19/12/2021 às 14h18min - Atualizada em 18/12/2021 às 15h06min

Conheça as organizações que buscam pela representatividade feminina no Esports

Com o foco de trazer mais união e visibilidade para as mulheres dentro da comunidade e competições.

Isabella Lucena - Editado por Fernanda Simplicio


O Esports ganhou uma legião de seguidores fiéis pelo mundo inteiro e seu espaço no Brasil, não só pela competição e diversão, mas pela grande possibilidade de transformar os sonhos de vários jovens em jogadores profissionais, graças a ajuda da tecnologia. 

 

Dados apresentados pela (Pesquisa Games Brasil) PGB mostra que as mulheres representam 51.5% da comunidade gamer, mas o grande porém é que a cada momento se transforma em um ambiente tóxico, já que existem muitos relatos de casos de machismo e assédio por conta do comportamento do público masculino, fazendo que o acesso feminino se torne mais difícil.

 

No Brasil, existiam poucas jogadoras ativas dentro de tantos times masculinos e para mudar esse foco, projetos e organizações foram surgindo e trazendo um grande desafio de mudar a história do Esports:

 

Sakura Esports


Criada em 2018, a Sakura Esports foi desenvolvida a partir de um grupo no WhatsApp formado por mulheres gamers para trazer mais experiência em partidas ranqueadas de League of Legends, oferecendo apoio, suporte e visibilidade na comunidade feminina e além de trazer recursos de forma gratuita.


A Sakura Ascent foi o primeiro campeonato feminino com o apoio da Valorant Game Changers, desenvolvido pela Riot Games, com o objetivo de trazer as mulheres para próximo da cena competitiva. Juliana “Moon” Alonso, cofundadora do projeto fala sobre a importância dessa mudança:

 

“Realmente não imaginava que esse tipo de coisa poderia acontecer. Dei uma entrevista em 2019 onde me perguntaram se eu esperava que a Riot fosse fazer alguma coisa pelas mulheres e eu respondi que se eles tiveram nove anos e não trouxeram nada até então, duvidaria muito que fossem fazer agora” - diz Juliana, em entrevista para o site Valorant Zone.

 

Uma das grandes parcerias foi com o clube de esports, INTZ, o projeto Invocadoras aconteceu em 2019 com o foco em trazer as meninas para o cenário de League of Legends, o clube ofereceu todo suporte com os participantes e uma equipe técnica envolvida.

 

Nas redes sociais, estão sempre ativas apresentando conteúdos, dicas e entrevistas com as jogadoras profissionais e especialistas.

 

You Go Girls 

 

Nayara Dornelas desenvolveu o site em 2018 após perceber que não encontrava conteúdos de eventos voltados para o público femininos e espaço pensando nas meninas que gostariam de ser reconhecidas nos jogos online, com o crescimento de stream aqui no Brasil, a YGG ingressou para a Twitch, principal plataforma de jogos eletrônicos, realizando várias transmissões na plataforma, hoje a conta na Twitch conta com 1,2 mil inscritos:
 

A principal função hoje é dar oportunidade para as meninas que querem se inserir nesse cenário, principalmente em jornalismo e produção de conteúdo e dar visibilidade para o cenário em si”, explica para o Portal Protagonistas.

 

Em 2020, com o foco em aumentar a visibilidade e a representação de narradoras de esports criou o projeto Her Voice Gaming, dando a oportunidades das mulheres entrarem no mundo de casting para jogos de CS:GO, League of Legends, Valorant e muito mais. Hoje, a You Go Girls conta com um time de conteúdo apresentando notícias sobre os campeonatos, futuramente, pretendem expandir os temas do site gerando sobre a cultura pop.

 

Valkirias Esports


Em 2019, Pamela Mosquer era treinadora de League of Legends e após alguns conflitos que passou na sua carreira, decidiu criar o Projeto Valkirias para ajudar as mulheres a ingressar no esports brasileiro, aos poucos, foi conquistando um público e novos membros.

 

Neste ano, Pamela deu um passo grande: conseguiu deixar o projeto para trás e transformar em uma nova organização chamada Valkiria Esports que traz além do treinamento, streamers e o Talents. Em entrevista para ESPN, Mosquer contou sobre a nova mudança:

 

"Nosso objetivo não mudou, ele só cresceu e vamos continuar a inserir de maneira efetiva mulheres no cenário de e-sports. Queremos criar um espaço digital seguro e confiável para as pessoas do cenário de e-sports e acima de tudo ser um clube ético e prestativo, que seja exemplo para a torcida e para toda a comunidade representando-a efetivamente", declarou a fundadora da organização.

REFERÊNCIA:
 

SOUZA, Jeniffer. Conheça o projeto “You Go Girls” e a importância de valorizar mulheres gamers. Portal Protagonista, 2020. Disponível em: https://portalprotagonista.wordpress.com/2020/11/10/projeto-you-go-girls-busca-dar-visibilidade-a-mulheres-gamers/ Acesso em: 18 de dez e 2021.

 

GERARDI, Lucas. Projeto Valkirias anuncia entrada no cenário competitivo como Valkirias E-Sports. ESPN, 2021. Disponível em: https://www.espn.com.br/esports/artigo/_/id/8697573/projeto-valkirias-anuncia-entrada-no-cenario-competitivo-como-valkirias-e-sports Acesso em: 18 de dez e 2021.


Esports News Mundo. Fundadora da Valkirias Esports, Pamela Mosquer conta sua trajetória no esporte eletrônico. Uol, 2020. Disponível em: https://www.uol.com.br/esporte/ultimas-noticias/enm/2021/09/02/fundadora-da-valkirias-esports-pamela-mosquer-conta-sua-trajetoria-no-esporte-eletronico.htm Acesso em: 18 de dez e 2021.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »