11/04/2022 às 21h59min - Atualizada em 11/04/2022 às 21h35min

Reforma ministerial: veja abaixo os dez ministros exonerados que devem disputar as eleições em outubro

Exonerações foram publicadas no Diário Oficial da União, e entre os nomes está o de Braga Netto - cotado como vice de Jair Bolsonaro

Maria Isabel Chaves - Editado por Maria Paula Ramos
Joana França

O Governo Federal publicou no dia 31 de março, por meio Diário Oficial da União, as exonerações de dez ministros que pretendem lançar candidaturas na próxima eleição. Junto aos nomes de quem deixou o cargo, aparecem também os respectivos substitutos - a maioria deles já trabalhavam nas pastas. Na lista se encontram pré-candidatos aos cargos de governadores, senadores e deputados.  

 

As publicações respeitaram a Lei da Inelegibilidade, de 1990, que define um prazo de seis meses antes do primeiro turno para a desvinculação das funções - em 2022, esse prazo foi até o dia 02 de abril. A intenção é evitar que os candidatos obtenham vantagens por conta de seus cargos.

CONFIRA AS MUDANÇAS:

 

INFRAESTRUTURA 

Tarcísio de Freitas deixa o cargo para ser pré-candidato ao governo de São Paulo, e entra em seu lugar o ex-secretário executivo Marcelo Sampaio - número 2 na estrutura do ministério. 

 

MULHER, FAMÍLIA E DIREITOS HUMANOS 

Damares Alves, pré-candidata ao Senado ou à Câmara dos Deputados, pelo Republicanos. O cargo ficou para Cristiane Britto, especialista em Direito Eleitoral e marketing político, antes secretária nacional de Políticas para Mulheres. 

 

CIDADANIA 

João Roma abre mão do posto para ser candidato ao governo da Bahia, entrando no lugar Ronaldo Vieiro Bento, que cuidava da assessoria de Assuntos Estratégicos da pasta. 

 

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÕES 

Marcos Pontes foi exonerado e será pré-candidato a deputado federal pelo Estado de São Paulo. Assume o cargo Paulo Alvim, ex secretário de Inovação do ministério. 

 

AGRICULTURA 

Sai Tereza Cristina para concorrer ao Senado no Mato Grosso do Sul, e fica em seu lugar o médico, ex-deputado federal, ex-prefeito de Uberaba (MG), Marcos Montes

 

TRABALHO E PREVIDÊNCIA 

Onyx Lorenzoni, pré-candidato ao governo do Rio Grande do Sul, entrega o posto para José Carlos Oliveira, até então presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). 

 

SECRETARIA DE GOVERNO 

Flávia Carolina Peres (Flávia Arruda) deixa a pasta para ser candidata ao Senado pelo Distrito Federal. Quem assume é Célio Faria Júnior, ex-chefe do gabinete pessoal de Jair Bolsonaro. 

 

DESENVOLVIMENTO REGIONAL 

Sai Rogério Marinho para concorrer a uma vaga no Senado no Rio Grande do Norte, e entra Daniel de Oliveira Duarte Ferreira, que era secretário-executivo do ministério, e atuou como diretor do Departamento de Produção Habitacional da Secretaria Nacional de Habitação.

 

TURISMO 

Gilson Machado deixa o posto para ser pré-candidato ao Senado por Pernambuco. Quem irá comandar a pasta é Carlos Brito, até então diretor-presidente da Embratur.

 

DEFESA

Walter Souza Braga Netto, cotado como possível vice de Jair Bolsonaro, deixa seu cargo no Ministério da Defesa, mas continua como assessor-especial do gabinete pessoal do Presidente. Entra em seu lugar, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, que antes comandava o Exército. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »