02/08/2019 às 14h48min - Atualizada em 02/08/2019 às 14h48min

Bruna Wurts conquista ouro inédito na patinação artística brasileira

Lúcia Oliveira - Editado por Paulo Octávio
A história de Bruna Wurts com a patinação artística começa mais precisamente em 2007, quando ela decidiu que queria patinar. Naquele ano, nos Jogos Pan-Americanos do Rio, a atleta, ainda com seis anos, viu o ex-patinador Marcel Stürmer, tetracampeão pan-americano, levar o ouro e foi ali que a jovem percebeu que havia se apaixonado pelo esporte. 

Agora, 12 anos depois, ela, já com 18, conquistou a primeira medalha de ouro para o Brasil, quando se fala em patinação artística. "Não posso explicar com palavras. Foi muito tempo de dedicação e muitas abdicações", contou após receber sua medalha.  Um dia antes da disputa final, na sexta, Bruna sofreu com a desconcentração. No treino, cada movimento da atleta resultava em queda e isso a deixava desmotivada. Porém, no sábado, a atuação da brasileira deixou claro que tudo isso havia ficado somente no dia anterior. Com uma performance quase perfeita, que lhe rendeu 103.17 pontos ao todo - somando as notas do programa curto e longo -, ela subiu ao lugar mais alto do pódio e conquistou o ouro inédito do Brasil nesse esporte. 

A atleta coleciona conquistas importantes. Campeã da Copa da Alemanha e também do Sul-Americano de patinação deste ano, Bruna já havia ficado em terceiro lugar no Mundial de Patinação Artística de 2018. Desde 2015, ela mora em Barcelona, entretanto, possui vínculo com a Escola de Patinação Artística Marcel Stürmer, daquele mesmo ex-patinador, que fica no Brasil. Devido a isso, a atleta pode competir em disputas oficiais representando as cores verde e amarelo. Já na Europa, ela não está habilitada para disputar campeonatos locais, uma vez que só possui filiação em um clube para treinar.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »