22/08/2019 às 16h44min - Atualizada em 22/08/2019 às 16h44min

Amamentação: benefícios afetivos e a importância do apoio familiar

Aleitamento é um dos momentos essenciais para aumentar o vínculo entre mães e filhos.

- Isadora Becker
Família Melo: Mariana, Davi e Diego - Foto: Arquivo Pessoal
O leite materno, denominado o “alimento de ouro”, fortalece o bebê na parte imunológica e nutricional. A troca de contato durante a amamentação gera também benefícios psicológicos, transmite sentimentos de proteção e segurança. Nessa fase o bebê desenvolve laços com a mãe. A pediatra Maria Carmen de Carvalho diz que “o vínculo afetivo que se cria entre mãe e bebê é muito forte, vai repercutir para o resto da vida dessa criança”.

A Organização Mundial da Saúde recomenda a amamentação exclusiva até os 6 meses de vida. Depois, alimentos complementares devem ser ingeridos, mantendo o aleitamento materno até os 2 anos. Porém, o ato da lactação nem sempre é fácil. A mãe do Davi de 2 meses, Mariana Ferreira Melo, lutou para continuar amamentando.

“Tive muita dor nos primeiros 20 dias devido aos machucados, sem contar que conforme o Davi foi crescendo e evoluindo meu corpo não acompanhou e a produção de leite não era o suficiente para alimentá-lo, chorei muito quando percebi que meu filho passava fome” afirma Mariana.

A amamentação teve que ser complementada com leite em pó, Mariana diz que teve medo de ser julgada ou mal compreendida, mas que essa rotina dá certo, o bebê tem se desenvolvido e ela se sente menos sobrecarregada. Pressão social e familiar pode diminuir a produção do leite. A pediatra Maria Carmen de Carvalho explica que o apoio da família é muito importante para que a amamentação se concretize.

O pai de Davi, Diego Melo, diz que incentiva a amamentação e o uso da fórmula complementar “assim, acredito que ameniza qualquer sentimento de frustração (da mãe), caso haja algum, em não conseguir amamentar somente no peito”. Esse apoio é demonstrado através de conversas, preparo de mamadeiras, ajuda na hora de fazer o bebê arrotar e dormir, é o “pacote completo”, diz Diego Melo.

Considerando a influência da rede de apoio no processo de aleitamento, a campanha “agosto dourado” estimula a participação ativa de familiares.
 
Agosto Dourado – “Empoderar mães e pais, favorecer a amamentação: hoje e para o futuro!”

A campanha “Agosto Dourado” realizada nesse mês (8) pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) tem como objetivo incentivar o aleitamento materno e valorizar ações de apoio à amamentação.  

Nesse ano (2019) está sendo promovida uma reflexão sobre a cooperação paterna (pai, companheiro, parceiro) e o apoio de familiares. Essa rede familiar precisa acompanhar tudo de perto - consultas, exames, ajudar nas tarefas e entender o que a mulher está passando, para estimular a lactação.

Ações estão sendo realizadas durante o mês inteiro e para ajudar com informações sobre o aleitamento, a campanha disponibilizou artes com “dicas de ouro para pais em prol da amamentação”:
- Respeite o tempo e os sentimentos da mãe;
- O descanso da mãe é necessário para a produção de leite;
- Sempre que puder, fique com o bebê quando ele não estiver mamando;
- Se organize para participar da consulta pré- natal com o pediatra e de todas as consultas de rotina do bebê.

Essas e outras dicas podem ser encontradas no site: https://www.sbp.com.br/agosto-dourado2019/

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »