19/03/2022 às 18h12min - Atualizada em 19/03/2022 às 17h45min

O sucesso dos Doramas entre os brasileiros

Como os seriados Asiáticos ganharam o coração do público nacional

Larissa Pessoa - Editado por Ana Terra
Fonte: Global Geek/ Reprodução: Google
“O Brasil é o 3º país no mundo que mais consumiu doramas no período da pandemia”, isso é o que afirma uma pesquisa realizada pelo Ministério da Cultura, Esporte e Turismo. Quem passa o olho pelas plataformas digitais não pode negar, a cultura Asiática tem invadido o ocidente em massa, seja com o Kpop, sucessos do cinema como Parasita (vencedor do Oscar), seja com o crescimento no consumo de audiovisual, seriados e afins.

Mas o que é dorama? Segundo Camila Costa, grande fã desse tipo de produção, “dorama vem da palavra drama, e era um termo utilizado para definir séries japonesas, mas que com o uso frequente e a internacionalização das séries foi se adequando a todas as séries asiáticas. No caso dos coreanos, são séries curtas que tem em média 16 episódios” [...]. E ela está certa, o nome se popularizou aqui no país para todos que pretendem se referir a produções asiáticas, principalmente coreanas. A origem dos doramas é muito parecida com a das novelas brasileiras, desde 1927 os conteúdos transmitidos por rádio, foram se adequando ao formato televisivo e as narrativas em forma de “novelo” (que vão se desenrolando no decorrer da trama) passaram a ser conhecidas como o que chamamos de “novela” por aqui. A maior diferença no formato das produções é geralmente a quantidade de núcleos, que no caso das produções Asiáticas é bem mais restrita aos protagonistas, e a quantidade de episodios reduzida a no máximo 20 ou 22 sem a presença de outra temporada, algo que aqui chamaríamos e mini- série.
Camila não é a única fã dos conteúdos asiáticos, a “dramaland”, como é conhecida a comunidade que curte esse universo, já é gigante na internet, entre fã clubes, páginas no Instagram, canais no Youtube, a “teia” de consumidores está cada vez maior. Isso fez a Netflix investir cerca de 500 milhões nesse tipo de produção, contando inclusive com alguns originais da plataforma. Eu conversei com Jonanthan Oliveira, criador do canal Soulmate World, onde aborda assuntos relacionados a cultura coreana, ele e Camila, explanaram um pouco do tamanho da influência e impacto dessa cultura em suas vidas.

Todos se aproximaram desses materiais, por volta de 2016 ou 2017, “[...]eu estava atrás de algo de fosse “diferente” para assistir (porque eu já estava cansada sempre das mesmas histórias), me apareceu uma sugestão da Netflix e era uma série japonesa que naquele momento eu li a sinopse e falei “vou ver”. Não era dublada e o fato de ser legendada não me impediu porque eu já estava acostumada a assistir com legenda, mas confesso que o primeiro contato me causou estranheza, a língua, o jeito deles se expressarem, os costumes, foi algo que levou um certo tempo até me acostumar. Passada essa primeira série eu fui em busca de mais, a partir daí vieram os doramas coreanos, chineses, tailandeses e recentemente, eu tive contato até com séries turcas”, afirmou Camila. Já Jonanthan nos contou que apesar de ter se aproximado em 2015, se encantou pelos doramas coreanos em 2016, quando V membro do BTS (seu grupo de Kpop favorito) participou da serie Hwarang: The Beginning, desde então ele não parou mais de mergulhar nesse universo.
Quando perguntei sobre essa aproximação cultural com um povo, pelo menos geograficamente, tão distante de nós, Jonanthan afirmou, “Hoje eu sou alguém muito diferente, e posso dizer que vivencio mais a cultura coreana no meu dia a dia do que a nossa, pois me moldei muito, e isso não é ruim, pelo contrário, lhe dá a oportunidade de ser alguém diferente e mostrar para as pessoas que podemos sim nos basear em outras culturas e agregar a nossa e transformar em algo melhor, o que não está tão bacana”. O impacto dessa nova forma de entretenimento parece transcender o lugar de um passatempo, fazendo parte de um estilo de vida desse público.

“TUDO ME ATRAI”, eu amo muito a cultura coreana, então quanto mais próximo eu fico, mais conhecimento eu vou adquirir.”

“Por estudar a língua coreana, esse é um dos fatores que me atraem bastante, pois posso aprender muito quando estou assistindo, mas existem vários outros fatores, como a estética das produções, os enredos fazem com que você faça parte da história, lhe predem e parece que você é um personagem do dorama, a oportunidade de conhecer vários lugares, pontos turísticos, através da tela do celular/ computador, vê como funciona o dia a dia dos coreanos/asiáticos, é muito gostoso de se ver” [...]
São muitos os motivos responsáveis pela difusão dessas produções aqui no ocidente, quando perguntei a eles qual a opinião deles sobre isso, Camila afirmou que “é algo novo, diferente, e assim como aconteceu comigo, está acontecendo com as pessoas. Acredito que as pessoas a cada dia estão quebrando barreiras que existem dentro delas mesmas que as fazem evitar e rejeitar tudo o que é diferente”, Jonanthan, quando trouxe em sua análise panorâmica sobre essa nova tendencia, disse, “O K-pop difundiu muito essa expansão da cultura coreana no ocidente, através dele houve a oportunidade de conhecer os kdramas, a cultura, as comidas, os mercados, como por exemplo o de tecnologia e cosméticos e tudo que envolve Coreia [...] Com certeza de início há um choque cultural, primeiro pela língua e segundo por vários fatores que são diferentes em relação aos nossos. Na minha visão, esse crescimento se dá pelo fato de que o consumidor se sente acolhido, é como se você estivesse sendo abraçado e estivesse vivendo em um mundo diferente[...] Então creio que isso é o que mais faz crescer, além do fato da originalidade em tudo que é feito. A onda coreana tem dominado lugares inimagináveis é só tende a crescer".

Pois é, assim como comentou Jonanthan, essa “onda” está cada vez mais presente no nosso cotidiano, invadindo todo monopólio norte americano do entretenimento. Os doramas não são um gênero, são na verdade um codinome para o tipo de produção, então tem dorama para todos os gostos e estilos, seja romance, ação, suspense ou com mistos. Para quem quer conhecer um pouco mais e se aventurar no consumo desse tipo de conteúdo, a Netflix tem sido responsável por algumas produções de grande sucesso como “Round 6” e mais recentemente "All of Us Are Dead”. Além dela, as plataformas mais famosas para conhecer os seriados e filmes asiáticos são, o VIKI (que é exclusivo para esse tipo de conteúdo), e o Youtube, então para quem ainda não conhece esse universo, pode ter acesso de forma mais simples do que imagina e “surfar nessa onda” divertida e cativante que é a “dramaland”.
 
REFERÊNCIAS:
ABREU. Mariane. O que há por trás do sucesso dos doramas no Brasil?. prensa.li. 2021. Disponível em < https://prensa.li/prensa/o-sucesso-dos-doramas-no-brasil/>. Acesso em: 19 de março de 2022.
MARQUES. Ana. O Brasil é o 3º país no mundo que mais consumiu doramas na pandemia. opovo.com.br. 2021.  Disponível em: <https://www.opovo.com.br/vidaearte/2021/08/10/brasil-e-o-3-pais-do-mundo-que-mais-consumiu-doramas-na-pandemia.html>. Acesso em: 19 de março de 2022.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »