a troca de passe da Argentina, e a bola sobrou para Paquetá na intermediária. O meia tocou em profundidade para Vinicius Jr, que ficou cara a cara com o goleiro, tentou uma cavadinha e mandou para fora.
 
Posteriormente, Matheus Cunha retomou a bola antes do meio-campo, olhou o goleiro Emiliano Martínez adiantado e buscou encobrir o goleiro. A bola passou bem perto da trave. Por outro lado, a Argentina contra-atacou na sequência. Messi recebeu passe na entrada da área, levou para a esquerda e finalizou forte. Militão no meio do caminho bloqueou o chute e evitou o gol.
 
Já aos 33 minutos veio a polêmica do confronto. Raphinha evitou que a bola saisse pela linha de fundo, driblou Acuña,  passou por Otamendi, mas não manteve o controle. O zagueiro retomou a posse e largou o braço direito no brasileiro, que caiu e mostrou o sangue. E depois de bastante reclamação dos brasileiros, o árbitro não foi ao VAR rever o lance e mandou seguir sem mostrar nenhum cartão.
 
SEGUNDO TEMPO
 
Os brasileiros voltaram mais imbuídos para etapa final e incomodaram a zaga adversária nos primeiros minutos. Após escanteio cobrado na área, Fred pegou o rebote na entrada da área, bateu firme e carimbou o travessão. Já aos 19 minutos, Vinicius Jr, que vinha bem, seguiu bagunçando no ataque. O atacante com pouco espaço aplicou uma carretilha em Molina, tocou para Paquetá, que finalizou para fora.
 
E a pressão brasileira não parou por aí. Antony que tinha acabado de entrar no lugar de Raphinha, recuperou a bola no ataque e tocou para Danilo. O lateral avançou em velocidade e cruzou rasteiro. Matheus Cunha fez o corta-luz, e Vinicius Jr dominou de frente para o gol. Camisa 20 puxou para direita, chutou e Martinez fez a defesa.
 
Nos minutos finais o clima voltou a esquentar. Antony sofreu falta de Acuña, que tentou levantar o acatante brasileiro. Depois ambos jogadores se encararam e foram amarelados. Ainda sobrou tempo para Messi, que vinha sendo bem marcado criar a última chance. O craque argentino driblou dois defensores, chutou forte, mas Alisson defendeu em dois tempos e deixou tudo igual na Argentina. 
 
PRÓXIMOS CONFRONTOS
 
As duas seleções voltam a campo agora apenas em janeiro de 2022, pela 15ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar.  A Argentina enfrenta o Chile, no dia 27, no Estádio Nacional de Chile. Enquanto o Brasil encara o Equador, também dia 27, no Estádio Olímpico Atahualpa.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »