14/10/2019 às 13h23min - Atualizada em 14/10/2019 às 13h23min

De fã para fã, as fanfics conquistam espaço no meio literário

Entrevista com a ficwriter Lohanna Irie

Clarice Perrot - Editado por: Leonardo Benedito
Pixabay.com
Fanfiction, fanfic ou simplesmente fic é o nome que se dá para uma obra de ficção baseada em personagens e/ou universos já existentes, que podem derivar desde livros e filmes até a vida real”, esta é a definição que consta no site da plataforma de autopublicações Bibliomundi. E para trazer mais uma definição desse tipo de narrativa, a produtora de conteúdo Lohanna Irie, de 24 anos, também ficwriter (nomeação dada aos autores de fanfics), cedeu uma entrevista que explica um pouco mais sobre esse nicho e como, a cada dia que passa, ele vem conquistando leitores fiéis. Além de uma fã das histórias do consagrado Stephen King e de Nicolas Sparks, Lohanna gosta da literatura Young Adult e ainda consegue reservar um espaço para a leitura, e agora a escrita, das chamadas fanfics. Tanto que elas já foram até assunto de vídeos em seu canal no Youtube.

Clarice Perrot: O que é uma fanfic?
Lohanna Irie:
Fanfic significa, numa tradução bem específica, ficção de fã. É quando o fã resolve criar uma história fictícia sobre seu ídolo, filme ou livro favorito. Nós, como fãs, criamos uma narrativa nova, diferente, ou não tão diferente da real para fantasiarmos sobre o que gostamos. Eu costumo brincar e dizer que eu tenho um roteiro específico na minha cabeça e quando meu ídolo, ou então a série, que estou assistindo não segue o que eu pensei, vou lá e escrevo o que eu imaginava que poderia ter sido.

C.P: Quando e como você descobriu as fanfics?
L.I:
No ensino fundamental eu já tinha uma breve noção do que era fanfic, mas nunca tinha lido ou me interessado no assunto. Eu li minha primeira fanfic em 2014, quando entrei na faculdade e descobri os Doramas, um tipo de novela coreana. E foi bem aquilo de uma coisa leva outra. Conheci o K-pop, por causa das trilhas sonoras dos Doramas, e fui descobrindo quais eram meus grupos favoritos de K-pop e entendendo que existiam “casais” em cada grupo, um fanservice para deixar as fãs malucas em uma possível agarração entre ele. Então, comecei a pesquisar pelos meus casais favoritos e acabei descobrindo que existiam muitas fanfics sobre eles. Existem tantos tipos de fanfics e de tantos gêneros que qualquer um pode se interessar e ler.

C.P: Onde você costuma ler esse tipo de história?
L.I:
Existem alguns meios de você ler essas fanfics. Acho que, hoje em dia, tem se tornado muito mais fácil encontrar esse tipo de conteúdo. Existem dois aplicativos para celular como o Social Spirit e o Wattapad, que também é uma plataforma não só para fanfic, mas também livros originais. Esses dois que eu mencionei têm site também. E tem o site Nyah fanfiction; esse eu já não conheço o funcionamento.

C.P: Você acha que existe algum preconceito sobre esse tipo de leitura? Se sim, Por quê?
L.I:
Eu acho que para tudo que criamos e fazemos nessa vida tem alguém para ser preconceituoso. Acredito que todo mundo em algum momento da vida já leu fanfic. Tem quem ache legal e tem quem não gostou e continua não gostando. Sempre tem um que faz cara feia para as coisas e com fanfic não seria diferente. Acho que muitas pessoas taxam escrever histórias fictícias sobre um artista algo infantil e zoam pessoas que escrevem, chamando de “criança”. Eu não vejo dessa forma. Você abre inúmeras portas. Têm ficswriters que escrevem maravilhosamente bem e pegam suas histórias com seu artista favorito, fazem alterações e transformam em algo 100% original. Acho que o mal das pessoas é não conhecer e querer criticar.

C.P: Você já viu algum caso de um escritor ou pessoa famosa ser usada como uma história de fanfic da qual ela não gostou? Se sim, pode contar um pouco do episódio?
L.I:
Só vi uma vez e foi um caso que teve bastante repercussão no Facebook por conta da nova série da HBO, Euphoria, onde a principal escrevia fanfic sobre os membros do One Direction e isso foi bem retratado na série. Eu não vejo a série e nunca curti o grupo, mas o artista postou no Twitter que ele não havia gostado. Bom, acho que esse caso só aconteceu porque é uma série de grande visualização ultimamente. Em casos isolados, como nós, pessoas mais tranquilas, que fazem por diversão, acabam não tendo essa repercussão. Mas se existe algum outro episódio eu desconheço.

C.P: Existe algum grupo, evento, ou algo do tipo onde você pode se reunir com pessoas que gostam de fanfics?
L.I:
Infelizmente não. Existem muitos encontros dos fãs dos grupos de K-pop que eu curto, então, você acaba se encontrando com vários ficwriters lá. Mas algo exclusivo para os escritores não existe não. Isso até deu umas ideias agora.

C.P: O seu marido gosta de ler fanfics também?
L.I:
Definitivamente não! Meu marido não gosta de ler nada em geral. Eu tento incentivar leituras e ele até tenta ler, só que não é algo que ele goste. Mas ele sempre me motiva a ler, seja fanfic ou não. Inclusive, alguns dos livros de fanfic que tenho, ele mesmo que me deu. Ele não se incomoda com os gêneros que leio nem nada do tipo.

C.P: Vemos muitas fanfics postadas em plataformas virtuais, mas como funciona quando ela é colocada em livro? Existe alguma editora que publica fanfics?
L.I: Então, editora não existe. Geralmente quando uma fanfic vira um livro é um projeto solo da autora. Ela procura uma gráfica e faz seu livro em quantidades de procura dos fãs daquela fanfic. Existem também alguns projetos como Books Of Fanfic, Privection Stores que o intuito é transformar as fanfics de K-pop em livros. Existe também o Clube dos Autores, que é uma plataforma online onde você, que é autor, pode disponibilizar seu livro para venda. Então eles fazem a impressão e mandam para a casa de quem efetuou a compra. Geralmente livros de fanfic são feitos com amor mesmo, de fã pra fã. Não tem necessariamente um lucro.

C.P: Você está começando a escrever uma fanfic, certo? Poderia comentar uma pouco sobre ela?
L.I: 
Sim! Minha primeira fanfic. Quem me conhece e conhece meu canal sabe meus gêneros favoritos de fanfics; então não é surpresa que será yaoi, que é o romance entre dois homens, e que será sobre o EXO, meu grupo de K-pop favorito. Eu, particularmente, amo um drama e tragédia, mas com final feliz; então, você vai ser capaz de encontrar tudo isso na minha fanfic. Posso adiantar que vai se passar em um apocalipse zumbi e que já estou bem adiantada na escrita. Acredito que até final do ano eu seja capaz de começar a postar. Me desejem sorte.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »